Novos peritos criminais reforçam segurança no interior do Estado de Minas Gerais

Carlos Alberto/Secom-MG

Dois dias após a solenidade de formatura, realizada nessa quarta-feira (22), em Belo Horizonte, os 98 novos peritos criminais da Polícia Civil tomaram posse de seus cargos. Em cerimônia coletiva, eles assinaram o termo de posse, recebendo, na sequência, a designação de lotação.

A nomeação imediata, anunciada pelo secretário de Estado de Defesa Social, Maurício Campos Júnior de Oliveira, em seu discurso durante a cerimônia, surpreendeu os novos servidores. Aprovados no último concurso público, ocorrido em outubro do ano passado, os peritos criminais passaram cinco meses na Academia de Polícia Civil (Acadepol), onde receberam capacitação e treinamento para exercer a função.

Cumprindo o edital, que pela primeira vez, de forma regionalizada, definiu o número de servidores para cada localidade, os novos policiais estarão em breve em municípios do interior. A distribuição, de acordo com o superintendente geral da Polícia Civil, delegado Gustavo Botelho Neto, obedece critérios técnicos, como por exemplo, a incidência de crimes violentos e número de habitantes dos municípios. O objetivo é dotar de recursos humanos as cidades-pólos e comarcas, permitindo à polícia investigativa-judiciária cumprir seu papel com mais eficiência .

Com a incorporação destes servidores, a Polícia Civil passou a contar com 9,9 mil policiais, distribuídos em 565 delegacias e demais órgãos, como o Instituto de Criminalística, Instituto de Medicina Legal e Postos de Polícia Integradas (PPIs), onde atuam diretamente esses profissionais.

No próximo mês de agosto, 236 escrivães deverão concluir o curso de formação. Outros 164 delegados deverão se formar em outubro e 526 agentes de polícia, em dezembro. Também 1.000 agentes, aprovados na fase objetiva, estão passando por exames biomédicos e biofísicos e deverão participar do treinamento em 2010. A meta é suprir, até o final do próximo ano, o quadro de 12,5 mil cargos existentes.

“A nomeação imediata desses servidores pelo Aécio Neves demonstra a importância que essa administração tem dispensado à segurança pública, especialmente a Polícia Civil,” comemorou o chefe da Polícia Civil, delegado Marco Antônio Monteiro de Castro. Nos últimos anos, a instituição vem sofrendo redução acentuada de pessoal, em função, principalmente da conquista da Aposentadoria Especial. Na avaliação de Monteiro de Castro, a ampliação e atualização do quadro cumpre uma das diretrizes institucionais de desenvolver ações voltadas ao aperfeiçoamento da política de segurança pública.

Mesmo com as dificuldades de pessoal, a Polícia Civil vem conseguindo atender a população e cumprir as metas do Acordo de Resultados, com conclusão e relatoria, em 2007, de 63 mil Inquéritos Policiais (IP) e 60 Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCOs), 93 mil IPs e 90 mil TCOs no ano passado e a estimativa de superar, este ano, a conclusão de 150 mil Inquéritos Policiais e o mesmo número de TCOs.

Original em: http://www.farolcomunitario.com.br/

GD Star Rating
loading...