Clínicas de aborto: médicos podem ter registro cassado e ser indiciados por formação de quadrilha

Policial examina clínica onde mulheres eram submetidas a aborto: local tinha paredes blindadas / Foto: Gabriel de Paiva

RIO – Na operação que fechou duas clínicas de aborto em Botafogo, nesta quinta-feira, peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) da Polícia Civil coletaram várias amostras de sangue num triturador para fazer exames de DNA. A operação foi acompanhada pela Vigilância Sanitária.

Segundo o delegado, a polícia está atuando de forma diferente e com o auxílio da prefeitura:

– Vamos tentar cassar os registros dos médicos no Cremerj. Essas duas clínicas são antigas e já foram alvo de processos. Os médicos são os mesmos, os proprietários são os mesmos. Eles continuam praticando abortos – disse o delegado Jader Amaral, titular da Delegacia de Homicídios, acrescentando que ainda será avaliada a possibilidade de indiciar os envolvidos também em formação de quadrilha.

As clínicas são acusadas praticar abortos ao custo de R$ 1 mil de cada paciente, dependendo do tempo de gestação. Elas funcionavam nas ruas Paula Barreto 79 e Dona Mariana 225. Na clínica da Rua Paula Barreto, foi preso em flagrante o médico Bruno Gomes da Silva, de 68 anos, que tentou agredir um jornalista. Silva tem outras passagens pela polícia pelo crime de aborto. Funcionários do local e mulheres que aguardavam para realizar o procedimento foram detidos. Uma das mulheres que acabara de realizar a intervenção foi encaminhada para o Hospital Miguel Couto, na Gávea, também na Zona Sul.

Original em: www.globo.com

Clínicas de aborto: médicos podem ter registro cassado e ser indiciados por formação de quadrilha, 1.0 out of 5 based on 1 rating

1 comment to Clínicas de aborto: médicos podem ter registro cassado e ser indiciados por formação de quadrilha

Leave a Reply