Perícia faz reconstituição de acidente que matou adolescente em Gravatá

Maria Ferreira da Silva, 15 anos, voltava da escola quando, ao pedir parada para descer do ônibus, a porta abriu com o veículo em movimento; motorista diz que menina pulou

Reprodução/TV Globo

Em Gravatá, no Agreste de Pernambuco, foi feita a reconstituição do acidente que matou uma estudante de 15 anos, quando ela voltava para casa em um transporte escolar. O acidente ocorreu na noite da última terça-feira (29), em uma estrada de terra no Distrito de Mandacaru, na zona rural do município.

Reprodução/TV Globo

Uma equipe do Instituto de Criminalística (IC) foi ao local do acidente com o ônibus em que a menina Maria Ferreira da Silva, 15 anos, estava. O trabalho da perícia durou cerca de uma hora. Uma testemunha do acidente e o motorista José Alves da Silva, 32 anos, foram ouvidos. Ele afirma que não teve culpa. “Ela não pediu parada, tenho uma testemunha disso, ela pulou antes da parada”, contou “Acionei a porta para abrir, só abriu um lado, o outro ficou só uma brechinha, ela botou o pé e fez força para pular”.

O delegado responsável pelo caso, Ermírio de Azevedo, aguarda o resultado da perícia. “As testemunhas foram ouvidas, contaram suas versões, faltava apenas a perícia do IC”, disse. “Depois do laudo, teremos o caso completo”. De acordo com a prefeitura, o transporte escolar do município é feito por uma empresa particular.

O CASO

A estudante Maria Ferreira da Silva, 15 anos, voltava da escola quando, ao pedir parada para descer do ônibus, a porta abriu com o veículo em movimento. A garota caiu e uma das rodas do veículo passou por cima dela, que morreu no local. 

O motorista do ônibus José Alves da Silva, 32 anos, socorreu a menina, mas ela não resistiu aos ferimentos. A Polícia Civil da cidade, que está investigando o caso, informou que o motorista pode ser indiciado por homicídio culposo, sem a intenção de matar.

Original em: http://pe360graus.globo.com

Leave a Reply