Polícia diz que pane na Central foi causada por ação criminosa

Investigação continua para descobrir os culpados.
Laudo da perícia afirma que os danos foram intencionais.

A polícia afirmou nesta sexta (9) que a paralisação dos ramais da Central do Brasil, na tarde de quinta-feira (8), foi causada por uma ação criminosa: um ato de vandalismo ou uma sabotagem.

Horas depois da confusão na Central, peritos do Instituto de Criminalística foram até o local onde teria acontecido a ação de vandalismo e encontraram, às margens dos trilhos, pedras usadas no calçamento de ruas, que teria sido jogada pelos vândalos. O objetivo seria danificar o equipamento que faz a ligação elétrica dos trens.

A polícia se baseia no laudo dos peritos para afirmar que os criminosos teriam jogado as pedras do alto do viaduto que dá acesso ao Túnel Santa Bárbara. As pedras teriam sido arremessadas em direção ao trem que tinha acabado de sair da manutenção e seguia em direção à Central do Brasil. O laudo da perícia afirma que os danos foram intencionais.O delegado Eduardo Freitas, da Delegacia de Defesa de Serviços Delegados, contou que as investigações vão continuar. “Estamos fazendo o trabalho de polícia em campo para tentar identificar o grupo que praticou essa ação e, identificando o grupo, a gente identifica motivação, seja ela qual for”.

Para o governador Sérgio Cabral, quem está por trás da ação criminosa são baderneiros e pessoas com interesses políticos. “Estamos identificando gente envolvida com esse tipo de articulação. Isso é de uma enorme responsabilidade e não é assim que se faz política. Isso é um a forma de terrorismo”.

Na Central do Brasil, nesta sexta-feira, o movimento foi tranqüilo e a segurança foi reforçada porque muitos passageiros ficaram assustados com o tumulto de quinta-feira (8).

Estações ficaram fechadas nesta manhã

Na manhã desta sexta-feira, mais problemas para os passageiros dos trens da SuperVia. Não houve tumulto, mas, novamente, os usuários foram prejudicados pelo serviço. Entre Bangu e Santa Cruz, 11 estações foram fechadas por pelo menos dez minutos. O motivo, segundo a SuperVia foi um problema elétrico no ramal Santa Cruz. As estações foram fechadas por medidas de segurança.

O fechamento causou reflexos em Deodoro, de onde os trens também saíram com atraso. A situação nos ramais só foi normalizada às 10h.

A Secretaria Estadual de Transportes informou que o governo está investindo na compra de novos trens para melhorar o serviço.

Relembre a confusão de quinta

Por volta das 16h de quinta (8), o tráfego de trens foi paralisado em todos os ramais. Por 40 minutos, os trens não puderam partir da Central. Segundo a SuperVia, um objeto caiu na rede elétrica, no momento em que um trem chegava à Central, e provocou uma queda de energia.

Muita gente ficou revoltada, e a polícia foi chamada para conter os passageiros. Ainda de acordo com a SuperVia, a confusão começou na hora da devolução do dinheiro das passagens. Como era hora da volta para casa, mais pessoas chegavam à Central e eram impedidas de entrar.

Policiais lançaram bombas de gás lacrimogêneo para conter a população. Houve corre-corre. Cinco pessoas tiveram ferimentos leves. A direção de operações da SuperVia alegou que foi seguido um plano de contingência.

Original em: http://g1.globo.com

Leave a Reply