Preso suspeito de assassinar idosa de 86 anos com facada

Homem é um parente de criação da aposentada. Inquérito policial tem mais dez dias para ser concluído

A Polícia Civil prendeu, no fim da tarde de quinta-feira (15), um suspeito de ter assassinado Frida Ruthes, de 86 anos, em Rio Negro, na região Sul do estado. O crime aconteceu na tarde de terça-feira (13). A idosa foi morta com uma facada no pescoço. O irmão dela, Júlio Ruthes, 78, também sofreu uma tentativa de homicídio, mas sobreviveu e ajudou a polícia a chegar ao suspeito.

“A Justiça concedeu a prisão preventiva contra esse homem de 37 anos e nós cumprimos o mandado por volta das 18 horas. Ele foi preso aqui em Rio Negro mesmo, em uma empresa que começou a trabalhar na quinta-feira”, explicou o delegado titular da cidade, Maurício Souza da Luz. O delegado preferiu não divulgar o nome do suspeito, pois ainda vai levantar mais provas e ouvir o depoimento de outras pessoas para encerrar o inquérito, que tem prazo de mais 10 dias para ser concluído.

“As investigações continuam, mas as provas são fortes contra esse suspeito”, disse. A polícia recolheu material para análise na casa onde aconteceu o assassinato. As informações foram enviadas ao Instituto de Criminalística para verificação. “Serão feitos exames de impressão digital e vamos confrontar com as digitais do homem preso”, afirmou Luz.

A polícia chegou até o suspeito após interrogar o irmão da aposentada assassinada. Na hora do crime, Júlio Ruthes havia saído de casa para comprar comida para o almoço. Quando retornou, encontrou a irmã morta com uma faca no pescoço. Ruthes desmaiou e acordou duas horas depois e, com ajuda dos vizinhos, chamou o Corpo de Bombeiros. Ele sofreu um corte na cabeça e machucou o supercílio na queda.

“Conseguimos conversar com o irmão da aposentada e ele nos passou que esse suspeito estaria saindo da casa, no momento em que ele voltava para o local. Júlio disse que o corpo da irmã estava caído no chão e depois afirmou que levou uma pancada na cabeça. Possivelmente essa tentativa de homicídio seria para encobrir o assassinato da aposentada. O corte no supercílio de Júlio foi em razão da queda”, afirmou o delegado.

O homem preso é um parente de criação dos dois idosos. Para a polícia, o suspeito negou que tenha cometido os crimes. “Ele confirma que foi na residência dos irmãos naquela manhã, mas disse que não encontrou o Júlio”, afirmou Luz. Durante a manhã desta sexta, o delegado ouviu alguns familiares do suspeito, para checar horas e contradições nos depoimentos. Na tarde desta sexta novas pessoas serão ouvidas.

O crime chocou a cidade de Rio Negro, que tem aproximadamente 31 mil habitantes e faz divisa com o município de Mafra, no estado de Santa Catarina.

Original em: http://portal.rpc.com.br

GD Star Rating
loading...

Araxá receberá mais um delegado de Polícia Civil

Vinte municípios mineiros receberão os 164 novos delegados

A Polícia Civil de Minas Gerais ganhou 164 novos delegados. A formatura aconteceu na quinta feira (15), no auditório Topázio do Minascentro, em Belo Horizonte. Eles foram aprovados no concurso realizado em outubro de 2008 e assumem o cargo após a conclusão do Curso de Formação Policial da Carreira de Delegado de Polícia. Com a incorporação dos novos delegados, a Polícia Civil passa a contar com 10,2 mil policiais, lotados em 565 delegacias e órgãos como o Instituto de Criminalística, Detran e Instituto de Identificação.

Durante a solenidade de formatura, o chefe de Polícia Civil de Minas Gerais, delegado-geral Marco Antonio Monteiro de Castro, destacou a importância do papel dos novos policiais. “Dentre todas as carreiras públicas de formação jurídica, a de delegado de polícia é a única que investe seu titular no desafio ímpar de colher os fatos diretamente da realidade, sem mediações, justamente num setor da vida social que se destaca por ser o mais complexo de todos, que é o do crime e da violência”.

Ainda segundo Monteiro, “o êxito de qualquer projeto civilizatório, em sua inerente necessidade de coibir desvios criminais, depende necessariamente do trabalho que nós, policiais civis, desempenhamos na condução de nosso ofício, materializado no instrumento do inquérito policial”.

Os novos delegados serão designados para as cidades de Araxá, Ipatinga, Governador Valadares, Guanhães, Montes Claros, Patos de Minas, Pedra Azul, Ponte Nova, Teófilo Otoni, Uberaba, Uberlândia, Janaúba, Paracatu, Diamantina, Capelinha, Pirapora, Nanuque, Almenara, Januária e Unaí. Trata-se da primeira vez que o concurso público foi realizado de forma regionalizada, já visando a atender a todas as comarcas.

“É certeza que devemos receber uma mulher, e é claro que vamos utilizá-la para o atendimento à mulher e à criança. E espero que recebamos mais um delegado”, disse o delegado regional da 43ª Delegacia de Segurança Pública, Dr. Hely Andrade.

Teoria e Prática
Os delegados recém-formados foram capacitados pelo Curso de Formação Policial da Carreira de Delegado de Polícia, ministrado pela Academia de Polícia Civil (Acadepol). Durante três meses eles tiveram aulas práticas e teóricas, cumprindo a carga horária de matérias como manejo e controle de armas de fogo e técnicas de ação policial. Os novos policiais participaram também de um ciclo de estudos jurídicos promovido pela Acadepol, recebendo orientações para seu trabalho rotineiro e de atuação em conjunto com outras instituições que promovem a segurança pública.

De acordo com o diretor da Acadepol, delegado Cylton Brandão da Matta, o curso merece destaque por “apresentar aspectos da vivência diária no combate à criminalidade e a necessidade e importância do trabalho conjugado com instituições ligadas à segurança pública, estreitando relacionamentos para melhorar a eficiência das ações policiais conjuntas”.

Números
Os quadros da Polícia Civil de Minas Gerais foram acrescidos de 98 novos peritos, em julho deste ano. Em agosto, 234 escrivães ingressaram na corporação e, em dezembro, serão diplomados 526 agentes de polícia. Outros 1.000 agentes, já aprovados na fase objetiva, estão passando por exames biomédicos e biofísicos, e deverão ser capacitados em 2010. A meta é suprir, até o final do próximo ano, o quadro de 12,5 mil cargos existentes, com a realização de outros concursos públicos.

A Polícia Civil recebeu em setembro de 2009 a última parcela do reajuste de 30% concedido pelo Governo em 2007. Em dezembro de 2007 os policiais civis receberam produtividade no valor de 79,2% da remuneração do servidor, descontados os dias efetivamente trabalhados.

Investimentos
A Polícia Civil recebeu de 2003 a 2008, aproximadamente R$ 90 milhões em investimentos do governo estadual, destinados à compra de armas, viaturas, tecnologia de informática e comunicação, reformas e construção, mobiliário. Através da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), o Governo de Minas está providenciando ainda a transferência das cadeias públicas para gestão da Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi).

A medida resulta no retorno de policiais civis que estavam atuando na guarda de presos para o trabalho constitucional. De 2003 até setembro deste ano a Suapi assumiu 44 carceragens da Polícia Civil. Em Belo Horizonte a instituição não cuida mais de presos e o objetivo é que isso ocorra nos demais municípios mineiros.

Original em: http://www.jornalaraxa.com.br

GD Star Rating
loading...

Peritos acusam governador de descaso

Nicolas Passos, presidente do Sindicato dos Peritos Criminais de Alagoas

Nicolas Passos, presidente do Sindicato dos Peritos Criminais de Alagoas

Foram sete meses de luta e sem nenhuma resposta positiva por parte do Governo do Estado quanto ao atendimento das reivindicações da categoria. Os peritos criminais de Alagoas, em assembleia ocorrida na tarde desta quinta-feira (15), na sala de reuniões da sede do Instituto de Criminalística (IC),no antigo Hotel Beiriz, na Rua João Pessoa, Centro de Maceió, decidiram retornar às atividades em 100% no período diurno. Durante a paralisação, eles mantinham apenas os 30% do funcionamento, obrigatório por lei em situações similares. Porém, os peritos mantêm a suspensão dos serviços das 22h as 5h.

Os peritos tentaram junto ao governador Teotonio Vilela Filho (PSDB), algumas conquistas, entre elas melhores condições de trabalho, porte de arma e o adicional noturno. No entanto, apesar das várias tentativas, nestes 210 dias não houve qualquer tipo de avanço. Os peritos criminais compõem a única categoria no serviço público estadual que não é contemplada com o adicional noturno, inclusive da mesma forma que outros profissionais da Segurança Pública.

Para o presidente da Associação dos Peritos de Alagoas, Nicholas Passos, “ a suspensão da greve é em decorrência da demonstração de descaso por parte do Governo que sempre ignorou as reivindicações da categoria no tocante ao suporte profissional que poderia ter sido dado melhorando as condições de trabalho e motivando os profissionais com a revisão salarial”.

Passos também enfatiza que, além da atitude do governador, a categoria entendeu que a sociedade estava em prejuízo com a redução de equipes nas ruas. Porém, lembra que no período de 22h as 5h é mantida a suspensão das atividades.

“Além de tudo, repensamos os prejuízos causados à sociedade com nossa paralisação. Como não há adicional noturno, também não há perícia a partir das vinte e duas horas, acho justo. A luta foi grande e tentamos de todas as formas o entendimento, mas o governador não permitiu” – conclui Nicholas.

Original em: http://www.alagoas24horas.com.br

GD Star Rating
loading...

Assassinos roubaram R$ 700 mil dos Villela

A polícia estima que as joias e o dinheiro roubados do apartamento 601/602 do Bloco C da 113 Sul alcancem aproximadamente uma soma de R$ 700 mil. Bandidos levaram a quantia após assassinar, no imóvel, o casal de advogados José Guilherme Villela, 73 anos, e Maria Carvalho Mendes Villela, 69; e a principal empregada da família, Francisca Nascimento da Silva, 58. Os Villela eram donos da residência. Parte dos objetos estava em um fundo falso localizado no closet de um dos cômodos. Os investigadores do caso ainda encontraram outro esconderijo no local, mas que passou despercebido pelos criminosos.
O cálculo aproximado pôde ser feito a partir de informações levadas por familiares dos Villela durante os depoimentos prestados na 1ª Delegacia de Polícia, na Asa Sul. Os parentes mais próximos fizeram uma espécie de levantamento a partir do que desapareceu do apartamento após a tragédia. O triplo homicídio ocorreu em 28 de agosto, e os corpos só foram descobertos em 31 de agosto. Ao todo, as vítimas receberam 73 facadas.

A descoberta da pequena fortuna reforça a tese de latrocínio (roubo com morte), apesar de a hipótese de crime por encomenda não ter sido, de todo, descartada. Embasa ainda mais a suspeita de que os assassinos contaram com informações privilegiadas da rotina dos Villela.

Ex-empregado

Os investigadores direcionados à tese de latrocínio tentam agora montar o quebra-cabeça formado desde o início dos trabalho de apuração. Fontes policiais revelaram ao Correio que um ex-funcionário dos Villela, responsável por alguns serviços no apartamento da 113 Sul, estaria envolvido na trama. Ele teria conseguido que alguém facilitasse a entrada no prédio e convencido a empregada a abrir a porta na noite dos assassinatos. Francisca teria reconhecido a voz dele e, assim, sentido confiança para autorizá-lo a entrar no local.

Esse ex-empregado teria chegado à 113 Sul em um carro conduzido por D., um dos dois suspeitos detidos pelos agentes da 1ª DP. Ainda não se sabe, no entanto, quantos homens participaram da barbárie. Mas o primo dele, identificado como A., também está preso. Testemunhas viram os dois, acompanhados de um terceiro homem, perto de um veículo na 513 Sul. Ao ser detido, D. conduzia um Astra roubado. Ainda pesa contra ele a acusação de que integre o Primeiro Comando da Capital (PCC), facção criminosa de São Paulo. D. faria parte de um grupo de extermínio do PCC com ações voltadas para a Região Nordeste.

O desafio dos policiais da 1ª DP, no entanto, é reunir as provas capazes de vincular os suspeitos ao triplo assassinato. Faltam os laudos(1) realizados por peritos do Instituto de Criminalística (IC) da Polícia Civil do Distrito Federal, por exemplo. Após 46 dias de investigações, a polícia ainda não recebeu nenhum resultado. Houve várias perícias no cenário do crime e uma no carro apreendido com D. Foi coletada amostra de material biológico (sangue) no veículo, mas ainda não se sabe de quem é.

A delegada Martha Vargas passou a manhã em diligências. Somente à tarde, compareceu à delegacia que chefia, a 1ª DP, localizada no Setor Policial Sul. Martha chegou por volta das 15h20 e ficou até o anoitecer reunida com o diretor do Departamento de Polícia Circunscricional (DPC), delegado André Victor do Espírito Santo. Eles estão debruçados sobre os registros dos mais de 100 depoimentos de testemunhas colhidos ao longo das investigações.

Faxina

Uma das explicações para o atraso na divulgação dos laudos periciais tem relação com dificuldades encontradas pelos especialistas no apartamento 601/602 do Bloco C. É quase certo que alguém com conhecimentos técnicos esteve no imóvel entre 28 e 31 de agosto para limpar os rastros dos assassinos. Apagou impressões digitais e removeu o excesso de sangue das vítimas, com o uso de produtos especiais de limpeza. Os peritos do Instituto de Identificação (II) encontraram apenas fragmentos de impressões digitais, que deverão ser reconstruídos com a ajuda de um programa de computador.
Original em: http://www.correiobraziliense.com.br

GD Star Rating
loading...

Preso em SP acusado de manter família em cárcere e sob tortura

Um homem de 46 anos foi preso na noite de quarta-feira sob a acusação de manter a ex-mulher e os filhos em cárcere privado, em uma chácara de Arujá, região metropolitana de São Paulo. Segundo a polícia, as vítimas relataram que um dos filhos ficou preso em um porão por dois anos.
De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP) do Estado, aproveitando-se de uma consulta médica, a mulher, de 42 anos, registrou boletim de ocorrência por cárcere privado e ameaça no 1º Distrito Policial de Guarulhos.
Acompanhada do filho mais velho, de um sobrinho, da mãe e da irmã, a mulher relatou que, além de ser mantida em cárcere privado, ela e os filhos eram agredidos física e psicologicamente. Conforme explicou na delegacia, ela era ameaçada de morte, caso o denunciasse, e frequentemente era agredida com socos, chutes e tapas no rosto.
Ela afirmou ainda que o filho mais velho, de 17 anos, ficou preso no porão da casa pelo período de dois anos. A mulher contou, também, que presenciou o ex-marido torturando o adolescente várias vezes. De acordo com seu relato à polícia, seu marido fazia o rapaz entrar numa caixa d’água e lhe dava choques elétricos até que ele perdesse os sentidos.
O adolescente também foi até a delegacia e confirmou as agressões e torturas supostamente praticadas pelo pai. O rapaz relatou que, durante o período em que esteve preso no porão, foi forçado a comer um abacate verde e duro fornecido pelo pai. Além disso, por falta de alimento, chegou a comer baratas para saciar a fome.
Além disso, segundo relatos da mulher, o suposto agressor mantinha todos os filhos em situação análoga à de escravo, fazendo-os acordar às 5h e trabalhar na horta até a 0h todos os dias. Caso algum deles demonstrasse sinais de cansaço, era brutalmente castigado com choques, mangueiradas e cabo de aço pelo corpo.
Os outros dois filhos do casal, na presença da conselheira tutelar, negaram os fatos praticados pelo pai. A mãe dos garotos acredita que eles estão com medo de dizer a verdade, temendo a reação do suspeito.
O suspeito foi autuado em flagrante por redução à condição análoga de escravo, maus-tratos, violência doméstica, lesão corporal, tortura, ameaça, injúria e cárcere privado. Embora negue todas as acusações, ele ficará preso. O Instituto de Criminalística foi acionado para fazer exame pericial na casa da família.

GD Star Rating
loading...

Autoria de assassinato de menino no Nova Lima depende agora de perícia em arma

A arma encontrada na casa de um dos adolescentes suspeitos de matar o menino Luis Fernando de Oliveira, 12, a tiros no dia 11 de outubro, na região do Nova Lima, será periciada. Segundo informou o 2º Distrito Policial, responsável por investigar o caso, somente o exame do Instituto de Criminalística pode esclarecer o fato.

Diego Almeida Coimbra, 21, e Maxwell Bispo Costa Hurtado, 21, foram presos hoje ao meio-dia. Com eles foi encontrada uma arma calibre 38. Depois, um adolescente foi apontado como o autor do disparo e na casa do suspeito foi encontrado outro revólver do mesmo calibre.

Violência

Luis Fernando de Oliveira, 12 anos, morreu no dia 11 de outubro. Ele foi mais um adolescente vítima da violência em Campo Grande. O adolescente estava em frente ao hospital São Julião, no Jardim Anache, região do Nova Lima, onde foi alvejado por jovens em uma motocicleta.

Hoje às 12h, quatro dias após o crime, os suspeitos de matarem Luis Fernando foram presos pelo Serviço Reservado da PM (Polícia Militar).

Eles foram levados para o 2º DP (Distrito Policial), que fica na Avenida Mascarenhas de Moraes. A motivação do crime deverá ainda ser investigada pela Polícia Civil.

Foram presos no Nova Lima, Maxuel e Diego. Com o último foi encontrado um revólver calibre 38. Depois da prisão dos dois a polícia identificou um terceiro, que é adolescente. Na casa dele, a motocicleta que teria sido usada no dia do crime e outra arma de calibre 38.

Original em: http://www.midiamax.com

GD Star Rating
loading...

Jovem é assassinado a tiros no Graciliano Ramos

Luciano de Oliveira trafegava em sua saveiro, quando foi executado com vários tiros por criminosos

Veículo onde estava o jovem

O jovem Luciano de Oliveira Silva, de 20 anos, foi assassinado a tiros, na manhã desta quinta-feira (15), no conjunto Graciliano Ramos, em Maceió. O crime ocorreu enquanto ele passava nas imediações da escola Estadual Professora Maria Lucia Lins Freitas, com seu veículo, uma Saveiro de cor branca e placa MUI 2908.

De acordo com informações recolhidas pelo 5º Batalhão da Polícia Militar, um palio de cor verde e placa não anotada encostou o veículo da vítima e os assassinos deflagravam diversos tiros contra a vítima, que morreu na hora. Segundo o cabo Oliveira, foram deflagrados aproximadamente 15 disparos contra a vítima.

Jovem é assassinado a tiros no Graciliano Ramos

Familiares já reconheceram Luciano, mas, até o momento, não há suspeitas de quem teria cometido o crime ou o que o teria motivado. Peritos do Instituto de Criminalística já se deslocaram para realizar as primeiras diligências. O rabecão do Instituto Médico Legal já foi acionado para recolhimento do corpo.

Outras informações dão conta de que a vítima tinha envolvimento com o tráfico de drogas. Teriam participado da execução homens em um veículo Pálio e em um Corsa azul. Neste último, estavam os executores, que seriam ‘amigos’ da vítima e haviam se desentendido com a mesma.

Original em: http://gazetaweb.globo.com/

GD Star Rating
loading...

Arma usada por bandido para assaltar policial na Barra continua desaparecida

Arma usada por bandido para assaltar policial na Barra continua desaparecida. Foto: Reprodução TV.Uma das armas usadas no assalto ao policial militar na Barra da Tijuca, está desaparecida. A pistola ponto 40, de uso exclusivo das polícias do estado, estava no local onde dois ladrões tentaram roubar um cordão de ouro de um policial militar na última segunda-feira, na orla do Recreio dos Bandeirantes, foram mortos durante troca de tiros.

Testemunhas contaram à polícia que, após o tiroteio, um homem se dizendo policial pegou a pistola caída no chão e foi embora. Policiais da 16ª DP (Barra da Tijuca) tentam localizá-lo e apreender a arma para que ela possa, também, ser submetida a exame de balística no Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE).

O laudo ainda não foi divulgado já que até o momento o Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) não recebeu os projéteis retirados dos corpos dos bandidos Marcelo Rodrigues da Silva e Alan dos Santos Delfino e do empresário Antonio Borges, de 70 anos. Uma das armas dos ladrões e uma outra do PM Fábio Magalhães Teixeira também serão analisadas. O cabo entregou à polícia uma pistola calibre 380, que seria sua, e um revólver calibre 38, de um dos ladrões.

Original em: http://www.sidneyrezende.com

GD Star Rating
loading...

Delegado aguarda laudo para ouvir mecânico que invadiu o SAAE

O delegado titular do 1º Distrito Policial de Barretos, Antônio Alicio Simões Júnior, disse ontem ao Jornal de Barretos que aguarda o laudo do Instituto de Criminalística para ouvir o depoimento do mecânico Antonio Benedito Vicente, 49 anos, que no último dia três invadiu a sede Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Barretos (SAAE) para tomar banho. “Estamos na fase de oitiva das testemunhas. Assim que sair o laudo, vamos ouvir o depoimento do mecânico”, afirmou.
Vicente está sendo processado por danos ao patrimônio público. Se for condenado, pode pegar até três anos de detenção. A punição pode ser convertida em pena alternativa.
O mecânico virou notícia nacional depois de derrubar, com o próprio carro, num sábado à noite, o portão do SAAE e entrar no prédio da autarquia para tomar banho. Em depoimento registrado no boletim de ocorrência, Vicente alegou que sua atitude foi em protesto contra a negligência do SAAE e que, na ocasião, há mais de 40 dias estava sofrendo com a falta d’água.
Morador do bairro Dom Bosco, em Barretos, o mecânico reclama que, devido à má qualidade dos serviços prestados pelo SAAE, ele e sua família têm passado inúmeros transtornos. “Só cheguei ao ponto de invadir o SAAE porque o que eles fazem com a população é um desrespeito”, disse.
Vicente garante não estar inadimplente com o SAAE, o que só aumenta a sua indignação. “Não é que eu sofra com a falta de água por não pagar a conta. Eu pago. O problema é que aqui no meu bairro falta água todo dia. Se vier alguém aqui agora, fim de tarde, vai ver que não tem água. Todos os dias é a mesma coisa”, desabafa.
Casado, pai de quatro filhos, com idades que variam de três meses a 17 anos, Vicente disse que, por causa da constante falta de água, voltou a freqüentar o Clube do Rio das Pedras para garantir o banho diário da família.
Mesmo sabendo que está sendo processado, o mecânico disse que está coletando assinaturas no bairro e que vai entrar com ação na Justiça contra a autarquia por perdas e danos.
Original em: http://www.jornaldebarretos.com.br

GD Star Rating
loading...