Capitão que liberou acusado de matar coordenador do AfroReggae nega que tenha omitido socorro

RIO – O delegado da 1ª DP (Praça Mauá) José Luiz Duarte informou que o capitão Denis Leonard Nogueira Bizarro negou, em depoimento prestado nesta quarta-feira, que tenha omitido socorro ao Coordenador de Projetos Sociais do AfroReggae Evandro João Silva, morto após ser baleado em um assalto. O delegado afirmou que vai ouvir o capitão novamente para confrontar a versão inicial com as imagens que foram divulgadas depois do depoimento. As imagens de câmeras de segurança mostram que os policiais do 13° BPM abordaram os assassinos de Evandro logo após o crime. Mas liberaram os criminosos e ficaram com os produtos roubados da vítima. O outro policial envolvido, o cabo Marcos de Olivera Salles, está sendo ouvido na tarde desta quinta-feira.

O capitão disse, segundo o delegado, que escutou um tiro enquanto passava pela Rio Branco na noite de sábado, foi à Rua do Carmo, mas não percebeu que havia uma pessoa baleada na rua. O policial teria retornado para o posto de patrulha da Praça da Candelária, onde um colega teria informado sobre o assalto. O capitão teria voltado para a Rua do Carmo, visto Evandro e solicitado socorro médico para a vítima.

– Estou aguardando o fim dos trabalho dos peritos Instituto de Criminalística Carlos Éboli para divulgar ainda hoje, se possível, a fisionomia dos dois assaltantes. O meu trabalho neste momento é elucidar o latrocínio – disse o delegado José Luiz Duarte .

A questão disciplinar dos PMs está sendo analisada Polícia Militar. O cabo Marcos de Olivera Salles e o capitão Denis Leonard Nogueira Bizarro estão presos administrativamente por 72 horas no próprio 13º BPM (Praça Tiradentes), onde estão lotados.

Original em: http://oglobo.globo.com

Leave a Reply