Dentes arrancados do jovem César Ferreira eram saudáveis

Análise preliminar do Instituto de Criminalística (IC) da Polícia Civil aponta que o estudante César Oliveira Ferreira, 17 anos, tinha dentes saudáveis. É o que revelou ao Correio o delegado-chefe da 5ª Delegacia de Polícia, Laércio Rosseto, que investiga o caso. A conclusão leva em conta as informações dos prontuários médicos do rapaz entregues ao IC na quarta-feira. No mesmo dia, os peritos examinaram César para reunir mais informações que esclareçam a conduta do cirurgião-dentista Wilson Oliveira Santos, que arrancou todos os dentes do jovem em 24 de setembro. A família diz que apenas dois deveriam ser extraídos.

O delegado Rosseto requisitou ao Hospital Regional da Asa Norte que entregue, ainda hoje, todos os dentes extraídos do rapaz - (Daniel Ferreira/CB/D.A Press)

O delegado Rosseto requisitou ao Hospital Regional da Asa Norte que entregue, ainda hoje, todos os dentes extraídos do rapaz

O delegado requisitou ao Hran que entregue todos os dentes do rapaz no prazo máximo de 24 horas. “Tenho certeza de que ele tinha dente saudável. É como se eles fossem um órgão desse rapaz. Quero-os nas minhas mãos o quanto antes”, disse. Os laudos sobre o caso estão sendo elaborados pelo diretor do Instituto de Medicina Legal, Malthus Fonseca Galvão, e devem ser concluídos na próxima segunda-feira.
Pelo menos sete pessoas foram ouvidas na 5ª DP. O delegado não revelou o nome delas. Disse apenas que são integrantes da equipe que atendeu o estudante em 24 de setembro ou que tiveram contato com o rapaz antes, durante e depois do procedimento cirúrgico. São cirurgiões-dentistas, enfermeiros, um anestesista, estagiários e auxiliares de enfermagem. Os depoimentos começaram à tarde e só terminaram às 21h30.

Duas cirurgiãs-dentistas foram as primeiras a deixar a delegacia por volta das 16h. Elas não quiseram dar entrevista. No fim da tarde, outra mulher saiu apressada. Confirmou ter prestado esclarecimentos sobre o caso, mas que não daria entrevista “porque não é hora de falar”. No entanto, o principal depoimento é o do cirurgião Wilson Santos. “Não marquei data, mas ele sabe que tem que comparecer à delegacia. Fiz o primeiro contato hoje (ontem). Estou tratando o caso com urbanidade, mas se for preciso ser coercitivo, eu serei”, afirmou Rosseto.

O pedido do delegado para que a diretoria do Hran entregue os dentes do rapaz chegou à mesa do novo diretor do hospital, João Luiz Arantes (veja matéria ao lado), no início da noite de ontem. De acordo com João Arantes, o Coordenador da Odontologia do hospital, Samuel Junqueira, garantiu que os dentes do rapaz estão com o cirurgião Wilson Oliveira. “Vou informar essa questão ao delegado bem cedo. Estamos à disposição da polícia para ajudar no que for preciso. Como assumi o cargo hoje, não posso dizer o que aconteceu. Mas os integrantes da nossa comissão já reuniram os documentos e vamos esclarecer isso o mais rápido possível”, garantiu.

César, com os pais: %u201CParece que eu vou ter meus dentinhos de novo%u201D - (Reprodução de Tv/Tv Brasília)

César, com os pais: "Parece que eu vou ter meus dentinhos de novo"

Esperança
A família do estudante está otimista. Na noite de ontem, ele conversou com a reportagem por telefone. Contou que foi à
escola visitar os colegas. “Meus amigos perguntaram como estou. Disse que estou bem. Parece que eu vou ter meus dentinhos de novo. É esperar para ver o que vai acontecer”, disse o rapaz, antes de passar o telefone para a mãe.

Maria Aldenora Oliveira, mãe de César, está mais tranquila após receber garantias de que o filho terá o melhor tratamento. “O astral dele está melhor. Ele está mais feliz. E isso é o que mais importa para mim”, comentou. Ela contou da surpresa em ver o governador José Roberto Arruda bater à sua porta na manhã de ontem. “Ele chegou de repente. Garantiu que o César terá tudo de bom e de melhor”, disse.

O governador comentou a visita à família e a posse do novo diretor do Hran durante entrega de ambulâncias na unidade de saúde. “Fiz uma visita, mais de soliedariedade. É uma família muito boa, pessoas muito humildes, trabalhadoras. Acredito que, no plano espiritual, uma criança especial é sempre colocada aos cuidados de uma mãe especial. Fiquei muito emocionado com o depoimento da mãe do menino”, disse. Segundo o governador, o Estado é responsável por reparar o dano feito, “custe o que custar”, e também é responsável por investigar o caso e punir exemplarmente todos os responsáveis, sejam eles quem forem.”

Tristeza

Na tarde de ontem, o Correio conversou por telefone com a mulher do cirurgião-dentista. Ela pediu que seu nome não fosse publicado. Em tom de desabafo, disse que a família está muito abalada com tudo isso e, principalmente, pela forma como o caso tem sido tratado por alguns meios de comunicação. “Só estão vendo um lado dessa história. Meu marido não é esse um monstro. É o melhor homem que eu conheço, bondoso, caridoso e quem o conhece sabe disso.”

Segundo a mulher de Wilson Oliveira, ele está muito triste com tudo isso e tem se consultado com psiquiatra para suportar o julgamento a que está sendo vítima. “Ele não tem condições de dar entrevista. Está muito assustado com a imprensa. Mas, no momento certo, e nas instâncias certas, vamos esclarecer tudo isso”, encerrou. O cirurgião providenciou um advogado e deve comparecer à delegacia nos próximos dias.

Na segunda-feira, o Conselho Regional de Odontologia vai coordenar uma reunião com profissionais de diferentes áreas para discutir qual o melhor tratamento para o estudante. O presidente da entidade, Júlio Cesar, adiantou que todos os exames de risco de cirurgia terão de ser feitos, além de radiografias para descobrir se o rapaz ainda está em fase de crescimento. “Os pais dele vão participar dessa reunião. Vamos dar todo o atendimento necessário para reparar esse dano”, assegurou.

Outra meta do CRO é concluir o processo ético aberto na última segunda-feira em seis meses, no máximo. “Teremos de ouvir o médico, os colegas que trabalharam com ele no dia, o profissional que fazia o acompanhamento do estudante, enfim, vamos avaliar tudo criteriosamente para esclarecer o que houve”, disse.

João Luiz Arantes foi o escolhido para assumir o comando do Hran - (Daniel Ferreira/CB/D.A Press)

João Luiz Arantes foi o escolhido para assumir o comando do Hran

Em meio à polêmica cirurgia que ganhou repercussão nacional, o governador José Roberto Arruda surpreendeu, ontem, ao exonerar o diretor do Hospital Regional da Asa Norte (Hran), Adalberto Amorim. O médico e gestor público João Luiz Arantes foi o escolhido para assumir o posto. O secretário de Saúde, Augusto Carvalho, negou que a troca no comando da unidade tenha ocorrido em função do escândalo. Mas o fato é que, todas as vezes em que João Arantes assumiu um hospital do DF, a unidade de saúde passava por crise.

Foi o caso do Hospital Regional do Gama. Depois de uma auditoria interna em hospitais da rede pública, constatou-se que na unidade do Gama as consultas da cardiologia eram marcadas apenas uma vez por mês, no próprio local, o que gerava uma fila de cerca de 500 pessoas. O número de atestados médicos apresentados por servidores também era considerado alto. Depois, vieram os hospitais de Taguatinga e Ceilândia, que, segundo apontou a auditoria, tinha problemas com descumprimento de horário dos servidores

Atualmente, João Luiz ocupava o cargo de subsecretário de recursos humanos. Ao Correio, ele também negou qualquer relação entre a crise e a troca do posto. “O doutor Adalberto Amorim vinha realizando um belíssimo trabalho. Ele tinha pedido para sair já faz um tempo”, garantiu. Segundo João Arantes, sua meta à frente do Hran é reduzir o tempo de permanência dos pacientes no leito e, assim, dminuir as filas no Pronto Socorro. “Temos outros três pontos importantes: melhorar o acolhimento aos pacientes, otimizar recursos humanos e desenvolver uma política forte de valorização e auto-estima dos servidores”, citou.

Original em: http://www.correiobraziliense.com.br

GD Star Rating
loading...

Acidente deixa motociclista morto na Via Expressa

Trânsito é lento na região

Motocicleta ficou totalmente destruída após acidente

Um acidente entre uma motocicleta e um ônibus desencadeou na morte do motociclista, na manhã desta sexta-feira (23), em frente ao campo do Corinthians, na Via Expressa. O trânsito ficou interrompido e o Instituto de Criminalística foi acionado para realizar as primeiras diligências.

Motorista do ônibus fugiu do local

A vítima foi identificada como Bartolomeu Nunes da Silva e conduzia uma Wuyong 150 cilindradas, placa NMSF 1805, que ficou totalmente destruída, após colidir de frente com um ônibus de um empreiteira de placa JNW 5955. O motorista do ônibus evadiu do local. 

A Polícia Rodoviária Federal também no local para orientar os motoristas a desviarem a rota e tentar descongestionar o trânsito. O Instituto Médico Legal também já foi acionado para recolhimento do corpo.

Original em: http://gazetaweb.globo.com

GD Star Rating
loading...

Policiais civis de Pernambuco anunciam estado de greve

Categoria afirma que não houve reajuste e que a construção da planilha salarial dentro do PCCV e que os agentes estão sobrecarregados pelo Pacto pela Vida

Em Assembleia Geral na última quinta-feira (22), os policiais civis de Pernambuco decidiram entrar em estado de greve. A categoria afirma que não houve reajuste e que a construção da planilha salarial dentro do Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV) foi mais uma vez adiada.

Eles também reclamam que estava sobrecarregada pelo Pacto pela Vida. Em nota, o sindicato informou que os plantões do Instituto de Criminalística (IC) não têm máquina fotográfica para registrar os locais de crimes, e que peritos, médicos-legistas e escrivães trabalhavam exercendo funções que não seriam de sua responsabilidade.

PASSEATA

Está prevista para a próxima quarta-feira (28) uma passeata de protesto, data em que a prorrogação do prazo para construção da tabela do PCCC completa 120 dias, além de ser comemorado o dia do servidor público. Os policiais civis sairão da sede do Sinpol, na rua Frei Cassimiro, em Santo Amaro, seguindo pela avenida Cruz Cabugá, rua princesa Izabel, fazendo uma parada na frente da sede da Polícia Civil e depois se dirigem ao Palácio do Campo das Princesas, onde encerram a passeata.

Original em: http://pe360graus.globo.com

GD Star Rating
loading...

Antena causou explosão em depósito de fogos em SP

SÃO PAULO – O laudo do Instituto de Criminalística de Santo André vai concluir que o conserto na antena foi a causa do início da explosão na loja de fogos no ABC, que deixou dois mortos e 12 feridos, no dia 24 de setembro. O dono do estabelecimento, Sandro Castellani, consertava a antena no telhado, quando o aparelho caiu sobre a fiação elétrica, gerando faíscas que iniciaram a detonação dos explosivos. No dia da tragédia, peritos acharam entre os destroços partes destruídas da antena. Segundo o diretor do IC de Santo André, Nelson Gonçalves, a queda do material metálico, que compunha a antena, gerou faíscas.

Para concluir a investigação, o IC aguarda o resultado de exames que estão sendo produzidos na capital, e que irão apontar a possível interferência de solvente na dimensão das explosões. Peritos trabalham com a hipótese de que a primeira faísca possa ter caído sobre litros do líquido, que eram armazenados em uma oficina mecânica ao lado.

Castellani foi indiciado pelo crime de explosão, lesão corporal, danos materiais e porte ilegal de substâncias inflamáveis.

A Defesa Civil teve de interditar 30 casas num raio de 70 metros do imóvel onde ocorreu a explosão. Vários carros foram atingidos e, segundo testemunhas, um deles chegou a ser arremessado .

Original em: http://oglobo.globo.com

GD Star Rating
loading...

Caso AfroReggae: Patrulha passou duas vezes pelo local do crime

Primeira patrulha da PM passou pela rua no momento do crime, e a outra apenas seis minutos depois / Reprodução de TV

RIO – Uma câmera de vídeo instalada na Rua do Ouvidor, apontada para a Rua do Carmo, registrou duas vezes patrulhas da PM chegando ao local do assassinato do coordenador do AfroReggae, Evandro João da Silva. A primeira passa à 1h22m e entra na Rua do Carmo, provavelmente no horário do assalto. Seis minutos depois, mais uma Blazer da PM entra na Rua do Ouvidor e estaciona na esquina com a do Carmo. Dois policiais saem do veículo em direção à calçada da agência bancária, onde estava o corpo de Evandro. Quatro pessoas que estavam passando pela Rua do Ouvidor também caminharam para o local do crime.

(Assista às imagens das câmeras de segurança do local do crime)
O delegado da 1ª DP (Praça Mauá), José Luiz Silva Duarte, disse nesta quinta-feira que recebeu cinco CDs com vídeos de diversos estabelecimentos comerciais da Rua do Carmo. Os inspetores da delegacia percorreram a via desde a Rua da Assembleia até a esquina com a Rua do Ouvidor, recolhendo as gravações, que foram levadas ao Instituto de Criminalística Carlos Éboli.

José Júnior: Beltrame ficou revoltado

O coordenador-executivo do AfroReggae, José Júnior, esteve nesta quinta-feira à tarde reunido com o secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame. Ele disse que o secretário estava indignado com o que aconteceu a Evandro:

– O secretário chegou a me pedir desculpas. Mas nem precisava. A melhor desculpa que pode ser dada nesse momento é a polícia prender os marginais que assaltaram e balearam o Evandro. Os assassinos não podem ser esquecidos – afirmou.

Segundo ele, a morte do coordenador da ONG causou comoção nos presídios de Bangu II, III e IV e no Talavera Bruce. Desde o início do ano, Evandro atuava no projeto Rebelião Cultural. O AfroReggae e outras ONGs levam atividades como teatro e informática para reduzir a ociosidade dos detentos.

Nesta quinta-feira, uma faixa preta com a mensagem “Estamos de Luto” era exibida na subsede do Afroreggae em Parada de Lucas, que Evandro ajudou a fundar. Pai da vítima, o cozinheiro Inácio João da Silva, de 73 anos, que mora na favela desde os anos 50, disse que pretende processar o estado pela participação dos policiais. Mas quer também que os dois assaltantes, que ainda não foram localizados, sejam punidos:

– O sentimento é de revolta contra os bandidos e os policiais que não o socorreram.
Evandro dividia com Sirlélia Menezes os projetos sociais que atendem a quase 500 crianças, adolescentes e adultos da favela. Ela lembra que os dois tiveram dificuldades para superar a desconfiança inicial. Quando o projeto começou, facções diferentes do tráfico controlavam Parada de Lucas e Vigário Geral. Os moradores viram com desconfiança a entrada do AfroReggae em Lucas já que a ONG havia sido fundada em Vigário.

Original em: http://oglobo.globo.com

GD Star Rating
loading...

Incêndio atinge hotel na região central

Este é o segundo incêndio no mesmo prédio em sete meses. Em março, o fogo destruiu dois quartos da parte da frente do estabelecimento

Adriano Ribeiro / Incêndio começou por volta das 17h30 e o fogo se alastrou rapidamente

Um incêndio atingiu um hotel na região central de Curitiba na tarde desta quinta-feira (22). O fogo começou por volta das 17h30 e destruiu quatro quartos que ficam na parte dos fundos do estabelecimento, localizado na Rua Pedro Ivo. Havia cerca de dez pessoas no local no momento em que o fogo começou, mas ninguém ficou ferido.

O incêndio provocou grande quantidade de fumaça, que tomou conta da rua. O Corpo de Bombeiros foi acionado e isolou área. Um estacionamento e outros estabelecimentos comerciais que ficam próximos do hotel foram fechados, mas as chamas não chegaram a atingir os prédios vizinhos.

Daniel Derevecki /Agência de Notícias Gazeta do Povo / A fumaça tomou conta da rua Pedro Ivo, no centro da cidade

A fumaça tomou conta da rua Pedro Ivo, no centro da cidade

O arrendatário do hotel, Paulo Costa, acredita que um curto circuito tenha dado início às chamas. “Eu ouvi um estouro e vi o fogo começar. Tentei apagar as chamas com três extintores, mas não consegui”, conta.

Os bombeiros não confirmam a causa do incêndio. Peritos do Instituto de Criminalística vão visitar o local para investigar a ocorrência. O hotel no fim da noite de quinta foi interditado pela Comissão de Segurança de Edificações e Imóveis (Cosedi).

Estrutura

A falta de estrutura e a instalação elétrica antiga do hotel colaboraram para o incêndio. “Os cômodos são bem pequenos e a situação do lugar é bem precária”, afirmou o tenente do Corpo de Bombeiros Tiago Zajac, que participou da operação de combate ao fogo.

Segundo Costa, um dos responsáveis pelo local, existem 23 quartos que podem abrigar duas pessoas. O prédio tem dois andares e 300 metros quadrados de área. O custo da diária para cada cômodo é de R$ 15.

A reportagem esteve no local depois que o incêndio já havia sido controlado. Os quartos são pequenos e possuem uma cama. Alguns deles contam apenas com um colchão estendido no chão. Os banheiros são precários e boa parte da fiação elétrica está exposta.

Drogas

De acordo com alguns comerciantes da região, o hotel serve como abrigo para usuários de drogas. Dois oficiais da Polícia Militar (PM) que estiveram no local confirmaram esta informação. Segundo eles, a presença da polícia é constante neste endereço, já que no hotel sempre são localizados pessoas envolvidas com drogas ou com mandados de prisão decretados, além de foragidos da justiça.

Segunda vez

Este é o segundo incêndio no mesmo prédio em sete meses. Em março, o fogo destruiu dois quartos da parte da frente do estabelecimento. As chamas começaram em um dos apartamentos do segundo andar do prédio.

No local foram gravadas cenas do filme paranaense Estômago.

Original em: http://portal.rpc.com.br

GD Star Rating
loading...

Polícia busca suspeitos por morte de líder do AfroReggae

Policiais que liberaram bandidos que atacaram músico estão presos administrativamente desde quarta

Retrato falado de um dos suspeitos de ter matado Evandro João da Silva

DIVULGAÇÃO Retrato falado de um dos suspeitos de ter matado Evandro João da Silva

RIO – A Polícia Civil divulgou o retrato falado de um dos homens que participaram do assalto e morte do coordenador do AfroReggae, Evandro João da Silva. O Instituto de Criminalística Carlos Éboli recebeu as imagens das câmaras para tentar depurá-las e facilitar sua identificação. Ainda não há pistas sobre os suspeitos.

O capitão da Polícia Militar do Rio Dennys Leonard Nogueira Bizarro, 35 anos, e o cabo Marcos de Oliveira Sales, 35, prestaram depoimento e continuam presos administrativamente desde a noite de quarta-feira, 21, acusados de não prestar socorro ao coordenador do AfroReggae.

Os policiais vão responder por liberar os dois bandidos que atacaram a vítima, e por ficar com a jaqueta e o tênis que havia sido roubado. O crime ocorreu na madrugada de domingo, 18, no Centro da cidade. Sem ajuda, Evandro não resistiu e morreu.

A prisão administrativa dos dois policiais vai até sábado, 24. O comando da Polícia Militar, no entanto, informou que pretende pedir a prisão preventiva dos homens. Um inquérito policial militar (IPM) foi aberto e pode resultar na expulsão dos dois policiais, por desvio de conduta.

Original em: http://www.estadao.com.br

GD Star Rating
loading...

Polícia investiga queda de jovem do 10º andar

Um caso semelhante ao da menina Isabella Nardoni, 5 , que foi arremessada da janela do 6º andar do prédio onde morava com o pai e a madrasta, no dia 29 de março de 2008, em São Paulo (SP), aconteceu na madrugada de ontem em Goiânia. A polícia ainda não sabe se Juliana Brandão Lourinho, 19, se atirou, ou se foi jogada pela janela do 10º andar de um condomínio de luxo, no setor nobre da cidade. Indícios de homicídio como sinais de arrombamento em uma das portas do apartamento e a frieza do estudante de fisioterapia Renato Oliveira de Souza, 27 anos, marido de Juliana que estava com ela no momento do fato, levaram a polícia a prendê-lo em flagrante.

A queda misteriosa da jovem aconteceu que por volta de 1 hora e alterou a rotina dos condôminos. “Primeiro, o barulho, estrondoso, por sinal. Depois, o tremor que abalou a estrutura, em seguida, os gemidos, e por fim, a agonização: ‘ai, ai’”, detalha o síndico do prédio, João Carlos Teixeira Bastos, provavelmente, o primeiro a ver Juliana caída de bruços na laje da garagem do prédio. De acordo com a polícia, o casal se conhecia há cinco meses e há três estavam casados. “Os dois eram usuários de droga. Renato disse que antes do crime tinha consumido uma boa quantidade de crack”, contou a delegada Mirian Borges, delegada titular da Delegacia da Mulher de Goiânia (Deam).

Em depoimento, o síndico do prédio contou que a moradora do apartamento 802, piso inferior ao do casal, teria reclamado de brigas no apartamento na noite do crime. Ela teria ouvido rumores de discussão e informou o síndico, o qual afirmou não ter ido até o apartamento para solicitar silêncio. “A reclamação foi por volta da meia-noite”, disse João. Os demais vizinhos disseram não ter ouvido nada, apenas um barulho parecido com uma explosão muito forte. “Eu tenho o sono muito pesado, mas acordei com o estouro. Foi um barulho muito estranho, o prédio tremeu inteiro”, disse uma moradora que não quis se identificar.

A grade de proteção da janela por onde Juliana caiu teria sido cortada com uma tesoura. Noemia Marinho de Oliveira, 52 anos, mãe do suspeito, disse em depoimento que acordou com o barulho, e que foi até a cobertura, onde o casal morava, mas a porta estava fechada. Ela teria chamado pelo casal, mas ninguém respondeu. Posteriormente, ouviu gemidos e desceu até a garagem, onde vizinhos já diziam que havia uma jovem na marquize. Ao voltar para o apartamento, Dona Noemia encontrou a tesoura e um caixote próximo à janela.

Renato, por sua vez, se reservou ao direito de falar apenas em juízo após prestar depoimentos contraditórios à imprensa e à polícia. Primeiro ele disse que teria saído para comprar drogas. Depois que estava sentado na escada fumando crack. As declarações do marido e os indícios encontrados pela perícia no local de crime levaram a polícia outra vez ao prédio na tarde de ontem. A delegada Miriam Borges visitou moradores do prédio.

Familiares de Renato disseram, em depoimento, que Juliana sofria transtorno bipolar e pode ter tido alucinações decorrentes do uso do entorpecente. “A mãe não acredita que o filho tenha atirado a mulher pela janela”, diz a delegada.

Dona Noemia afirmou ainda que o filho é usuário de drogas desde os 13 anos, e já teria sido internado em clínicas de recuperação por oito vezes. Segundo ela, a nora era muito ciumenta e que naquela noite o filho teria levado uma amiga do casal (ainda não identificada) ao apartamento. A versão da mãe foi confirmada pelo porteiro Leandro de Oliveira, 26 anos. “Por volta de 21 horas o Renato chegou ao prédio com uma moça magra, de aproximadamente 1,5 metros, cabelos pretos, longos e lisos”, contou em depoimento. Ainda de acordo com o porteiro, a garota teria saído sozinha do prédio uma hora depois. O casal vivia no segundo piso de uma cobertura duplex com os pais de Renato.

Original em: http://www.hojenoticia.com.br

GD Star Rating
loading...