Família de estudante assassinada aguarda laudos desde 2005

Marcela Medeiros desapareceu após sair da faculdade e seu corpo foi encontrado 21 dias depois

A família da estudante Marcela Medeiros, assassinada em 2005, vive a angústia de sequer saber a causa da morte da jovem.

Marcela tinha 19 anos e havia acabado de entrar na faculdade. Em uma noite de março, quando voltava a pé para casa, a estudante desapareceu. Ela chegou a ligar para os pais horas depois, dizendo que tinha sido sequestrada, mas que já estava livre e perdida no meio do mato. A ligação foi interrompida e o corpo da jovem só foi encontrado morta três semanas depois, na zona rural de Valinhos.

Desde então, as investigações não avançaram. O laudo do Instituto Médico Legal (IML) feito na época foi inconclusivo e não havia explicação sobre como Marcela morreu.

Mais de um ano depois, o Instituto de Criminalística foi questionado pelo delegado responsável pelo caso, que queria saber se havia vestígios de uso de droga ou sinais do DNA de um possível agressor. Novamente a resposta em nada ajudou. A explicação era que tais exames não foram realizados, devido ao avançado estado de decomposição do corpo.

Sem pistas nem suspeitos, o crime ficou sem resposta, mas a família não descansou e pediu uma nova avaliação do caso, mas até agora, nada foi feito, explica a mãe da estudante, Josemeire Ribeiro de Moraes.

Na semana passada, a equipe de produção da EPTV entrou em contato com o IML para saber porque o novo laudo pedido em fevereiro ainda não foi elaborado. Sem o laudo que poderia fornecer uma nova pista, a Delegacia Antisequestro continua com o inquérito parado e sem solução.

A assessoria da Polícia Científica, à qual o IML está subordinado, não deu uma resposta sobre a demora e o prazo para fazer o novo laudo.

Original em: http://eptv.globo.com

GD Star Rating
loading...

Cliente mata um e fere quatro em bar no Batel

Rodrigo Alves Rodrigues, garçom da casa noturna, chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. O motivo do crime seria uma discussão entre o cliente e o segurança do local

Uma pessoa morreu e quatro ficaram feridas num tiroteio em um bar no bairro Batel, em Curitiba, na madrugada desta segunda-feira (2). O atirador é um cliente que teria discutido com um segurança do estabelecimento. Rodrigo Alves Rodrigues, 29 anos, garçom da casa noturna, chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. O autor dos disparos já foi identificado e está preso. Duas pessoas foram ouvidas pela polícia e liberadas em seguida.

De acordo com a polícia, Leandro Maggioni, 26 anos, estava no bar acompanhado por dois amigos. Quando deixava o local, por volta das 4 horas, foi informado por um segurança que não poderia deixar o estabelecimento levando a garrafa de cerveja que tinha nas mãos.
Em entrevista ao telejornal ParanáTV 1ª edição, o advogado do bar, Fernando Navarro, disse foi fornecido um copo para Maggioni, mas ele não aceitou. “Ele jogou a garrafa no chão e foi embora sem conflito. Cerca de uma hora depois ele voltou com o carro e da calçada atirou para dentro do bar”, contou o advogado ao telejornal.

O delegado Hamilton da Paz, titular da Delegacia de Homicídios, disse que as imagens das câmeras do circuito interno de segurança do bar ajudaram na identificação de Maggioni. O autor dos disparos foi detido por volta do meio-dia em Araucária, na região metropolitana. Na casa dele a polícia encontrou uma pistola 9 milímetros, de uso restrito das forças armadas.

Outras duas pessoas que acompanharam o acusado até o momento em que ele foi embora do bar depois de brigar com o segurança foram encaminhadas à delegacia para serem ouvidas. Segundo Paz, elas não estavam com Maggioni na hora dos disparos. “Foi um desentendimento fútil que resultou em uma tragédia que era impossível de ser prevista. Agora ele irá pagar pelo crime que cometeu”, afirma o delegado.

Maggioni já havia sido preso por roubo e foi solto há apenas três meses. Ele também possui passagens por receptação. O acusado deve responder por homicídio triplamente qualificado, por quatro tentativas de homicídio, além de porte de arma de uso restrito.

Original em: http://portal.rpc.com.br

GD Star Rating
loading...

Polícia investiga “gatos” e crime como causas de fogo em SP

Bombeiros trabalham no rescaldo do incêndio que destruiu ao menos 30 barracos em Paraisópolis Foto: Reinaldo Marques/Terra

Bombeiros trabalham no rescaldo do incêndio que destruiu ao menos 30 barracos em Paraisópolis

A Polícia Civil do 89° Distrito Policial (Portal do Morumbi) investigará o incêndio que destruiu ao menos 30 barracos em Paraisópolis, na zona sul de São Paulo. Segundo o delegado Celso Lahoz Garcia, a perícia deve apontar indícios que determinem as causas do princípio do fogo. “O trabalho do Instituto de Criminalística e os depoimentos de moradores devem fornecer elementos para chegarmos aos responsáveis”, disse.
Em meio à fumaça que ainda subia das ruelas da favela, por volta das 10h, as ligações elétricas clandestinas, os chamados “gatos”, eram cortados por técnicos da companhia de energia de São Paulo (Eletropaulo). A intenção era evitar novos curtos durante o trabalho de rescaldo. Bombeiros que faziam o esforço de resfriar os escombros para evitar o incêndio acreditavam que as ligações clandestinas poderiam ser a causa.
“O gato é uma das possibilidades, mas não descartamos um incêndio criminoso”, disse um capitão dos bombeiros que preferiu não se identificar. Segundo o oficial, o espaço em Paraisópolis é muito disputado pela localização e incêndios são uma forma de dar espaço para novos moradores. Alguns habitantes da favela, que preferiram também guardar anonimato, afirmaram que desde sábado focos de incêndio são contidos.
O prefeito Gilberto Kassab (DEM) esteve presente no local. Ele disse que o objetivo é acomodar ainda hoje as vítimas em abrigos e fornecer agasalhos e alimentação. Segundo ele, o ponto da favela que se queimou ainda não foi beneficiado pelos trabalhos de urbanização da prefeitura. Até o final de sua gestão, em 2012, o prefeito afirmou esperar ter completado o trabalho de urbanização da favela.

Original em: http://noticias.terra.com.br

GD Star Rating
loading...

Catador encontra feto de 6 meses no Ipsep

Feto de aproximadamente 6 meses estava no saco plástico

Feto de aproximadamente 6 meses estava no saco plástico

Um feto de aproximadamente 6 meses foi encontrado na manhã desta segunda-feira (2) por um catador de lixo na Praça Mauricéia, no Ipsep, Zona Sul do Recife.

O catador, que revirava o lixo no início da manhã, encontrou uma bolsa plástica por volta das 7h30. Ao abrir, pensou que se tratava de um animal. Só depois percebeu que era uma criança formada. Ele entrou em contato com a Polícia Militar que foi até o local.

Até as 10h, o Instituto de Criminalística (IC) ainda não havia chegado à praça.

Policiais militares informaram que a ocorrência será registrada como encontro de cadáver e será investigada pela Delegacia do Ipsep.

Original em: http://jc.uol.com.br

GD Star Rating
loading...

Operação policial conjunta fechou de novo a mesma casa de jogos de azar

Terça-feira, dia 27, por volta das 15h30, em operação conjunta, a Polícia Civil, a Polícia Militar e a Guarda Municipal se dirigiram à Rua Benedito Leite, na Estância Lynce, para verificarem denúncia que no local estaria funcionando um casa de jogos de azar (bingo), pois em 22 de setembro já havia sido deflagrada uma operação para coibir a prática de jogos de azar, quando no mesmo endereço foram apreendidas inúmeras máquinas, quando então Victor Flávio Alves Barbosa apresentou-se como proprietário da residência.

Ao adentrarem na casa, pois havia denúncia anônima de que Victor estaria novamente explorando jogos de azar, os policiais encontraram duas pessoas jogando, mas que não souberam declinar o nome do proprietário do estabelecimento. As pessoas que estavam jogando informaram que pouco antes da entrada da polícia, um casal fugiu pelos fundos, sendo os prováveis responsáveis pela manutenção do local.

O delegado Hermes Jun Nakashima compareceu ao local, juntamente com peritos de Instituto de Criminalística de Bragança Paulista, que constataram o funcionamento das máquinas. O delegado Hermes determinou a apreensão de vários documentos encontrados no local, bem como monitores de vídeo, CPUs, cadeiras e escrivaninhas.

Original em: http://www.atibaianews.com.br

GD Star Rating
loading...

Homem é assassinado a tiros em Olinda

O auxiliar de serviços gerais Reginaldo Santos Souza, 30 anos, foi assassinado a tiros na madrugada de ontem, num manguezal que fica na Avenida Panordestina, no Complexo de Salgadinho, em Olinda. Segundo familiares, ele não era ex-presidiário e nem tinha envolvimento com drogas. A polícia ainda está investigando a autoria e a motivação do crime.

O delegado Francisco Júnior, que estava de plantão na Força-Tarefa Norte do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), coordenou as investigações preliminares do caso. Segundo o agente policial Derivan Alves, existem várias hipóteses para o que possa ter acontecido.

“Os parentes disseram que Reginaldo era homossexual, mas não sabiam se ele fazia programa. Mas sabemos que o local onde o corpo foi encontrado é usado para prostituição. Existe ainda a suspeita de latrocínio, já que roubaram bicicleta, camisa e sandálias da vítima”, informou o agente Derivan Alves. Ainda não existem pistas de quem possa ter cometido o assassinato.

O homicídio atraiu a atenção de diversos curiosos, que foram até o local observar os procedimentos policiais. Soldados do 1º Batalhão da Polícia Militar (BPM) fizeram o isolamento da área até a chegada dos peritos criminais do Instituto de Criminalística (IC).

Uma das irmãs do auxiliar de serviços gerais, Vera Lúcia dos Santos, 40 anos, estava muito abalada com a morte de Reginaldo. “Ele era uma pessoa querida e não tinha problema com nada nem ninguém. Gostaria muito de saber o que houve e por que ele estava aqui”, declarou. A vítima teria sido vista pela última vez por volta das 2h30, quando estava no Bar da Piscina, em Salgadinho. Como ele não retornou para a residência, os familiares ficaram aflitos.

O corpo foi submetido a uma perícia técnica e, em seguida, encaminhado para o Instituto de Medicina Legal (IML), no bairro de Santo Amaro, no Recife, onde vai ficar à disposição dos parentes para liberação e velório.

Original em: http://www.diariodepernambuco.com.br

GD Star Rating
loading...

Homem é assassinado no Tabuleiro

Na noite deste domingo, 1º, um homem não identificado, foi morto a tiros na Favela da Coca-cola, no Tabuleiro.

Segundo informações do 5º Batalhão da Polícia Militar, a vítima não é conhecida no local e não há informações sobre o autor do crime. O corpo encontrava-se jogado em um lixão da comunidade.

Uma equipe do Instituto de Criminalística foi ao local para colher mais informações sobre o caso.

O corpo será encaminhado ao Instituto Médico Legal para necropsia e, em seguida, liberado para sepultamento.

Original em: http://www.alagoas24horas.com.br

GD Star Rating
loading...