Novos peritos reforçam atuação e ampliam serviços

O Instituto de Criminalística (IC), ligado à Coordenadoria-Geral de Perícias (CGP), recebeu em outubro 33 novos peritos criminais, que passarão a atuar em seus diversos núcleos, na capital e no interior. Os novos policiais civis terminaram a academia em setembro, e no começo de outubro receberam a nomeação do governador André Puccinelli.

Pela primeira vez, o concurso público para as vagas de perito criminal dividiu os candidatos por sua formação superior específica, segmentando a atuação de cada profissional e permitindo que o IC desenvolva novas atividades dentro de sua área.

“Os novos peritos vieram reforçar os núcleos de perícia em informática, audiovisual forense e contábil. As áreas de informática e audiovisual são algumas das mais requisitadas dentro do Instituto, e a contábil é inédita no Estado”, comenta Orivaldo José da Silva Júnior, diretor do IC.

Na perícia de informática, os profissionais analisam provas em crimes como pedofilia na internet, roubo de senhas, ofensa pessoal em sites de relacionamento, desvio fiscal, e jogos eletrônicos. Sobre audiovisual, as análises podem ser feitas em gravações de câmeras de segurança e escutas telefônicas.

“Hoje a tecnologia é uma forte aliada do perito criminal. Estamos recebendo um equipamento que recupera dados de discos rígidos de computadores (os chamados HDs), mesmo que ele tenha sido danificado ou formatado”, complementa Orivaldo.

O núcleo de perícia contábil, muito útil na investigação de crimes financeiros em nível estadual, deve começar a funcionar em março de 2010. Outra área a ser desenvolvida no IC é a perícia ambiental, para tratar dos crimes contra o meio ambiente, como pesca predatória, derrubada de florestas, queimadas e outros delitos.

Orivaldo relata que os novos peritos passam por um período de adaptação até o final do ano. “Os profissionais vão para a academia cheios de teoria da universidade. E na academia, recebem os preceitos principais, mas é na vivência do dia-a-dia que eles aprendem como fazer e se comportar”, diz o diretor.

Segundo ele, os peritos recebem noções sobre ética e responsabilidade, e sobre seu papel dentro das investigações da polícia. “A resolução de um crime é resultado de um conjunto de ações. Qualquer situação ou prova que não for coletada corretamente, pode prejudicar na solução do fato”, explica Orivaldo.

Além de Campo Grande, 19 peritos foram destacados para o interior, em cidades polo, como Dourados, Três Lagoas, Corumbá, Ponta Porã, Naviraí, Aquidauana, Jardim, Coxim, Paranaíba, Nova Andradina e Fátima do Sul.

Original em: http://www.msnoticias.com.br

GD Star Rating
loading...