Casa deve passar por perícia após explosão em São Caetano

O coordenador da Defesa Civil de São Caetano, Carlos Eduardo Barbi, informou que a casa que explodiu na manhã de domingo foi interditada. Ele contou que a parte da frente do local, além de ter ficado quase completamente destruída, deve estar condenada. Porém, apenas depois da perícia do IC (Instituto de Criminalística) da polícia, a informação poderá ser confirmada pelos técnicos da Prefeitura. Segundo Barbi, os fundos da casa não foram tão prejudicados, porém, em um dos quartos, o teto ameaçava ceder.

A Defesa Civil interditou ainda a casa ao lado da residência mais atingida, segundo Barbi, apenas para a preservação do local para a perícia.

O coordenador informou que a vítima sofreu queimaduras de segundo grau nos braços e no rosto e de primeiro grau nas pernas. Segundo Barbi, a idosa deve ficar internada na UTI até terça-feira, em observação.

Apenas com a roupa do corpo e sem objetos pessoais, tanto a filha da aposentada, Rosângela Fernandes, 51, quanto a neta Luz, 20, deverão contar com a solidariedade da vizinha Nésia Carrilho. “Elas são como irmãs para mim”, justificou.

BOMBEIROS – Rosângela Fernandes criticou a suposta demora na chegada de uma viatura do Corpo de Bombeiros ao local do acidente. “Os bombeiros demoraram 25 minutos para chegar. Foram os vizinhos que ajudaram a apagar o fogo, com mangueiras e baldes. Quando eles (os bombeiros) chegaram, as chamas já haviam sido extintas”, comentou Rosângela.

O Cobom (Centro Operacional do Corpo de Bombeiros) informou que ocorrências como essa são tratadas de modo emergencial, e que a demora no atendimento deve-se ao intervalo entre o início do incêndio e a chamada telefônica.

Original em: http://home.dgabc.com.br

GD Star Rating
loading...

Após acidente, obra do Rodoanel ficará suspensa por 15 dias

Paralisação será feita para trabalho de peritos no local.
Queda de vigas sobre a Régis Bittencourt deixou três feridos na sexta.

A obra de ligação dos trechos Sul e Oeste do Rodoanel vai ficar parada por 15 dias após três vigas de um viaduto em construção no Trecho Sul desabarem sobre a pista da Rodovia Régis Bittencourt. A interrupção das obras vai ocorrer enquanto os peritos do Instituto de Criminalística e do Instituto de Pesquisas Tecnológicas investigam o que provocou o acidente ocorrido na sexta-feira (13).
Dois carros e um caminhão foram atingidos por toneladas de concreto. Os três motoristas sobreviveram. Dois deles continuam internados em observação.

A estudante de administração Luana Coradi foi a primeira a ter alta. Feliz por ter escapado com vida, ela não pensa em passar pelo local do acidente de carro tão cedo. “Só depois que estiver certo que elas [as vigas] não vão mais cair, aí eu passou. Mas eu não vou testar, não vou ser teste não”, afirmou a jovem.

O trecho onde ocorreu o acidente, no sentido São Paulo da rodovia, na região de Embu, na Grande São Paulo, é o principal caminho para a jovem. O carro no qual ela estava ficou destruído e teve que ser retirado da pista com um guincho.

Cada uma das três vigas do viaduto que vai passar por cima da rodovia tinha 45 metros de comprimento e pesava 85 toneladas. Elas desabaram quatro dias depois de terem sido colocadas.

O governo do Estado de São Paulo informou que o consórcio responsável pelas obras do Rodoanel terá de indenizar as vítimas, se ficar comprovada a responsabilidade das empresas no acidente.

Irregularidades

O secretário de Transportes de São Paulo, Mauro Arce, afirmou na noite de domingo (15) que “tem certeza de que o acidente no Rodoanel não foi causado pelo uso de uma viga pré-moldada”.

Segundo relatório do TCU (Tribunal de Contas da União) de setembro, com o objetivo de baratear custos, o consórcio formado pelas empreiteiras OAS, Mendes Júnior e Carioca usou vigas pré-moldadas não previstas para os novos viadutos.

No projeto básico, eram fundações de concreto conhecidas como tubulões, mais caras. A troca foi uma das 79 irregularidades classificadas como “graves” pelo TCU. As auditorias foram realizadas em 2007 e 2008, nos cinco lotes da obra.

Arce disse que, após o relatório, o TCU enviou uma série de perguntas para a Dersa explicar e todos os pontos foram esclarecidos. “Eu mesmo participei de quatro reuniões acompanhando os técnicos da Dersa. Uma equipe do TCU extremamente capacitada foi enviada e o assunto foi resolvido. Já com a participação do MPF, um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) foi firmado e o TCU entendeu que as explicações foram satisfatórias”, afirmou.

Arce disse também que as outras 2.380 vigas do Rodoanel serão vistoriadas e, dependendo do resultado, o governo adotará medidas. Mas adiantou que as vigas de cada parte da obra “não foram feitas pela mesma empresa” nem “transportadas de modo igual”.

Original em: http://g1.globo.com

GD Star Rating
loading...

Trânsito mata 1.400 por ano

Feridos chegam a 92,1 mil desde 2002. Ontem, Governo Federal iniciou campanha sobre o Dpvat, seguro da vítima

A estatística de acidentes de trânsito no Ceará revela números de uma carnificina. Desde 2002, 10.483 pessoas já morreram nas ruas, avenidas e rodovias do Estado, segundo dados do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), atualizados até o último mês de agosto. A média de mortes chega a 1.398 vítimas fatais por ano, entre 2002 e 2008.

O total de feridos em acidentes de trânsito entre 2002 e agosto último chega a 92.140 pessoas, ou 11.992 vítimas não-fatais por ano. Ao todo, foram registrados 243.480 acidentes no período citado. A estatística do Detran inclui dados obtidos com outros órgãos como Polícia Rodoviária Federal (PRF), Autarquia Municipal de Trânsito de Fortaleza (AMC), Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops), Comando do Policiamento do Interior, Instituto Médico Legal (IML) e Instituto de Criminalística.

Familiares de vítimas fatais de acidentes de trânsito, inválidos parciais ou permanentes e acidentados que tiverem despesas com hospitais, médicos, remédios e fisioterapia têm direito a receber o Seguro Dpvat (Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre). No entanto, apenas uma minoria da população tem conhecimento desse direito. Para mudar esse quadro, o Governo Federal iniciou ontem campanha publicitária de esclarecimento sobre o benefício.

No Ceará, o Sindicato dos Corretores de Seguros, Capitalização, Previdência Privada e de Empresas Corretoras de Seguros do Ceará (Sincor-CE), atende gratuitamente aos beneficiários do Dpvat. De acordo com o presidente , Manoel Nésio Sousa, cerca de 40 pessoas por dia solicitam o seguro junto ao sindicato, das quais apenas duas ou três chegam com a documentação completa. Outro esclarecimento é que o dono do carro não precisar ter pago o DPVAT para que as vítimas do acidente recebam o benefício.

Saiba mais

Óbito

O valor é de R$ 13.500, divididos igualmente entre o cônjuge e os filhos. Para requerer, os beneficiários devem apresentar boletim de ocorrência, atestado de óbito da vítima e CPF, RG e certidão de nascimento ou casamento da vítima e do requerente.

Invalidez

O valor do seguro pode chegar a até R$ 13.500, dependendo das sequelas, além dos documentos anteriores, laudo médico descrevendo as lesões.

Assistência médica

Até R$ 2.700 por vítima, conforme a soma das despesas médicas. Documentos bases

Mais informações
Sincor-CE. Perboyre e Silva, 111, sala 606, Ed. Alvorada – Centro. 3226.1328 Segunda a sexta, de 8h às 14h

Original em: http://diariodonordeste.globo.com

GD Star Rating
loading...