Perícia analisa fios de cabelo e pelos achados em Hilux

Estará pronto na próxima segunda-feira (22)  o resultado do laudo pericial do local do crime onde foram mortos os quatro chineses, encontrados no domingo (7), em uma estrada carroçável, em Macaíba, região metropolitana da capital. A Tribuna do Norte, com exclusividade, antecipou o resultado do laudo. Adamo Luiz Costa Batista, perito criminal do Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep) irá assinar o documento que pode ajudar a polícia a preencher algumas lacunas.

Nem dentro nem fora do veículo foram encontradas marcas de tiros. Havia vestígios de sangue

De acordo com o perito, infelizmente, não foram encontradas impressões digitais  na caminhonete Hilux  que pudessem ajudar a polícia a chegar, com mais facilidade até aos assassinos.

No veículo, o perito localizou fios de cabelo e pelos. “Os fios eram pretos e compridos, provavelmente, das próprias vítimas. Encaminhei para análise”.

Nem dentro, nem fora do carro foram encontradas marcas de tiros. Vestígios de sangue foram localizados na lataria da caminhonete (do lado de fora). “Foram algumas gotículas de sangue”.

A caminhonete foi encontrada próxima dos corpos. “Isso nos mostra que as vítimas foram executadas fora do veículo”. Também não foi localizado nada na caminhonete que leve a perícia a acreditar que houve luta corporal, entre, criminosos e vítimas.

Quanto à arma utilizada para matar as vítimas, como a Tribuna do Norte havia publicado, anteriormente, foi mesmo um revólver de calibre compatível com um 38.

Apesar de ter sido divulgado na imprensa que  o local do crime havia sido limpo pelos criminosos, após a execução das vítimas, o laudo revela, exatamente, o contrário. “Foram encontrados vários projéteis. Um dos fragmentos de uma das balas estava localizado no soutien  de uma das mulheres”.

Questionado se os chineses teriam sido torturados antes de morrer, Adamo  Luiz desconsidera esta possibilidade. “Não encontramos nada que nos levasse a levantar esta possibilidade. Nenhum objeto contundente”. Mas, o perito afirmou que o estado de putrefação dos corpos prejudica algum tipo de análise mais aprofundada. “Com o estado dos corpos em decomposição, alguns detalhes podem ter sido  mascarados”.

A Hilux de cor prata e placas, NNP/ RN 8866 era conduzida por  Jin Warguai, 39, proprietário do veículo e, segundo fontes da Tribuna do Norte, era ele que estava de posse de uma grande quantia em dinheiro, cerca de US$ 100 mil.

Wangay e Zhon Maozlen, 36 eram donos da loja, JMF Variedades, no Alecrim. Já o casal Lixong Lin, 36, Zhang Haiyan, 38 eram proprietários da loja Gold Sol, também  no Alecrim. Na  tarde de ontem, ambas as lojas continuavam fechadas.

O delegado Ronaldo Gomes, titular da Delegacia Especializada em Investigação ao Crime Organizado (Deicor) que preside o inquérito policial onde se apura a morte dos chineses irá receber o laudo na segunda-feira pela manhã.

De acordo com informações da polícia, agentes da Deicor continuam investigando o crime. Há informações de que a polícia já possui alguns nomes de possíveis suspeitos.

Original em: http://tribunadonorte.com.br

Leave a Reply