Polícia deve fazer reconstituição da morte de turista alemã na semana que vem

RECIFE – A polícia de Pernambuco quer fazer a reconstituição da ação que terminou com a morte da turista alemã Jennifer Marion Nadja Kloker, de 23 anos, antes mesmo de ter suspeitos pelo crime. A reconstituição deve ocorrer na semana que vem, mas o dia não foi marcado. Jennifer foi encontrada morta na manhã da última quarta-feira, na BR-408, entre o bairro do Curado e a cidade de São Lourenço da Mata. O corpo da vítima trazia quatro tiros na barriga.

A jovem estava casada há cinco anos com Pablo Tonelli, que nasceu em Pernambuco mas tem nacionalidade italiana. O casal estava com o filho de 2 anos em visita a parentes e voltaria no dia 20 de março para a Itália.

Na noite de terça-feira de carnaval, segundo a família, eles voltavam do Terminal Integrado de Passageiros (TIP), onde foram comprar passagens para João Pessoa, na Paraíba, quando dois homens em uma moto abordaram o veículo, por volta das 21h, pouco depois do TIP, no cruzamento da BR-408. Um dos criminosos teria entrado no carro e mandado que eles seguissem a moto. Mais adiante, ele ordenou que todos saíssem do carro, menos Jennifer, que permaneceu dentro do veículo.

– Eu disse para o meu marido que era um assalto e pedi calma. Ela [Jennifer] perguntando o que se passava, o que se passava e já foi ficando nervosa, gritando. O [criminoso] que estava dentro do carro com o revólver apontado para minha direção disse que era para meu filho seguir aquela moto; em determinado momento, ele mandou a gente parar e minha nora, quanto mais a gente pedia calma, mais ela gritava. Ela tentou se agarrar com meu filho, o bandido pegou ela pelo cabelo e disse para a gente ir embora andando, sem olhar pra trás, e ela ficou no carro – diz a sogra da vítima.

O carro foi encontrado em São Lourenço da Mata e o Instituto de Criminalistica (IC) colheu impressões digitais que poderão ajudar a identificar os assassinos. A polícia não descarta a possibilidade do crime ter sido motivado por vingança, envolvimento com drogas ou ter caráter passional. A versão da família, de que Jennifer foi vítima de latrocínio – roubo seguido de morte – também está sendo investigada.

– Vamos investigar se pode ter sido crime passional, uma ameaça ou tráfico de drogas. Vamos checar todas as informações trazidas para os autos, para só então dar um resultado – disse o diretor de Operações da Polícia Civil, Osvaldo Moraes.

A direção de Operações da Polícia Civil já encaminhou ao Consulado Italiano no Recife um pedido de informações para saber a situação do casal no país em que viviam. Jennifer Kloker trabalhava como cabeleireira na Itália. O viúvo, a mãe e o padrasto dele, que estavam juntos no momento da abordagem da dupla criminosa, já prestaram depoimento.

Original em: http://oglobo.globo.com

Leave a Reply