Sogra da turista alemã Delma Freire falou sobre a prisão dos parentes

Ela confirmou a inocência dela, do filho e do marido; os dois últimos são acusados de assassinar Jennifer klocker há 15 dias, em São Lorenço da Mata

A polícia afirma que falta pouco para terminar as investigações do assassinato da turista alemã. O crime completa, nesta terça-feira, quinze dias. A família diz que a jovem foi morta depois de um assalto, mas os delegados têm dúvida.

Jennifer klocker era mãe de um menino de três anos. A sogra da turista alemã, Delma Freire, estava no local do crime. Ela conversou com a equipe do NETV e falou sobre as provas da polícia que levaram à prisão do filho e do marido. Os dois estão numa cela do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) há quase uma semana.

A sogra da turista alemã conversou com a repórter Karla Almeida. Delma Freire falou sobre as investigações e defendeu que ela, o filho e o marido são inocentes. Eles não estariam envolvidos na morte de Jennifer Klocker. A jovem de 23 anos foi assassinada com quatro tiros na Terça-Feira de Carnaval.

“Eu estava sim na cena do crime com o meu neto e tudo que eu vi, contei à polícia”, disse afirmando que presenciou apenas o assalto. Sobre o fato de o GPS ter mostrado um itinerário diferente do que o dito pela família, ela nega que o caminho tenha sido desviado para a casa de um primo dela, no Curado.

Ela questionou o motivo pelo qual a polícia não prendeu Fábio e Ferdinando Tonelli logo depois do exame do Instituto de Criminalística ter encontrado resíduos de pólvora nas mãos deles. “Eu estava no dia em que eles fizeram. Outra pessoa também fez. Se deu positivo, porque a polícia não prendeu eles logo?”, falou.

A sogra confirmou que não sabia da existência do seguro de vida da vítima e disse, ainda, não saber o motivo pelo qual uma pessoa mataria a nora dela. “Eu estou com a consciência tranquila.”

A polícia diz que não pediu à Justiça a prisão temporária de Delma Freire, porque, por enquanto, não há indícios de que ela participou da morte da turista alemã. Na tarde desta segunda (1°), os policiais ouviram quatro homens: três soldados e um sargento do Corpo de Bombeiros que voltavam de uma operação no município de São Lourenço da Mata e teriam visto pessoas paradas às margens da BR-408 pedindo ajuda.

Como o pneu do carro dos bombeiros estava furado, eles pediram apoio, por rádio, à Polícia Militar. O delegado Alfredo Jorge e os representantes do Corpo de Bombeiros não quiseram falar sobre os depoimentos.

Original em: http://pe360graus.globo.com

Leave a Reply