Polícia ainda aguarda laudos do IC e do IML para concluir inquérito

A Polícia Civil de Pernambuco ainda aguarda os laudos do Instituto de Criminalística e do Instituto de Medicina Legal (IML) para dar seguimento às investigações sobre a morte da estudante de enfermagem Ionara Félix da Silva, 25 anos. Ela foi encontrada morta com um tiro na cabeça em um motel em Ouro Preto, Olinda.

Nessa sexta-feira (26), Gleide Ângela, delegada do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) vai até ao local, a suíte do motel Status. O PM João Bosco de Lima Costa Júnior e o garçom Jeimison Marcelo da Silva Silvestre, e duas amigas, Thalita Maryah Sodré Barbosa e Dinah Cintia de Souza Santos serão ouvidos novamente amanhã.

Eles estão presos pelo crime de ocultação de cadáver. A estudante Dinah Cintia de Souza Santos é tida como a autora do disparo. A Polícia Civil tem até a próxima segunda para concluir o inquérito.

O CASO – Ionara entrou no motel com dois primos, o PM João Bosco de Lima Costa Júnior e o garçom Jeimison Marcelo da Silva Silvestre, e duas amigas, Thalita Maryah Sodré Barbosa e Dinah Cintia de Souza Santos. A suíte nº 5 era a terceira parada do grupo, que já tinha passado por uma calourada na Funeso, em Olinda, e por um bar em Maranguape I, Paulista.

É que pairam dúvidas sobre o que aconteceu no motel. Os quatro envolvidos sustentam a tese de que Ionara teria cometido suicídio. No entanto a polícia não descarta a hipótese de homicídio. Nas mãos de Dinah, uma das mulheres presas, peritos encontraram vestígios de chumbo, o que pode indicar que tenha disparado a arma. O revólver pertence ao policial militar João Bosco de Lima Costa Júnior, 28, primo da vítima e um dos detidos.

Original em: http://jc.uol.com.br

Leave a Reply