Segurança Pública de Rondônia e Mato Grosso Fazem parceria formal no combate e repressão ao crime

O Termo de Cooperação Interestadual entre os Estados de Rondônia e de Mato Grosso, é um marco importante na atuação da Secretária de Segurança Defesa e Cidadania do Estado de Rondônia (SESDEC). O evento de assinatura do documento entre o secretário de Segurança Pública Defesa e Cidadania de Rondônia, tenente coronel PM Evilásio Silva Sena Junior e o Secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública de Mato Grosso, Diógenes Curado Filho, ocorreu na última terça feira, em Vilhena.
O Documento tem por objetivo o desenvolvimento integrado dos dois Estados nas ações policiais preventivas e repressivas, como ainda nas atuações ostensivas e investigativas nas atividades da Polícia Civil e Militar, Corpo de Bombeiros e Perícia Oficial.

“A união dos Estados vai fundir a estratégia de operações conjuntas, principalmente nas regiões de fronteira, facilitando consultas de banco de dados sobre criminosos, mandados de prisão, bem como a criação de núcleos de ação contra drogas nas delegacias regionais, disposição de pessoal e equipamentos, viaturas e armamento durante operações integradas, são apenas alguns dos acordos citados no Termo de Cooperação, envolvendo ainda a troca de vagas em Curso de Formação e Especialização na área da Segurança e Trabalho Operacional e de Inteligência em Conjunto”, disse o major PM Wankley Correa Rodrigues, Secretário Executivo do Gabinete de Gestão Integrada de Mato Grosso, em seu breve relato sobre o objetivo do Documento.

De acordo com o Secretário de Segurança Pública Defesa e Cidadania do Estado de Rondônia, tenente coronel PM Evilásio Silva Sena Junior, “a agilidade das policiais, que estamos conquistando com esse passo firmado entre os dois Estados é fundamental quando nas situações de fechamento de barreiras ou divisas fronteiriças e nos casos em que a operações exigir uma rápida e eficaz ação”, afirma.

O Termo também permite a expedição de carta precatória entre os delegados regionais de ambos estados nas cidades competentes da região de fronteira no combate ao crime organizado, e a utilização de serviços de Perícia Oficial para fins de sequência investigativa, bem como salvamentos e combate a incêndios pelo Corpo de Bombeiros Militar, visando à preservação da vida e patrimônio.

“Esse Documento vem firmar o que estamos fazendo na prática há algum tempo, representando um novo tempo na união de esforços dos dois Estado no Combate á Violência, além da parceria que é de suma importância no combate ao tráfico de drogas e armas. Mato Grosso e Rondônia tem os mesmos problemas, enfrentam as mesmas dificuldades em relação à segurança pública. Sabemos que muitas vezes o crime que ocorre no nosso Estado migra para Mato Grosso e, com nossos serviços de inteligência trabalhando em conjunto, nosso trabalho de combate e repressão ao crime ganha mais poder agindo juntos nas prisões e operações”, falou Sena

Sena lembrou ainda a experiência exitosa de Mato Grosso com o Grupo Especial de Segurança de Fronteira (Gefron). “Estamos criando em Rondônia essa polícia especializada e vamos unir forças para aprender com a experiência desse grupamento, que é modelo a nível nacional para criação do Policiamento Especializado de Fronteira (Pefron)”, ressaltou.

O delegado, Diógenes Curado Filho, secretário de Justiça e Segurança Pública do Estado do Mato Grosso, em seu discurso ressaltou que agora as duas frentes de Segurança dos Estados, estão legalizando em documento o que já vinham desempenhando de maneira informal.

“Através desse Termo, que é abrangente, vamos começar a elaborar os convênios específicos para a realidade de cada uma das instituições ligadas à segurança pública, para que cada uma delas possa trocar informações do que está sendo feito em seu Estado, numa ajuda mútua”, disse o secretário do Estado do Mato Grosso completando que, “é importante destacar que temos uma fronteira extensa entre Mato Grosso e Rondônia, que necessita de uma atuação conjunta na área da segurança pública. Precisamos dessa integração e era necessário que ela fosse institucionalizada”.
Diógenes Curado Filho fez questão ainda de ressaltar a atuação conjunta entre as polícias de Rondônia e Mato Grosso na elucidação do último assalto a banco ocorrido no município de Comodoro. “Esse é um dos exemplos positivos dessa parceria. Tivemos apoio da polícia de Vilhena, Ji-Paraná e ainda da polícia do Pará nessa ocorrência e conseguimos, por meio de uma ação rápida e integrada, prender todos os envolvidos no caso”, disse.

A principal missão do Termo de Cooperação Interestadual é proporcionar à sociedade dos dois Estados uma segurança pública efetiva e de qualidade com grau elevado de excelência. A articulação entre as instituições ficará a cargo do Gabinete de Gestão Integrada (GGI) de cada Estado.

Além dos respectivos secretários, assinaram também o Termo de Cooperação os representantes de cada instituição ligada à segurança pública de Mato Grosso e Rondônia, estiveram presentes na solenidade ocorrida no auditório do Tribunal de Contas de Vilhena, para assinar o Termo, a comandante da Polícia Militar de Rondônia, coronel Angelina dos Santos Ramires, Diretor Geral de Polícia Civil de Rondônia, delegado Túlio Anderson da Costa, coronel BM Vilson Vladimir Wottrich representando o comando Geral do Corpo de Bombeiros de Rondônia, coronel PM Osmar Lino de Farias, comandante geral da Polícia Militar de Mato Grosso, delegado Paulo Rubens Vilela, Diretor Geral da Polícia Judiciária do Mato Grosso, coronel BM Carlos Alexandre Rodrigues Coronel, Comandante Geral do Corpo de Bombeiro Militar de Mato Grosso, perito Rubens Fadao Okada, Diretor Adjunto da Perícia Oficial Identificação Técnica do Estado do Mato Grosso e perito criminal Orlando Médice Junior, Diretor do Departamento de Perícia Técnica e Científica do Estado de Rondônia.

Ao final da solenidade, o secretário Diógenes Curado Filho, recebeu das mãos do secretário de Estado de Segurança, Defesa e Cidadania de Rondônia, tenente coronel PM Evilásio Silva Sena Júnior, a comenda “Governador Jorge Teixeira de Oliveira”, pelos relevantes serviços prestados à segurança pública de Rondônia.

Original em: http://www.rondoniaovivo.com/

GD Star Rating
loading...

Caso Rafael: PM sugeriu mentir que placa foi clonada

Em depoimento à PM, Guilherme Bussamra, irmão do atropelador de Rafael Mascarenhas, contou que o sargento Marcelo Leal de Souza Martins, indiciado há dois dias por corrupção passiva no Inquérito Policial Militar (IPM), sugeriu a ele e ao pai que negassem envolvimento do irmão no acidente que há 30 dias matou o filho da atriz Cissa Guimarães. O policial teria recomendado que os Bussamra afirmassem que a placa do carro fora clonada.

Já Roberto Bussamra revelou à Corregedoria como teria sido pressionado a pagar propina aos dois policiais do 23º BPM (Leblon). Entre as 9h e 10h de 20 de julho, teria recebido quatro ligações do sargento Leal cobrando R$ 10 mil que o policial teria exigido em sinal de “agradecimento” por não ter registrado o caso como atropelamento. Quando sacava R$ 6 mil numa agência bancária na Praça Mauá, Roberto teria recebido outras ligações do sargento, que já estaria nas imediações aguardando o dinheiro.

Prazo termina hoje
Termina nesta quinta-feira o prazo para que a delegada da 15ª DP (Gávea), Bárbara Lomba, conclua o inquérito sobre a morte de Rafael, na madrugada de 20 de julho, no Túnel Acústico, na Gávea, quando o rapaz andava de skate com amigos. Até a tarde de quarta-feira, Bárbara não descartava pedir prorrogação da análise, pois não havia decidido se o atropelador será indiciado por homicídio culposo ou doloso (com intenção). Rafael, o pai dele e o irmão podem ser indiciados ainda por corrupção ativa, cuja pena vai de 2 a 8 anos de prisão.

Leal e o cabo Marcelo Bigon, também acusado de corrupção passiva no caso, estão presos no Batalhão Especial Prisional, em Benfica, desde o dia 28. Ambos responderão no Conselho de Disciplina da PM por corrupção passiva, descumprimento de missão e falsidade ideológica.

Na quarta-feira, a defesa de Bigon entregou informações solicitadas pela Justiça, que vai analisar se concede ou não habeas corpus em favor de Bigon. Já o advogado de Leal, Ekner Maia, não pedirá agora a liberdade do cliente. “Com o pai do atropelador dando declarações de que se sente ameaçado, se ele (Roberto) cair na rua ou acontecer alguma coisa, vão logo botar a culpa no meu cliente”, argumentou o advogado.

Entenda o caso
Rafael Mascarenhas, de 18 anos, filho da atriz Cissa Guimarães, foi atropelado na madrugada do dia 20, no Túnel Acústico, na Gávea, Zona Sul, por Rafael Bussamra que estaria disputando um pega dentro da via. Mascarenhas andava de skate no túnel que estava fechado, quando foi atingido pelo carro. O motorista fugiu sem prestar socorro ao músico.

Em depoimento na delegacia, o jovem de 25 anos afirmou que dirigia a 90km/h. Já o laudo do Instituto de Criminalística Carlos Éboli mostrou que o veículo estava a aproximadamente a 100 km/h, no momento do acidente. O documento do ICCE também mostra que se o carro de Bussamra trafegasse a uma velocidade inferior a 60km/h, as avarias na lataria do veículo teriam sido evitadas.

Original em: http://noticias.terra.com.br/

GD Star Rating
loading...