Complexo de Perícias Forenses terá estrutura mais moderna do país

O novo complexo terá estrutura funcional, abrigando todos os órgãos voltados à perícia forense

O projeto arquitetônico do novo Complexo de Perícias Forenses (CPFor) foi apresentado na manhã desta quinta-feira (27), durante coletiva de imprensa na Secretaria da Defesa Social.

O complexo vai abrigar o Instituto Médico Legal (IML) de Maceió, o Instituto de Criminalística e o novo Instituto de Identificação, numa área de 4.300 m² na região do Tabuleiro do Martins, próximo ao Distrito Industrial.

O prédio será dotado de ampla estrutura funcional, contando com estacionamento para servidores e usuários, biblioteca, pavilhão formado por cinco laboratórios, sala jurídica, ecumênica, de imprensa, cartório e auditório de 60 lugares.

No subsolo haverá também uma central de custódia onde vão ser armazenados vestígios. De acordo com a diretora do CPFor, Ana Márcia, mais de 80% dos procedimentos do IML serão destinados a pessoas vivas, dando prioridade a exames de corpo de delito.

O secretário da Defesa Social, coronel Dário Cesar, afirmou que é preciso transformar a história do IML e há meios para isso. “Já temos uma área destinada para este fim, temos o projeto arquitetônico e a determinação do governador do Estado para a construção. Quando for concluído, o complexo será o mais moderno do Brasil.

Segundo o arquiteto do Serviço de Engenharia do Estado de Alagoas (Serveal), Roberto Canavarro, antes de ser feito o projeto do complexo foram visitados os IML’s de Recife, Fortaleza e do Rio de Janeiro para servirem como parâmetro, mas foi projetado um que atendesse a necessidade local. Também foram realizadas coletas de informações em Macapá e Goiânia.

Canavarro disse ainda que será feito todo um estudo de impacto ambiental, levando em conta a questão da exaustão de gases e a destinação dos dejetos.

Há a previsão de que o investimento gire em torno de R$ 4 milhões, mas de acordo com o arquiteto o custo final ainda não está definido.

Questionado sobre a ação do Ministério Público para transferência do local do IML, Dário Cesar disse que soube dessa informação pela imprensa e que ainda não recebeu nenhuma notificação a esse respeito. Mas informou que vai ser melhorado o que puder até que o Instituto seja instalado num local definitivo.

O projeto encaminhado à Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra) aguarda agora o processo licitatório que deve acontecer em cerca de dois meses.

Participaram da apresentação o secretário adjunto da Defesa Social, José Edson, o diretor adjunto do CPFor, Severino Lira e o diretor do IML de Maceió, Gerson Odilon.

Assessoria Defesa Social

Original em: http://www.ojornalweb.com

Leave a Reply