Bombeiros prosseguem trabalhos de rescaldo na Cidade do Samba

Laudo com causas do incêndio deve ficar pronto em duas semanas

RIO – Os bombeiros prosseguem os trabalhos de rescaldo na Cidade do Samba, na Zona Portuária do Rio, onde ocorreu o incêndio que atingiu os barracões da União da Ilha, Grande Rio e Portela, na manhã de segunda-feira. Ainda há fumaça nos galpões destruídos. Dois peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli foram ontem ao local para fazer o laudo com as causas do incêndio, que deverá ficar pronto em duas semanas.

As três escolas que sofreram perdas por causa do incêndio não serão julgadas durante os desfiles este ano, e nenhuma escola do grupo especial será rebaixada. As medidas foram decididas durante reunião ocorrida no início da noite entre os presidentes das 12 escolas de samba do grupo especial, que compõem a Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa), no Rio.

Portela, Grande Rio e União da Ilha do Governador tiveram seus barracões destruídos, assim como a própria Liesa, que mantinha um galpão na Cidade do Samba.Também foi decidido que haverá uma alteração no cronograma dos desfiles.

A Portela, que desfilaria na segunda-feira, vai desfilar no domingo, enquanto a Mocidade Independente de Padre Miguel passa a desfilar na segunda-feira. A escola vencedora do grupo de acesso em 2011 deve subir automaticamente para o grupo especial em 2012, que, desse modo, contará com 13 escolas. Duas delas serão rebaixadas para o grupo de acesso, fazendo com que a quantidade de agremiações volte a ser de 12, em 2013.

Após a reunião, os presidentes das agremiações foram ao encontro do prefeito do Rio, Eduardo Paes, que ratificou as decisões da Liesa e garantiu que as três escolas que tiveram seus barracões queimados irão desfilar.

“A cena mais emocionante desse Carnaval vai ser quando essas três escolas afetadas desfilarem”, afirmou o prefeito. “Eu quero tranquilizar os turistas que o Rio de Janeiro vai fazer um grande Carnaval”, afirmou Eduardo Paes.

Quanto aos ingressos, eles não poderão ser trocados, mas haverá devolução do dinheiro. “Eu não teria, neste momento, como dar nenhum suporte aos torcedores. Como todos os ingressos já estão esgotados, o que podemos fazer é a devolução do dinheiro dos ingressos”, afirmou o presidente da Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa), Jorge Castanheira.

De acordo com Castanheira, haverá um remanejamento dos barracões na Cidade do Samba. A União da Ilha cedeu o barracão 7 para a Grande Rio. A Portela foi para a tenda central e a União da Ilha ficou com uma estrutura de aproximadamente 80 m² em frente ao complexo.

Ele acrescentou que todos os eventos que aconteceriam este mês na Cidade do Samba foram cancelados. “Todo o espaço ali agora usaremos em prol das escolas afetadas”, disse.

Além do prefeito do Rio e do presidente da Liesa, participaram desta reunião os presidentes das escolas de samba mais afetadas pelo incêndio: Helinho de Oliveira, da Grande Rio; Ney Filardes, da União da Ilha e Nilo Figueiredo, da Portela.

Original em: http://www.jb.com.br

Leave a Reply