Laboratório identifica dosagem de alcoól de motorista, na PB

O Instituto de Polícia Científica da Paraíba já colocou em funcionamento o setor de análise instrumental do Laboratório de Toxicologia Forense, que permite a caracterização e elucidação de crimes. O diretor do IPC, perito criminal Humberto de Araújo Pontes, informou que o novo equipamento faz parte do projeto de reaparelhamento e modernização do laboratório de Toxicologia Forense. O equipamento está orçado em aproximadamente R$ 1 milhão.

Os equipamentos, adquiridos com recursos do Governo Estadual e do Ministério da Justiça, estão sendo utilizados no exame de quantificação de etanol no sangue (alcoolemia) de motoristas, na pesquisa e identificação de inseticidas e outras substâncias tóxicas nos casos suspeitos de mortes por envenenamento, na pesquisa e identificação de substâncias químicas controladas e/ou proscritas presentes em amostras colhidas de pessoas ou apreendidas, além de muitas outras aplicações.

Humberto Pontes explicou que após a implantação do sistema, o motorista que se recusava a submeter-se ao teste de bafômetro, que antes era realizado na Polícia Rodoviária Federal ou exame clínico visual, agora é submetido ao teste de alcoolemia realizado no laboratório.

Segundo o diretor do IPC, o material a ser examinado é coletado nas vítimas de acidentes de trânsito para detectar sintomas de embriagues ao volante ou outro tipo de substância tóxica. O material coletado é encaminhado ao laboratório forense onde é feito o exame.

Desde a implantação do Laboratório de Toxicologia Forense já foram realizados cerca de 25 exames.”Com a divulgação através da imprensa desta nova tecnologia, temos a certeza que a procura será bem maior”, disse Humberto. No setor trabalham três peritos químicos legal e uma técnica de laboratório.

Para a realização do exame é necessária requisição através de um delegado de polícia. A partir de então, é possível determinar a dosagem alcoolizada ou quantidade de substância ingerida pelo motorista que causa dependência química. De acordo com a legislação de trânsito, acima de seis decigramas de álcool por litro de sangue caracteriza infração penal.

Os equipamentos químico-analíticos possuem moderna tecnologia e enorme sensibilidade. Com estas novas ferramentas tecnológicas, explicou Humberto Pontes, o Instituto de Polícia Científica da Paraíba começa a figurar no patamar de outros órgãos periciais do Brasil quanto aos exames químicos-toxicológicos.

Original em: http://www.pbagora.com.br

GD Star Rating
loading...

Governo homologa concurso para Perito Criminal e Técnico em Necropsia

O resultado final e a homologação do concurso público para Perito Criminal e Técnico em Necropsia foi publicado no Diário Oficial que circula nesta sexta-feira (11). Para conferir a publicação clique: homologação e resultado final.

Com a homologação do concurso, a convocação dos candidatos poderá ser realizada a qualquer momento pela Secretaria de Estado de Segurança Pública. Os candidatos deverão ficar atentos a publicações no Diário Oficial Eletrônico (www.iomat.mt.gov.br) para providenciarem a documentação necessária para passar pela Perícia Médica e não perderem os prazos da nomeação.

Mais informações 0800-647-3633

Original em: http://www.odocumento.com.br

GD Star Rating
loading...

Liesa quer cursos de bombeiros dentro da Cidade do Samba

Perícia no local foi concluída na quinta-feira

Rio – A Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) pedirá que o Corpo de Bombeiros ministre palestras e cursos aos 300 funcionários de cada um dos 14 barracões da Cidade do Samba, a partir de 2012. A informação foi passada ontem pelo diretor de Carnaval da Liesa, Elmo dos Santos. O pedido será formalizado ao governador Sérgio Cabral. Ontem terminou a perícia nos locais incendiados.

“Faremos tudo o que for possível para evitar que essa tragédia se repita. As pessoas que trabalham nos barracões precisam desse tipo de suporte e acredito que o governador irá se sensibilizar com nossso pedido”, disse Elmo.

Técnicos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) finalizaram ontem a perícia nos barracões afetados, mas o laudo só fica pronto em 20 dias. “Verificamos a propagação das chamas, intensidade de queima, pontos de energia e o foco do incêndio. Esse tipo de trabalho não costuma ser rápido e nem simples”, afirmou o diretor da Polícia Técnica, delegado Sérgio Henriques.

A previsão inicial era de que as telhas metálicas retorcidas pelas chamas começassem a ser retiradas ontem, mas, segundo a Riourbe, os trabalhos serão feitos em paralelo com a demolição, prevista para começar em uma semana.
À tarde, a Riourbe divulgou nota repassando estudo feito pela Defesa Civil municipal, onde é descartada qualquer possibilidade de reaproveitamento do espaço. “A necessidade de demolição foi indicada através de laudo da Defesa Civil municipal. Telhas e concreto sofreram danos que impossibilitam a recuperação”, diz a nota.

Dentro das possibilidades, devido ao risco de desabamento, funcionários da prefeitura iniciaram a limpeza com auxílio de máquinas no barracão mais danificado, da Grande Rio. A reconstrução dos barracões deve demorar cinco meses, assim que a demolição for iniciada.

Finalizada montagem das primeiras tendas

Funcionários da Liesa finalizaram ontem a montagem de duas das três tendas para abrigar os carros alegóricos da Portela e da Ilha na Cidade do Samba.

A menor, com 300m², foi erguida entre os barracões do Salgueiro e da Liesa, que está sendo usado pela Grande Rio, e protegerá o abre-alas da escola insulana. Com 900m², a segunda foi armada no estacionamento e também atenderá a Ilha. Até domingo, outra tenda com 1.200m² estará disponível para a Portela.

POR THIAGO FERES

Original em: http://odia.terra.com.br

GD Star Rating
loading...

Laudo sobre incêndio na Cidade do Samba só deve sair em 25 dias

O Instituto de Criminalística Carlos Éboli ainda irá demorar cerca de 25 dias para divulgar o laudo sobre as causas do incêndio que arrasou três barracões e o Centro Cultural da Liesa (Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro), na Cidade do Samba, na Gambôa, zona central do Rio de Janeiro.

De acordo com a assessoria da Polícia Civil, os agentes iniciaram os trabalhos de perícia na segunda-feira (7), dia do incidente. O prazo estimado para a divulgação do laudo é de trinta dias a partir desta data.

Os barracões afetados eram utilizados pela União da Ilha, Portela e Grande Rio. As duas primeiras perderam todas as fantasias, sendo que a escola da Ilha do Governador ainda teve um carro completamente destruído.

A Grande Rio, porém, foi a mais afetada. A agremiação perdeu as fantasias e todas as suas alegorias.

Em razão do incêndio, a estrutura afetada deve ser demolida na semana que vem. Até que esse processo seja finalizado, a Cidade do Samba não realizará eventos ao público.

Cerca de 120 bombeiros de quatro quartéis e com 20 veículos levaram mais de quatro horas para combater as chamas, que puderam ser vistas de vários pontos da capital e até de Niterói, cidade na região metropolitana do Estado.

O relações-públicas da corporação, tenente-coronel Alexandre Rocha, disse que o fogo começou no barracão da Grande Rio, escola mais afetada, e se alastrou rapidamente pelos barracões da União da Ilha e Portela, e pelo espaço cultural da Liesa.

A Defesa Civil confirmou que parte dos barracões atingidos terá que ser demolida. A área superior será derrubada, já que o teto foi comprometido pelas chamas. Ainda segundo o órgão, o primeiro pavimento não sofreu danos.

Um bombeiro e um homem de aproximadamente 30 anos foram intoxicados com a fumaça. O militar foi levado para o hospital da corporação, enquanto o homem foi encaminhado para o hospital Souza Faria, no centro. O aderecista da Grande Rio, Simon Garcia, de 26 anos, se feriu ao pular do 3º andar para fugir do incêndio. Ele sofreu escoriações e também foi levado para o hospital Souza Aguiar. Todos passam bem.

Sem rebaixamento em 2011

Por causa do incêndio que prejudicou as três agremiações, a Liesa decidiu que nenhuma escola de samba do grupo Especial será rebaixada neste ano. Grande Rio, Portela e União da Ilha vão desfilar, mas não serão julgadas.

Sendo assim, 13 escolas desfilam no carnaval de 2012, já que uma agremiação do grupo de Acesso sobe para o grupo Especial. Além disso, duas escolas descem para o grupo de Acesso em 2012, voltando para o número normal de 12 escolas no grupo Especial em 2013.

Original em: http://noticias.r7.com

GD Star Rating
loading...