Laudo sobre incêndio na Cidade do Samba só deve sair em 25 dias

O Instituto de Criminalística Carlos Éboli ainda irá demorar cerca de 25 dias para divulgar o laudo sobre as causas do incêndio que arrasou três barracões e o Centro Cultural da Liesa (Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro), na Cidade do Samba, na Gambôa, zona central do Rio de Janeiro.

De acordo com a assessoria da Polícia Civil, os agentes iniciaram os trabalhos de perícia na segunda-feira (7), dia do incidente. O prazo estimado para a divulgação do laudo é de trinta dias a partir desta data.

Os barracões afetados eram utilizados pela União da Ilha, Portela e Grande Rio. As duas primeiras perderam todas as fantasias, sendo que a escola da Ilha do Governador ainda teve um carro completamente destruído.

A Grande Rio, porém, foi a mais afetada. A agremiação perdeu as fantasias e todas as suas alegorias.

Em razão do incêndio, a estrutura afetada deve ser demolida na semana que vem. Até que esse processo seja finalizado, a Cidade do Samba não realizará eventos ao público.

Cerca de 120 bombeiros de quatro quartéis e com 20 veículos levaram mais de quatro horas para combater as chamas, que puderam ser vistas de vários pontos da capital e até de Niterói, cidade na região metropolitana do Estado.

O relações-públicas da corporação, tenente-coronel Alexandre Rocha, disse que o fogo começou no barracão da Grande Rio, escola mais afetada, e se alastrou rapidamente pelos barracões da União da Ilha e Portela, e pelo espaço cultural da Liesa.

A Defesa Civil confirmou que parte dos barracões atingidos terá que ser demolida. A área superior será derrubada, já que o teto foi comprometido pelas chamas. Ainda segundo o órgão, o primeiro pavimento não sofreu danos.

Um bombeiro e um homem de aproximadamente 30 anos foram intoxicados com a fumaça. O militar foi levado para o hospital da corporação, enquanto o homem foi encaminhado para o hospital Souza Faria, no centro. O aderecista da Grande Rio, Simon Garcia, de 26 anos, se feriu ao pular do 3º andar para fugir do incêndio. Ele sofreu escoriações e também foi levado para o hospital Souza Aguiar. Todos passam bem.

Sem rebaixamento em 2011

Por causa do incêndio que prejudicou as três agremiações, a Liesa decidiu que nenhuma escola de samba do grupo Especial será rebaixada neste ano. Grande Rio, Portela e União da Ilha vão desfilar, mas não serão julgadas.

Sendo assim, 13 escolas desfilam no carnaval de 2012, já que uma agremiação do grupo de Acesso sobe para o grupo Especial. Além disso, duas escolas descem para o grupo de Acesso em 2012, voltando para o número normal de 12 escolas no grupo Especial em 2013.

Original em: http://noticias.r7.com

Leave a Reply