Liesa quer cursos de bombeiros dentro da Cidade do Samba

Perícia no local foi concluída na quinta-feira

Rio – A Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) pedirá que o Corpo de Bombeiros ministre palestras e cursos aos 300 funcionários de cada um dos 14 barracões da Cidade do Samba, a partir de 2012. A informação foi passada ontem pelo diretor de Carnaval da Liesa, Elmo dos Santos. O pedido será formalizado ao governador Sérgio Cabral. Ontem terminou a perícia nos locais incendiados.

“Faremos tudo o que for possível para evitar que essa tragédia se repita. As pessoas que trabalham nos barracões precisam desse tipo de suporte e acredito que o governador irá se sensibilizar com nossso pedido”, disse Elmo.

Técnicos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) finalizaram ontem a perícia nos barracões afetados, mas o laudo só fica pronto em 20 dias. “Verificamos a propagação das chamas, intensidade de queima, pontos de energia e o foco do incêndio. Esse tipo de trabalho não costuma ser rápido e nem simples”, afirmou o diretor da Polícia Técnica, delegado Sérgio Henriques.

A previsão inicial era de que as telhas metálicas retorcidas pelas chamas começassem a ser retiradas ontem, mas, segundo a Riourbe, os trabalhos serão feitos em paralelo com a demolição, prevista para começar em uma semana.
À tarde, a Riourbe divulgou nota repassando estudo feito pela Defesa Civil municipal, onde é descartada qualquer possibilidade de reaproveitamento do espaço. “A necessidade de demolição foi indicada através de laudo da Defesa Civil municipal. Telhas e concreto sofreram danos que impossibilitam a recuperação”, diz a nota.

Dentro das possibilidades, devido ao risco de desabamento, funcionários da prefeitura iniciaram a limpeza com auxílio de máquinas no barracão mais danificado, da Grande Rio. A reconstrução dos barracões deve demorar cinco meses, assim que a demolição for iniciada.

Finalizada montagem das primeiras tendas

Funcionários da Liesa finalizaram ontem a montagem de duas das três tendas para abrigar os carros alegóricos da Portela e da Ilha na Cidade do Samba.

A menor, com 300m², foi erguida entre os barracões do Salgueiro e da Liesa, que está sendo usado pela Grande Rio, e protegerá o abre-alas da escola insulana. Com 900m², a segunda foi armada no estacionamento e também atenderá a Ilha. Até domingo, outra tenda com 1.200m² estará disponível para a Portela.

POR THIAGO FERES

Original em: http://odia.terra.com.br

Leave a Reply