Administrador da CCR Ponte vai depor nesta sexta-feira

Rio – Está previsto para esta sexta-feira, às 11h, o depoimento do administrador da CCR Ponte e de responsáveis da Álamo. Titular da 17ª DP, Monique Vidal, disse que o registro foi feito mais de 12 horas após o acidente, às 17h de quarta. Segundo ela, é preciso esclarecer se as empresas cumpriam normas de segurança.

Ponte ficou às escuras: até o posto da PRF ficou sem luz na quarta-feira | Foto: Osvaldo Praddo / Agência O Dia

Peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli fizeram perícia na subestação. Engenheiros do Crea iniciaram vistoria que deve ser concluída hoje. “Quando fizeram o registro, não demonstraram a gravidade do problema. Vamos pedir uma lista de responsáveis e ouvir todos”, garantiu.

Morte na Ponte

A pane na subestação elétrica da Ponte Rio-Niterói, que deixou a via 43 horas completamente apagada, provocou a morte de um funcionário da empresa terceirizada Álamo e feriu outros dois. Com 100% do corpo queimado, Darlan Aguiar da Silva morreu no início da tarde de ontem, no Hospital Souza Aguiar, no Centro. Às 19h, as luzes da Ponte começaram a ser religadas, em procedimento que durou cerca de uma hora. O caso foi registrado na 17ª DP (São Cristóvão). 

Luiz Antonio da Conceição Silveira teve 20% do corpo queimado e está em estado estável no Souza Aguiar. Já Vilton Pereira de Freitas, 54 anos, foi transferido para o Hospital Rio-Laranjeiras. Darlan deve ser enterrado hoje, no cemitério Parque da Paz, em São Gonçalo.

Os três eram técnicos eletricistas da Álamo e trabalhavam no reparo da subestação principal de entrada de energia da Ponte, que fica no pátio do cais do porto. O acidente aconteceu por volta das 2h15 de quarta-feira, uma hora após pane na subestação 5. A CCR Ponte trabalha com a hipótese de curto-circuito. “Houve explosão na hora em que meu tio resolvia a falta de luz. Ele trabalhava há 28 anos na Ponte. Está sedado e sem previsão de alta”, disse Joice Lima, 28, sobrinha de Vilton.

Cobrança de pedágio funcionou com gerador

O primeiro incidente na Ponte Rio-Niterói aconteceu à 1h12, na subestação 5, que distribui energia para o trecho entre a Ilha de Mocanguê e a Praça do Pedágio. O segundo, na subestação principal, ocorreu às 2h15 e interrompeu totalmente o fornecimento. A CCR alugou quatro painéis eletrônicos e disponibilizou reboques extras. O pedágio funcionou com auxílio de gerador. A Polícia Rodoviária Federal auxiliou no esquema e não registrou acidente pela falta de luz.

Original em: http://odia.terra.com.br

Leave a Reply