IC solicita perícia na frota da VIBA

Há uma semana, veículo sem freio da empresa matou duas pessoas e feriu outras seis

Santa Bárbara – O perito chefe do IC (Instituto de Criminalística) de Americana, Edvaldo Messias de Barros, pediu ontem ao delegado responsável pelo inquérito policial que apura o acidente com o ônibus da Viba (Viação Barbarense), Rodolpho Lopes do Canto Junior, que solicite aos órgãos competentes uma vistoria em toda a frota da empresa de transportes. Hoje faz uma semana que um acidente envolvendo um ônibus sem freio matou duas pessoas e feriu outras seis. Duas vítimas ainda estão internadas em estado grave na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) da Santa Casa da cidade, sem previsão de alta.

Ontem, o IC concluiu a perícia no coletivo e constatou que o veículo não possuía condições para circular. “Retiramos algumas peças para análise e como estavam desgastadas e fora do padrão de uso, concluímos que a causa do acidente realmente foi a falta de freios. A situação era muito grave”, destacou Messias.

O IC também avaliou 29 boletins com a solicitação de reparos feitos pelos motoristas que utilizaram o ônibus desde janeiro deste ano. Nove deles faziam referência a problemas com o sistema de freios do coletivo. “Os outros veículos da empresa são reparados nas mesmas condições, por isso a vistoria deve ser feita em toda a frota por prevenção já que há possibilidade que outros ônibus apresentem os mesmos problemas”, justificou Messias.

Segundo o perito, os problemas com o sistema de freios foram detectados na válvula relê, responsável pela pressão do ar nos freios, a inoperância da catraca que regula as lonas de freio das rodas e o desgaste das lonas nas rodas traseiras. As lonas geram o atrito com a roda para que o veículo pare. “A lona esquerda estava totalmente fragmentada, sem condições de atrito. Sem lona o ônibus não tinha como parar”, explicou.

Os trabalhos do IC sobre o acidente, que duraram quatro dias, já estão concluídos e o laudo pericial com as causas do acidente deve ser emitido em 30 dias.

Mais cinco pessoas prestaram depoimentos ao delegado ontem. Entre eles três passageiros que estavam no ônibus no dia da tragédia.

Original em: http://www.oliberalnet.com.br

 

GD Star Rating
loading...

Perícia conclui que ônibus estava sem condições para circular

Foram feitos 29 pedidos de manutenção desde janeiro, sendo que nove eram reclamações no freio

A perícia do Instituto de Criminalística (IC) de Americana concluiu nesta segunda-feira (21) que o ônibus desgovernado que atingiu um hotel em Santa Bárbara D´Oeste não tinha as mínimas condições de circular. Desde o início de janeiro até o dia do acidente, terça-feira (15), foram feitos 29 pedidos de manutenção, sendo que nove mencionam problemas no freio.

As peças do sistema de freios do ônibus, que provocou um grave acidente com a morte de duas pessoas e seis feridos, foram testadas num laboratório de uma empresa particular e retornou nesta tarde para o IC. Para os peritos, o desgaste no mecanismo e a falta de manutenção nos freios foram as causas do acidente. “Não foi apenas um fator e sim a somatória”, afirma o perito criminal Carlos Costa.

Uma das conclusões da perícia para o trajeto de aproximadamente um quilômetro descontrolado e em alta velocidade foi que o freio não funcionou ao ser acionado no pedal do ônibus porque havia vazamento na válvula que controla a entrada de ar. De acordo com o perito, quando a pressão cai, o sistema de freio, conhecido como Tristop, tem mais dois recursos de emergência que funcionam só nas rodas traseiras. O primeiro é automático e acionado por molas. O segundo é manual, controlado pelo motorista.

De acordo com a perícia, no momento do acidente ambos falharam porque as lonas de freio estavam muito gastas. Do lado esquerdo, uma das lonas já tinha descolado e estava em pedaços, isso explica o porquê do veículo descer a avenida e em nenhum momento o freio é acionado, mesmo com o comando do motorista.

De acordo com Costa, mesmo não podendo acionar o freio no pedal não havia como outros sistemas funcionarem por causa do desgaste nos freios.O resultado da perícia mostra que a manutenção no ônibus acidentado feita pela Viação Barbarense (Viba) foi inadequada.

A Prefeitura de Santa Bábara D’Oeste instaurou duas sindicâncias: uma para avaliar a parte administrativa e outra, o acidente. O Ministério Público do Trabalho (MPT) vai abrir um inquérito para apurar as condições em que trabalham os funcionários da empresa.

Papéis

Além de analisar as peças, os peritos do IC analisaram diversos papéis internos da empresa que reforçam a conclusão.Desde o início de janeiro até 15 de março, dia do acidente, foram emitidos, por diferentes motoristas, 29 ordens de serviço com pedidos de manutenção. Uma média de um pedido a cada dois dias e meio, sendo que nove pedidos mencionam problemas no freio.

O último aviso foi feito uma hora antes do acidente. A queixa tinha sido registrada pelo mesmo motorista na véspera. No dia 11 de março, uma reclamação quanto ao freio consta um “ok”, feito pelo mecânico.

Para os peritos, isso mostra que o ônibus foi liberado pra rodar sem que as peças com defeito fossem trocadas. O mesmo ocorreu em outras ordens de serviço, como o do dia 26 de fevereiro, quando fica claro que o mecânico tinha conhecimento da situação precária da lona de freio na roda esquerda.

De acordo com o perito chefe Edvaldo Messias, outros ônibus da empresa podem estar rodando sem condições mecânicas e vai solicitar para o delegado que todos os ônibus da empresa sejam vistoriados.

Procurado pela nossa equipe de reportagem, o diretor da Viba não foi encontrado para falar sobre o resultado da perícia.

Depoimentos

A Polícia Civil de Santa Bárbara D’Oeste ouviu novos depoimentos. Um casal de passageiros que foi localizado pela produção da EPTV foi ouvido pelo delegado responsável pelo caso, Rodolfo Lopes do Canto Junior, durante a manhã.

Original em: http://eptv.globo.com

GD Star Rating
loading...