IML oferece 10 serviços diferentes à comunidade

Gerson Odilon informa que há previsão de instalação de unidades do IML em Penedo, Santana do Ipanema, Viçosa e Matriz do Camaragibe

Cerca de 80% dos serviços prestados pelo Instituto Médico Legal (IML) são voltados para pessoas vivas e atendem vítimas de acidentes de trânsito, estupro (conjunção carnal e ato libidinoso), lesão corporal por agressão e acidentes, determinação de idade através de raio-x das mãos e da arcada dentária, exame de embriaguez, exame de rotina nos custodiados no momento da prisão e da soltura.

Além dos outros serviços, pessoas que tiveram mortes violentas, como homicídios, suicídios, por acidente, por erro profissional ou em situações suspeitas, são atendidas também pelo instituto por encaminhamento do delegado de polícia. Os exames servem para que a elucidação dos crimes aconteça mais rapidamente e somente após a perícia, os corpos são liberados para sepultamento.

DNA Forense

O IML também faz exumações e processos de identificação de esqueletos. Durante a perícia na ossada, o legista determina sexo, altura, idade e raça. Apenas um pedaço do osso do esqueleto é retirado e enviado para fazer exame no laboratório de DNA Forense da Ufal, por meio do convênio entre a universidade e o governo do Estado.

Com esta parceria, em Alagoas, foi criado o único banco de dados existente no Brasil e através dos dados armazenados no laboratório, muitas pessoas já foram identificadas.

Corpos não identificados que chegam ao IML também são periciados e ficam na geladeira do Instituto em média por 30 dias. Os não identificados e não procurados são então enterrados no cemitério Divina Pastora. Lá, as covas recebem números que constam em fichas guardadas no instituto para possível reconhecimento posterior.

Com a aprovação do projeto de informatização e digitalização de todos os laudos, o Instituto deseja criar também um banco de dados seguro, contendo informações precisas dos não identificados.

Segundo o diretor do IML em Maceió, Gerson Odilon, há expectativas de que, após a conclusão do novo IML na capital, outras regiões do Estado venham a ter institutos. As cidades contempladas serão Penedo, Santana do Ipanema, Viçosa e Matriz do Camaragibe.

Médico-legista contribui para elucidar crimes

No dia 7 de abril, é comemorado o Dia do Legista, profissional que trabalha para ajudar na elucidação de crimes e em julgamentos corretos. O legista precisa ter curso superior de medicina e especialização em medicina legal, que abrange áreas de direito, biologia, sociologia, química e balística, entre outras.

O exercício da medicina legal oferece vários serviços, alguns desconhecidos de grande parte da sociedade.

O Código de Processo Penal diz que “para todo crime que deixa vestígio é imprescindível o exame de corpo de delito”. A prova material é o que condena ou absolve e a perícia explica os fatos. Um relatório bem elaborado e bem conclusivo colabora para a correta aplicação da justiça. O contrário pode levar o magistrado ao erro e trazer prejuízo para a sociedade.

Para o diretor Gerson Odilon, que é médico-legista há 24 anos e professor de Medicina Legal e Ética Médica da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), ser médico-legista é uma qualidade. “Há um estigma de que só trabalhamos com a morte. Nossos relatórios são a luz do julgador na hora de aplicar a sentença ”, explica.

Original em: http://www.aquiacontece.com.br

 

Leave a Reply