Polícia espera por laudo do IC

A Polícia Civil de Santa Bárbara d’Oeste aguarda o envio do laudo da perícia feita pelo IC (Instituto de Criminalística) no ônibus da Viba (Viação Barbarense), que se envolveu em um acidente no mês passado, para concluir o inquérito policial que apura a responsabilidade pelo acidente. O perito-chefe do IC, Edvaldo Messias de Barros, disse ontem ao LIBERAL que a previsão é que o laudo seja entregue à polícia até sexta-feira, data em que o acidente completa um mês.

No dia 15 de março um coletivo da Viba, que seguia em direção ao Terminal Urbano, no Centro da cidade, ficou sem freios e bateu em três carros, uma moto e na fachada do restaurante de um hotel. Em razão do acidente, morreram o comerciante Rubens Ribeiro e o pastor evangélico Armando Souza Gonzaga. Outras seis pessoas ficaram feridas.

De acordo com o delegado responsável pela investigação, Rodolpho Lopes do Canto Junior, o motorista Alessandro Moreira de Oliveira deve ser indiciado pelo acidente. “Todas as pessoas envolvidas já foram ouvidas. Iremos esperar o laudo para embasarmos nossa conclusão e decidir se o indiciamento será por homicídio culposo, quando não há intenção de matar, ou por homicídio doloso eventual, quando o responsável assumiu o risco do acidente mesmo sem querer o resultado”, explicou.

Após a perícia, que durou quatro dias, o IC constatou que o veículo não possuía condições para circular já que estava com peças desgastadas e fora do padrão de uso. O órgão confirmou problemas com o sistema de freios do ônibus. As falhas estavam na válvula relê – peça responsável pela pressão do ar nos freios – e nas lonas das rodas traseiras, que estavam totalmente desgastadas. As lonas geram o atrito com a roda para que o veículo pare. “A lona esquerda estava totalmente fragmentada, sem condições de atrito. Sem lona o ônibus não tinha como parar”, explicou o perito após a finalização da perícia.

O IC também avaliou 29 boletins com as solicitações de reparos feitas pelos motoristas que utilizaram o ônibus desde janeiro deste ano. Nove deles faziam referência a problemas com o sistema de freios do coletivo.

Original em: http://www.oliberalnet.com.br

GD Star Rating
loading...

Perícia de Alagoas ganha estrutura administrativa

Perícia Oficial de Alagoas (PO/AL) é o novo nome do antigo Centro de Perícias Forenses de Alagoas (CPFor), formado pelo Instituto Médico Legal (IML), Instituto de Criminalística (IC) e Instituto de Identificação (II). A nova estrutura foi oficialmente apresentada pelo secretário da Defesa Social, Dário Cesar Cavalcante, aos diretores dos três órgãos, Gerson Odilon, Rosana Coutinho e Madalena Cardoso, respectivamente. Ana Márcia Nunes é a diretora da PO/AL.

A nova denominação consta da Lei Delegada publicada na edição especial do Diário Oficial do Estado do último sábado (9).

O governo de Alagoas atendeu as sugestões feitas pelos servidores, ansiosos por melhorias nas condições de trabalho e criou 107 cargos, estruturando os institutos que fazem a perícia criminal. Para ocupar os cargos, é necessário que o servidor possua habilidade técnica que a função exige.

A diretora Ana Márcia admite que o novo perfil irá facilitar o trabalho dos funcionários: “A partir de agora a perícia passa a existir como órgão técnico oficial. Antes só existia a presença do diretor do órgão. É um grande passo institucional que nos ajudará a trabalhar melhor”. A diretora ainda diz que o a estrutura oficial do órgão é “um marco para a perícia alagoana porque antes ela nem existia”, disse Ana Márcia.

Segundo o secretário Dário Cesar, o próximo passo é tornar a Perícia Oficial uma unidade gestora. “Nada é fácil porque não dá para fazer 100% do que a gente quer. Conseguimos um avanço, mesmo que não seja o ideal”, afirma. Ele pede mais ações para incrementar os avanços na segurança pública e garantir mais recursos destinados a melhorias na área.

Dário Cesar disse ainda que o Estado percebe a utilidade dos serviços dos institutos. “A partir de agora, a perícia será reconhecida como tal, com a importância que tem. Nunca tivemos uma estrutura que fizesse jus ao órgão oficial. Fico feliz em ver o avanço de órgãos com tamanha importância”, afirmou o secretário.

Os diretores dos institutos falaram do empenho que a Secretaria da Defesa Social (Seds) vem demonstrando na inovação da PO/AL. “Estamos vendo a Seds preocupada com a perícia de Alagoas”, afirmou Rosana Coutinho, diretora do IC.

Pensando nos municípios que ainda não têm serviços prestados pelos institutos de Identificação, de Criminalística e Médico Legal, o coordenador Geral de Políticas da Defesa Social, José Edmilson Cavalcante, sugeriu a criação de equipes móveis. “Pode-se criar equipes que viajem às cidades que não contam diretamente com esses serviços”, cogitou.

Original em: http://www.ojornalweb.com

 

GD Star Rating
loading...

Governo e legistas debatem solução para o IML

Órgão passa por crise com falta de equipamentos e profissionais

A Secretaria da Segurança Pública e a Associação dos Médicos-Legistas do Paraná vão trabalhar em parceria para solucionar os problemas do Instituto Médico-Legal e do Instituto de Criminalística. O secretário da Segurança, Reinaldo de Almeida César, e a presidente da associação, Maria Letícia Fagundes, discutiram a elaboração de um projeto de lei para valorização dos profissionais que trabalham na área e melhoria da estrutura física dos institutos.

“Temos projeto de recuperação do IML e do Instituto de Criminalística, que já foram órgãos-modelo para o Brasil e, nos últimos anos, passaram por desmantelamento. O resultado é visto agora, com assombro. É esta situação que vamos corrigir”, afirmou o secretário.

A secretaria elegeu como prioridade a melhora da estrutura, conserto e aquisição de equipamentos, reposição de viaturas e valorização de pessoal, nas áreas de medicina legal, perícias e papiloscopia. Para isso, será criado um grupo de trabalho com a participação das associações representativas dos servidores destas áreas.

Para Maria Letícia, o encontro foi o primeiro passo para o estabelecimento de uma relação de diálogo entre os profissionais e o Governo do Estado. “Vamos analisar juntos as soluções para o IML, situação dos funcionários e estrutura das instituições”, declarou. Ela estava acompanhada dos médicos-legistas Paulino Pastre e Brasil Viana Neto.

O processo para a locação de 25 viaturas para transporte de corpos está em andamento e deve ser concluído ainda este mês. Até o começo da semana já haviam sido sepultados 80 corpos que estavam guardados em local inadequado e novos sepultamentos devem ocorrer nas próximas semanas, até que o necrotério volte à normalidade.

Também estão previstas quatro inaugurações até o fim do semestre, nas unidades do IML em União da Vitória, Toledo, Paranavaí e Paranaguá. A contratação de médicos-legistas, motoristas e auxiliares de necropsia já está encaminhada para se encontrar a forma mais rápida, dentro da legislação vigente, para ser feita.

Original em: http://jornale.com.br

GD Star Rating
loading...

Peritos vão tentar recuperar informações de computador de atirador

Wellington Oliveira queimou placa de computador que usava para dificultar acesso a informações pessoais

Peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) vão analisar a placa do computador que pertencia a Wellington Menezes de Oliveira – homem que atirou contra alunos da Escola Municipal Tasso de Oliveira, em Realengo, na zona oeste, na manhã dessa quinta-feira (8). No ataque, doze crianças morreram. Oliveira se matou após ser baleado por um policial militar.

A placa do computador que armazenava os últimos acessos à internet e downloads feitos pelo atirador foi encontrada por policiais da Divisão de Homicídios queimada, na casa de Oliveira, no bairro de Sepetiba, também na zona oeste. No local, os agentes também encontraram todos os eletrodomésticos quebrados.

O intuito da recuperação da placa é saber a motivação do crime e entender como Oliveira, que não tinha renda e estava desempregado, adquiriu as armas e as munições usadas no ataque.

Os policiais também procuram pistas sobre a origem dos dois revólveres usados. O de calibre .38 estava com a numeração raspada o que dificulta o rastreamento. Já o de calibre .32 os agentes conseguiram identificar o dono, que está morto. Na tarde de ontem, eles interrogaram o filho do dono da arma, que disse à polícia que o revólver havia sumido há 18 anos.

Original em: http://ultimosegundo.ig.com.br

GD Star Rating
loading...

Polícia vasculha em Sepetiba casa onde morava atirador da tragédia de Realengo

Restos de objetos queimados por Wellington, inclusive um HD / Foto: Márcia Foletto / O Globo

A casa onde morava Wellington Menezes de Oliveira – que invadiu de manhã a Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, matando 11 estudantes – está sendo vasculhada pela polícia.

A chefe da Polícia Civil, Martha Rocha, e peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) estão no local. A casa fica na Rua José Fernandes, em Sepetiba, próxima a duas escolas da rede municipal.

Original em: http://extra.globo.com

 

GD Star Rating
loading...

Tragédia em Realengo: Martha Rocha e peritos estão na casa de atirador

Rio – A chefe da Polícia Civil, Martha Rocha, policiais da Delegacia de Homicídios (DH) e peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE), foram, na tarde desta quinta-feira, à casa de Wellington Oliveira, em Sepetiba, Zona Oeste do Rio. 

De acordo com a polícia, um cenário de caos foi encontrado na residência do atirador, com móveis quebrados e o disco rígido do computador queimado. Um novo bilhete, de conteúdo não divulgado, foi encontrado no chão do quarto de Wellingnton. Duas pessoas da família acompanham as buscas. 

Mais cedo, Marta Rocha informou que uma série de medidas serão tomadas para ajudar nas investigações e dar apoio às famílias das vítimas da tragédia. Ela citou o reforço na equipe do Instituto Médico Legal (IML), o deslocamento de duas assistentes sociais para atender às famílias das vítimas, além do aumento da equipe de plantão no necrotério e no setor de identificação para “minimizar qualquer tipo de sofrimento das famílias”, declarou.

A chefe da Polícia Civil, Martha Rocha, concedeu uma coletiva e disse que adotará medidas para agilizar as investigações | Foto: Paulo Alvadia / Agência O Dia

 

Ela citou o reforço na equipe do Instituto Médico Legal (IML), o deslocamento de duas assistentes sociais para atender às famílias das vítimas, além do aumento da equipe de plantão no necrotério e no setor de identificação para “minimizar qualquer tipo de sofrimento das famílias”, declarou.

A Divisão de Homícidios está investigando o ocorrido na escola. Até o momento, já foi confirmado que o atirador usou duas pistolas (calibre 38 e 32) e efetuou disparos em dois andares. Ele só parou ao ser atingido por um tiro no abdômen, na subida para o terceiro andar. O tiro foi disparado por um sargento da Polícia Militar que estava nas proximidades e foi alertado por grupo de crianças feridas.

Depois de atingido, o atirador, identificado como Wellington Menezes de Oliveira, de 23 anos, se suicidou com um tiro na cabeça. Ele deixou uma carta que está sendo analisada pela Polícia Civil junto com outros elementos do crime, segundo a chefe de polícia, Marta Rocha.

 

Parentes e amigos de vítimas se desesperam com tragédia em Realengo | Foto: Severino Silva / Agência O Dia

“Sabemos que ele chegou na escola, que foi reconhecido por uma ex-professora, disse que ia dar uma palestra, conversou com essa professora, se trancou numa sala, efetuou os primeiros disparos e depois se dirigiu a outras salas. Daqui para frente, estamos investigando”, afirmou.

Durante entrevista à imprensa, no pátio da escola em Realengo, o coordenador da Secretaria de Segurança, Roberto Sá, acrescentou que o autor dos tiros não tinha antecedentes criminais, mas que o comportamento do atirador na chacina indica sinais de doença mental.

“O perfil desse fato criminosos se afasta completamente do comportamento usual de bandidos e marginais. Consideramos, até o momento, que essa pessoa tem alguma debilidade mental, deve ser um psicopata, imprevisível, incontrolável” , disse Sá.

O sargento Márcio Alexandre Alves, de 38 anos, que atingiu o atirador foi chamado de “herói” pelo governador Sérgio Cabral.

Cenas de horror em Realengo

Na manhã desta quinta-feira, um jovem de 24 anos entrou na Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, Zona Oeste da cidade, dizendo ter sido convidado para dar uma palestra aos alunos. Ele subiu três andares do prédio e entrou numa sala onde 40 alunos da nona série assistiam a uma aula de Português, abrindo fogo contra os estudantes com idades entre 12 e 14 anos.

Testemunhas relatam um verdadeiro massacre. Wellington Menezes de Oliveira teria mirado contra a cabeça dos estudantes, com a clara intenção de matá-las. Quase trinta alunos foram baleados e mais de 10 morreram. Após o ataque, o assassino deixou uma carta de de teor fundamentalista no local. O texto continha frases desconexas e incompreensíveis, com menções ao Islamismo e até mesmo práticas terroristas. Em seguida, ele se matou dando um tiro na própria cabeça.

Alunos, professores e funcionários da escola acreditam que mais de cem disparos foram efetuados. Wellington, um ex-aluno do colégio, estava armado com dois revólveres e recarregou a arma durante a ação. O imenso barulho também assustou a vizinhança, que ainda ouviu os gritos de horror das crianças que, ensanguentadas, correram às ruas em busca de socorro.

Rapidamente uma multidão se formou em frente à escola. Em desespero, familiares e amigos tentavam ajudar as crianças e identificar as vítimas, ao mesmo tempo que tentavam entender os motivos do massacre.

O ministro da Educação, José Haddad, considerou este um dia de luto para a educação brasileira. Com a voz embargada, a presidente Dilma Roussef se disse chocada e consternada com o episódio e, com lágrimas nos olhos, pediu um minuto de silêncio pelos “brasileirinhos que foram retirados tão cedo de suas vidas e de seus futuros”.

Original em: http://odia.terra.com.br

GD Star Rating
loading...

Situação no IML de Curitiba ainda é dramática

Dezenas de corpos permanecem nas suas câmaras geladas e necrochorume ainda vaza

Comissão da OAB retornou ao IML de Curitiba: situação é só um pouco melhor que há 20 dias (foto: Valquir Aureliano)

O Instituto Médico Legal (IML) de Curitiba ainda contava, até ontem, com cerca de 75 corpos nas suas câmaras geladas. Era bem menos que o visto há 20 dias, quando 150 corpos estavam amontoados nas câmaras, alguns há anos. No entanto, a situação está longe de ser confortável. Ontem, a Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil no Paraná (OAB-PR), fez nova vistoria na unidade.
A intenção do retorno ao IML era verificar quais medidas já haviam sido tomadas para acabar com o cenário de terror visto pela comissão no dia 17 de março, quando foi feita a primeira vistoria no local. Um relatório foi produzido pela comissão, e classificou o estado do IML de Curitiba como “quadro dantesco”.
Ontem, apesar da vistoria ter verificado que metade dos corpos já haviam sido retirados, o número ainda é maior que a capacidade do IML — o normal é que, no máximo, 40 corpos fiquem no local. A comissão também relatou que o vazamento de necrochorume ainda acontece. Uma vistoria no esgoto do IML também deverá ser feito. Num ofício encaminhado à Sanepar, a comissão manifesta preocupação com a possibilidade de resíduos líquidos (chorume) provenientes de corpos putrefeitos estarem sendo despejados na rede de esgoto ou pluvial.
Na primeira vistoria, em março, o diretor do IML, Porcídio Vilani, reconheceu a situação dramática no IML, denunciada pela imprensa há um mês. Ele disse que havia problemas graves de estrutura e de falta de espaço na cidade para o seputlamento de corpos de indigentes.
Parte dos problemas começam a ser resolvidos, como a remoção dos corpos. Mas ainda seria necessário grandes investimentos para restaurar o serviço eficiente no IML. O governo do Estado já teria autorizado parte destes investimentos, como a compra de mais veículos e a ampliação do IML.

Relatório — O relatório produzido pela caomissão da OAB foi encaminhado à Casa Civil, Secretaria de Estado da Segurança Pública, Secretaria de Estado da Justiça, Ministério Público Estadual, Secretaria Municipal do Meio Ambiente, Vigilância Sanitária e Sanepar ainda na semana passada.
Nos ofícios, a OAB Paraná pedia às secretarias do governo do Estado que comandem, urgentemente, as providências corretivas necessárias. “Trata-se (o relatório) de descrição de fatos agressivos aos direitos humanos, constatados pela Comissão de Direitos Humanos desta entidade”, afirma o presidente José Lucio Glomb nas correspondências encaminhadas às autoridades estaduais.
Ao Procurador-Geral de Justiça, Olympio de Sá Sotto Maior Neto, a OAB afirma identificar competência investigativa do Ministério Público para apuração de responsabilidades a respeito do sucateamento do IML.
Depois do IML, a Comissão também pretendia visitar as instalações do Instituto de Criminalística, que funciona no mesmo endereço, apra verificar as informações de que a falta de estrutura compromete o trabalho de perícia criminal.

Original em: http://www.bemparana.com.br

GD Star Rating
loading...

Professores prestam depoimento sobre crime em escola de Realengo

Rio – Professores da escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, Zona Oeste do Rio, estão, na tarde desta quinta-feira, na Delegacia de Homicídios (DH), na Barra da Tijuca, prestando depoimento. No local também está o policial que baleou o atirador momentos antes dele se matar. Ele deve prestar depoimento, ainda, nesta quinta.

Nesta tarde a chefe da Polícia Civil, Martha Rocha, acompanhou policiais da Delegacia de Homicídios (DH) e peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE), na visita à casa de Wellington Oliveira, em Sepetiba, Zona Oeste do Rio. 

De acordo com a polícia, um cenário de caos foi encontrado na residência do atirador, com móveis quebrados e o disco rígido do computador queimado. Um novo bilhete, de conteúdo não divulgado, foi encontrado no chão do quarto de Wellingnton. Duas pessoas da família acompanham as buscas.

Original em: http://odia.terra.com.br

GD Star Rating
loading...

Peritos vão à casa do atirador no Rio de Janeiro

Bombeiros retiram corpo de Wellington Menezes de Oliveira, de 24 anos

 

Peritos do ICC (Instituto de Criminalística Carlos Éboli) e membros da Polícia Civil do Rio de Janeiro foram na tarde desta quinta-feira  à casa de Wellington Menezes de Oliveira, responsável pelo massacre que ocorreu na manhã de hoje na Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, no Rio de Janeiro.

O atirador matou 11 crianças e feriu outras 22. Após o massacre, Wellington, ex-aluno da escola, se matou. A perícia na casa do atirador, em Sepetiba, está em andamento.

 

 

 

 

 

Original em: http://www.band.com.br

GD Star Rating
loading...

Peritos da polícia fazem novos testes no Playcenter

Ainda nesta terça-feira estão previstos os depoimentos das vítimas e de funcionários do parque de diversões

Técnicos do Núcleo de Engenharia do Instituto de Criminalística da Polícia Técnico-Científica de São Paulo estiveram, na manhã desta terça-feira, no parque Playcenter, na zona oeste de São Paulo, para realizar simulações de funcionamento no brinquedo Double Shock e apurar as causas do acidente. A vistoria foi realizada por conta do acidente que deixou 8 pessoas feridas, na tarde do último domingo.

Peritos fizeram novos testes no brinquedo Double Shockna na manhã desta terça-feira

Segundo a assessoria do parque, esta nova perícia foi necessária após os testes realizados na segunda-feira não terem sido conclusivos. O parque, que permanece fechado até a próxima sexta-feira, também recebeu, até o momento, representantes do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea), da Polícia Técnica, do Departamento de Controle de Uso de Imóveis (Contru), Defesa Civil, da Subprefeitura da Lapa, e afirma que está encaminhando documentos comprobatórios de todo o histórico recente que certifica a regularidade do equipamento.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), ainda nesta terça-feira estão previsto os depoimentos de vítimas e funcionários do parque no 23º Distrito Policial, em Perdizes.

Ainda segundo a SSP, na segunda-feira, operadores do brinquedo prestaram depoimentos. Três das oito vítimas permanecem internadas, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), no Hospital Metropolitano, também em São Paulo.

 

 

Original em: http://ultimosegundo.ig.com.br

GD Star Rating
loading...