Especialista mostra como preparar o emocional para um concurso público

concursoEstabilidade profissional e financeira, além de outros benefícios somados ao salário, atrai cada vez mais pretendentes a cargos públicos. Com a concorrência, os candidatos necessitam de uma preparação eficiente e que resulte em um bom desempenho na hora da prova. Mas o êxito não está condicionado simplesmente ao estudo. Uma soma de vários fatores, antes e durante a realização do exame, pode ser decisiva para a aprovação.
Quem dá a dica é o especialista em concursos públicos e professor de direito constitucional e administrativo, Edem Nápoli. Ele ensina que a preparação do concursando deve se dividir em níveis: planejamento/organização, técnicas de estudo e técnicas de realização da prova.
No primeiro o candidato deve definir qual a carreira que deseja seguir, se planejar de acordo com as orientações do edital e organizar o tempo de estudo. O segundo refere-se à metodologia de estudo que a pessoa deve adotar, como sublinhar ou marcar textos, praticar exercícios e simulados. E o terceiro diz respeito ao que o aluno deve fazer durante os exames, como responder primeiro as questões mais fáceis e calcular o tempo de resposta de modo a não comprometer a marcação do gabarito.
“Mas o candidato não deve se preparar para um único concurso especificamente. É importante que ele faça vários e acumule experiência para outras provas. Assim ele fica mais preparado e aumenta as chances de aprovação. E não pode desistir se não conseguir. Pelo menos 90% dos candidatos não passam de primeira”, acrescenta Nápoli.
O aspecto emocional também deve estar equilibrado. Para isso, é importante que o candidato não seja submetido à pressão por um bom desempenho. “O candidato não deve se cobrar. Nem a família. Ninguém faz concurso para passar, mas sim até passar”, explica.

Novos concursos
Já se encontram em estudo técnico na Secretaria da Administração do Estado da Bahia (Saeb) concursos para preenchimento de vagas na Secretaria de Segurança Pública (SSP) e Procuradoria Geral do Estado (PGE).
Os interessados em integrar o quadro de pessoal da Polícia Civil poderão concorrer a uma das 130 vagas distribuídas para os cargos de perito médico-legal (60), perito criminalístico (40), perito odonto-legal (10) e perito técnico (20). Já o concurso da PGE disponibilizará 25 oportunidades para procurador do Estado.

Original em: http://www.tribunadabahia.com.br por Gabriel Serravalle

Leave a Reply