Posto do IPC em Cajazeiras reduz tempo de atendimento em locais de crime

O Posto Avançado de Criminalística de Cajazeiras, no Sertão da Paraíba, começou a funcionar nesta segunda-feira (3), em regime de plantão. O objetivo é atender todos os casos de morte violenta e de crimes contra o patrimônio ocorridos nos 14 municípios abrangidos pela 20ª Área Integrada de Segurança Pública (Aisp), dando mais agilidade ao trabalho das Polícias no local de crime, e melhorando o serviço prestado à população. A unidade está vinculada ao Núcleo de Criminalística de Patos.
 
De acordo com o diretor do Instituto de Polícia Científica (IPC), Humberto Pontes, foram disponibilizados para o Posto Avançado três peritos criminais e três auxiliares. “A presença do IPC na cidade era uma das demandas da população, sanada com a chegada dos seis servidores, que trabalham agora em casos como homicídios, suicídios, mortes suspeitas e acidentes de trânsito com vítima fatal, além de arrombamentos e outros danos patrimoniais”, explicou Pontes, acrescentando que “a remoção de cadáveres e consequentes exames continuam sendo realizados pelo Núcleo de Medicina e Odontologia Legal de Patos”.
 
O delegado seccional de Cajazeiras, Gilson Teles, reforçou que o tempo de atendimento à população em local de crime foi reduzido em pelo menos três vezes com o funcionamento do Posto Avançado na Aisp. “Com os peritos na cidade, realiza-se os exames mais rapidamente e libera-se em menos tempo os corpos de vítimas, por exemplo. Também temos um rabecão com dois motoristas de plantão para dar mais agilidade a esse processo, evitando constrangimentos e fortalecendo a credibilidade da Polícia junto à comunidade”, frisou.
 

Leave a Reply