Peritos realizam mobilização e cobram melhores condições

Já é tradição em Mato Grosso comemorar o Dia Nacional do Perito Criminal doando sangue. Em 2015, nesta sexta-feira, o ato de solidariedade ocorrerá entre às 8h e às 17h no pátio da Politec.

No período da tarde, entretanto, os peritos criminais devem paralisar suas atividades, reivindicando melhores condições de trabalho.

O dia de mobilização está sendo organizado pelo Sindicato dos Peritos Oficiais Criminais de Mato Grosso (Sindpeco/MT). “Estamos passando por um momento delicado, enfrentando uma série de dificuldades estruturais no ambiente de trabalho na capital e no interior. Precisamos nos manter unidos para conseguir conquistar nossas reivindicações”, afirma o presidente da entidade, Alisson Trindade.

O perito criminal é o responsável por elaborar laudos periciais, documentos fundamentais na elucidação de crimes diversos: contra a vida, contra patrimônio, contra o meio ambiente, crimes de trânsito, entre outros.

Da Redação

Original em: http://www.folhamax.com.br

GD Star Rating
loading...

Governador inaugura primeiro laboratório forense

O governador Renan Filho inaugura nesta sexta-feira (4), às 15 horas, o Laboratório Forense do Instituto de Criminalística (IC). A unidade será responsável pelos exames nas áreas de química, toxicologia e biologia forense e sua implantação marcará a história da perícia criminal alagoana.

O Laboratório Forense do IC, o primeiro de Alagoas, recebeu o nome do perito Severino Lira dos Santos e funcionará no prédio-sede da Perícia Oficial do Estado de Alagoas, situado na Rua do Sol. Orçada em R$ 475 mil, a obra foi financiada com recursos do Tesouro Estadual.

O novo espaço conta com uma moderna estrutura, que inclui salas de toxicologia, biologia forense, química forense, cromatografia gasosa, confecção de laudos, cromatografia líquida e espectroscopia, sala para preparação de soluções e descontaminação de vidrarias, sala do servidor, custódia de vestígios, recepção e chefia.

Segundo a perita criminal Rosana Coutinho, chefe de perícias de laboratório, o projeto foi planejado para oferecer as melhores condições de trabalho aos peritos criminais que irão atuar no espaço na realização de análises de provas técnicas.

Além da estrutura física foram investidos mais de R$ 2,3 milhões na aquisição de equipamentos para o laboratório, fruto de convênio firmado entre Governo do Estado e o Ministério da Justiça.

“Na área química os peritos poderão analisar substâncias brutas como maconha, cocaína, crack e outros tipos de drogas sintéticas. Na área de biologia serão examinadas vestes, instrumentos de crime e objetivos diversos, para se constatar a existência de substâncias biológicas, a exemplo de sangue humano, sêmen, entre outros, para serem encaminhados para o confronto genético. E na toxicologia serão examinadas as interações de substâncias nos corpos humanos,” esclareceu a perita Rosana Coutinho.

O perito-geral Manoel Melo destacou que a obra havia sido paralisada no ano passado e, por conta disso, o IC Alagoano corria o risco de perder todos os equipamentos adquiridos no convênio com o Ministério da Justiça. Ele explicou que o projeto da construção do laboratório foi iniciado no final do ano de 2010, com contrapartida do Estado, após assinatura do convênio.

“Estamos muito felizes em poder inaugurar e começar a utilizar todos os recursos do laboratório forense do IC, ressaltando o empenho de nossa equipe para a finalização desse projeto. Conseguimos iniciar a obra em outubro de 2013, mas com os entraves burocráticos os trabalhos foram paralisados, sendo necessária a substituição da antiga construtora. O Laboratório Forense irá contribuir diretamente no enfrentamento da criminalidade”, explicou Manoel Melo.

Para o secretário de Estado da Segurança Pública (SSP/AL), Alfredo Gaspar de Mendonça Neto, a inauguração do Laboratório Forense significa um ganho incalculável para a perícia, que agora passa a ter condições de realizar exames indispensáveis e muito importantes, dando celeridade aos laudos.

“Não podíamos imaginar equipamentos caros devolvidos; uma perícia com profissionais competentes, mas sem condições de produzir e agilizar trabalhos importantes para a elucidação de crimes. O governador Renan Filho assumiu o débito deixado; a obra foi retomada e agora a perícia tem um espaço seu, com capacidade de realizar análises sem precisar de peregrinação. E a sociedade, com certeza, será a maior beneficiada”, concluiu o secretário Alfredo Gaspar de Mendonça Neto.

Fonte: Agência Alagoas
Original em: http://www.alagoas24horas.com.br
GD Star Rating
loading...

Seminário debate técnicas e avanços na Perícia Criminal

Locais de explosão e de acidentes serão tema de palestras

Como a perícia ocorre em um local de crime onde houve uma explosão? Por onde iniciar a coleta de vestígios de um acidente de trânsito fatal? Como é possível comprovar, por meio da perícia, a prática de crimes financeiros?

Todas essas questões serão debatidas no I Seminário Alagoano de Perícias Criminais, que ocorre nos dias 3 e 4 deste mês, no Auditório da Unit, em Cruz das Almas, sempre a partir das 8h (programação em anexo).

O evento, organizado pela Associação Alagoana de Peritos em Criminalística (AAPC) e Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais, traz a Maceió especialistas em diversos segmentos como a contabilidade, a engenharia civil, computação forense, meio ambiente, odontologia forense e medicina legal.

Por: assessoria

Original em: http://www.tribunahoje.com

GD Star Rating
loading...

Agente do IC se recusa a fazer perícia em droga sem auto de apreensão e é levada presa

Se não for tomada nenhuma providência, daqui pra frente, qualquer autoridade policial pode  chegar aqui e obrigar o perito produzir a prova que ele quer. É o fim da autonomia dos peritos’, alerta a presidente do Sinpoeam

O delegado plantonista  do 12ª Distrito Integrado de  Polícia (DIP), Miguel Ângelo, levou presa perita criminal Cacilda Satomi, 48, segundo ele por desacato.

A prisão de Satomi aconteceu por volta da meia-noite desta última terça-feira (1º) no laboratório onde ela trabalha no Instituto de Criminalística (IC). O IC fica localizado na avenida Noel Nutels, no bairro Cidade Nova 2, Zona Norte de Manaus.

A perita se recusou a receber trouxinhas de droga para serem periciadas sem o auto de exibição da droga, conforme norma estabelecida em portaria da Delegacia  Geral da Polícia  Civil.

Cacilda foi levada para o 12º DIP onde foi ouvida e o delegado chegou a lavrar um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) que não chegou a ser encaminhado à Justiça devido a interferência do delegado supervisor do dia Carlos Sena.

Depois de ouvida, Cacilda foi liberada. A presidente do Sindicato dos Peritos Oficiais do Amazonas (Sinpoeam), Fernanda Versiani, disse que a ação do delegado é um atentado à prova pericial.

“Se não for tomada nenhuma providência, daqui pra frente, qualquer autoridade policial pode  chegar aqui e obrigar o perito produzir a prova que ele quer. É  o fim da autonomia dos peritos” disse Fernanda. Até o fechamento desta matéria, o delegado Miguel Ângelo ainda não havia sido localizado para comentar o caso.

Por: Manaus (AM)

Original em: http://acritica.uol.com.br

GD Star Rating
loading...