Exames contradizem PMs e indicam que jovens fuzilados não atiraram; para polícia, arma foi “plantada”

Segundo o IML, não foi encontrada pólvora nas mãos dos 5 jovens

Segundo o Instituto de Criminalística, o carro onde estavam os cinco jovens tem 81 impactos de projétil. Severino Silva/Ag. O Dia

A Polícia Civil concluiu que os cinco jovens mortos fuzilados dentro de um carro no dia 28 de novembro em Costa Barros, zona norte do Rio, não dispararam contra os quatro PMs suspeitos de fuzilá-los. A conclusão foi informada nesta terça-feira (8) a partir da divulgação dos resultados de exames periciais no carro e nos corpos das vítimas.

Exame residuográfico nas cinco vítimas descartou a presença de pólvora em suas mãos, o que indica que nenhum deles disparou contra os PMs, diferentemente da versão dos acusados. Segundo o diretor do ICCE (Instituto de Criminalística Carlos Éboli), Sérgio William, nenhum disparo partiu do Palio branco onde estavam os jovens.

Não foram encontrados vestígios, nada que indique que houve disparo de dentro para fora do veículo [em que estavam os jovens].

Segundo ele, as perfurações no carro provocadas por balas — foram verificados 81 impactos de projéctil no veículo — se concentram na parte traseira e do lado direito. William e o delegado da 39ª DP (Pavuna) também afirmaram que não foram encontrados indícios de que os PMs entraram em confronto com supostos traficantes, também segundo versão dos policiais. Eles disseram à polícia que reagiram a suposto ataque de um dos rapazes mortos e que também foram alvo de criminosos da região após a ocorrência de saque a um caminhão da Ambev.

O delegado citou depoimento de testemunha que relatou que os rapazes não saíram do carro, o que corrobora que não houve confronto. Segundo Rui Barbosa, os PMs “plantaram” uma arma no veículo dos rapazes. Ele ainda citou que o motorista do caminhão contou que o carro envolvido no roubo era um Fiat azul, modelo e cor diferentes do veículo em que estavam os rapazes.

Essas contradições nos fazem acreditar que a coisa não foi do jeito que os policiais relataram.

Rui Barbosa vai solicitar agora, a partir do encaminhamento de ao menos dez projéteis retirados dos corpos dos rapazes ao ICCE, que seja realizado exame de confronto balístico com as armas apreendidas dos PMs.

Do R7

Original em: http://noticias.r7.com

1 comment to Exames contradizem PMs e indicam que jovens fuzilados não atiraram; para polícia, arma foi “plantada”

Leave a Reply