Coletiva explica a ajuda do DNA na solução de estupros

O Laboratório de Biologia e DNA Forense da Superintendência de Polícia Técnico-Científica de Goiás, ao solucionar casos de estupro por meio do sistema integrado de banco de dados de DNA, torna-se referência para outros estados. Para apresentar um recente caso em que o exame combinou, ou seja, as amostras testadas correspondem, ‘match’, em inglês, e explicar a igualdade a que chegaram os peritos criminais do Laboratório de Biologia e DNA Forense, a superintendente de Polícia Técnico-Científica, Rejane Barcelos, recebe a imprensa no Instituto de Criminalística logo mais as 9 horas.

Trata-se de um crime de estupro de uma menina de 12 anos que foi elucidado pela superintendência da Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária. Desta vez, o resultado de análises de amostras encontradas no corpo de uma criança estuprada foi inserido no banco de dados do Estado e imediatamente o sistema acusou que havia perfil genético com resultado semelhante de um interno da Penitenciária Odenir Guimarães, em Aparecida de Goiânia.

Trata-se do terceiro caso de correspondência de DNA, match, do Laboratório de Biologia e DNA Forense do Estado de Goiás. A superintendente da Polícia Técnico-Científica afirma que dificilmente este crime seria solucionado sem o trabalho dos peritos e o sistema integrado de banco de dados de DNA, que reúne e agrega as informações dos bancos de vários estados.

O autor desse estupro havia cometido dois assaltos e dois estupros antes e teve o seu perfil genético registrado no banco de dados a pedido de um juiz em 2014. Outros dois casos de estupro foram elucidados no ano passado graças ao trabalho do Laboratório de Biologia e DNA, um dos vários laboratórios da Polícia Técnico-Científica da SSPAP.

Por: Goiás agora

Original em: http://www.goiasagora.go.gov.br

GD Star Rating
loading...

Polícia Técnico-Científica desvenda crime de estupro por análise de DNA

Laboratório de Biologia e DNA Forense da SPTC torna-se referência para outros estados

Um crime de estupro de uma menina de 12 anos de idade, ocorrido em 2014, no Residencial Eli Forte, em Goiânia, foi elucidado pela Polícia Técnico-Científica da Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP).

A partir de análises dos vestígios encontrados no corpo da vítima após o crime e inseridos no banco de dados de perfis genéticos do estado no início deste ano, peritos criminais do Laboratório de Biologia e DNA Forense, do Instituto de Criminalística, chegaram ao autor do crime: o interno da Penitenciária Odenir Guimarães, Dennes Rafael Gomes Prado Castro, que na época do crime estava foragido da justiça.

Condenado por roubos e outros casos de estupro, Dennes Castro teve o seu perfil genético inserido no banco de dados por determinação do juiz criminal de Aparecida de Goiânia, Roberto Olinto Bueno Neto, que o considerou um criminoso de alta periculosidade.

Segundo a superintendente da Polícia Técnico-Científica, Rejane Barcelos, a partir do banco de dados de DNA é possível confrontar perfis genéticos encontrados em vítimas com os perfis de condenados por crimes hediondos e, assim, identificar autores em casos em que nem há suspeitos.

“Com essa ferramenta molecular, conseguimos uma investigação científica sem ter suspeito”, reforça Rejane, explicando que até então na maioria dos casos elucidados a polícia civil enviava o suspeito. “Se não fosse o banco de dados, muito provavelmente esse caso não seria elucidado, chegamos à autoria em função do banco de dados de DNA”, ressalta.

Este é o terceiro “match” (igualdade, coincidência) do Instituto de Criminalística da SSPAP. No ano passado, os peritos conseguiram elucidar outro caso regional e um caso interestadual a partir do banco de dados de DNA do estado que é interligado ao banco nacional de dados de perfis genéticos que tem base em Brasília e faz a conexão com 19 bancos estaduais.

No banco são inseridos perfis genéticos resultantes de análises de material coletado em locais de crime, incluindo vítimas, e em presos condenados. De acordo com a superintendente Rejane Barcelos, Goiás hoje é referência nesse trabalho de análise de DNA tendo chegado, no ano passado, ao primeiro match do Brasil envolvendo condenado.

Rejane Barcelos destaca que o Laboratório de Biologia e DNA Forense tem por atribuições resolver crimes seriais com indicação de autoria, solucionar crimes sem suspeitos, solucionar crimes interestaduais e solucionar crimes antigos. Os critérios para inserção dos resultados de análises de DNA no banco de dados são rígidos e só podem ser feitos por peritos oficiais. O laboratório goiano, um dos mais equipados do país, funciona com três doutores e dois mestres especialistas na área. Ele auxilia nas investigações criminais, atuando principalmente fazendo a relação entre provas de DNA de cenas de crime e também na identificação de corpos humanos.

Na solução de crimes seriais com indicação de autoria, por exemplo, o Laboratório de Biologia e DNA Forense pôde relacionar 20 vítimas com 5 agressores, sendo 5 vítimas de Goiânia, 4 vítimas de Goianira, 4 vítimas de Anápolis (autor 1) e 6 vítimas de Anápolis (autor 2). O primeiro caso de match do Laboratório, sem existência de suspeito, ocorreu no ano passado quando os peritos inseriram no banco de dados informações genéticas de um estuprador  preso em flagrante em Luziânia. O sistema integrado de dados indicou que o perfil era idêntico ao material coletado em uma vítima de estupro no Pará.

Caso do Eli Forte
O crime contra a menina de 12 anos, em 2014, foi solucionado porque no ano passado a Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) enviou à Polícia Técnico-Científica sete vítimas e um suspeito de estupro. O perfil genético masculino obtido em cinco vítimas era o mesmo e correspondia ao do suspeito. Em outro caso, não foi encontrado material masculino. E na menina de 12 anos, o material genético não correspondia ao do perfil do suspeito. E foi exatamente esse material genético que foi inserido no banco de dados de DNA do estado de Goiás.

O banco de dados, que tem como plataforma o sistema Codis Architecture, o mesmo utilizado pelo FBI, nos Estados Unidos, fez o confronto com as informações constantes no estado e em todo o país, buscando perfis coincidentes, e encontrou o perfil de um dos condenados já inserido no banco em setembro do ano passado. Os peritos concluíram que a amostra biológica do material recolhido do corpo da menina estuprada tenha sido gerada pelo condenado em questão.

Para a titular da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente de Goiânia, Paula Meotti, que já investigou um dos casos em que Dennes Castro tinha sido autor e agora coordenava as investigações do estupro ocorrido no Residencial Eli Forte,  o trabalho do Laboratório e a inserção dos perfis no banco de dados de DNA são importantes para elucidar casos mais complexos em que não suspeito definido. “Nesse caso específico, o autor não havia sequer sido cogitado como suspeito, tanto pelo local do fato quanto pelo modus operandi, e foi o banco de dados que confrontou os perfis e indicou a autoria”, acentua.

De acordo com Paula Meotti, o autor desse estupro praticou o crime quando estava foragido da justiça. “Ele tinha uma condenação no município de Trindade, mas estava foragido e praticando outros crimes em Aparecida de Goiãnia e em Goiânia”, diz. Paula Meotti acredita que com o trabalho do Laboratório de Biologia e DNA Forense e a inserção de novos perfis no banco de dados de DNA será possível solucionar outros crimes nos próximos meses. “A prova obtida por esse banco de dados é cabal, principalmente quando há dificuldades em se obter suspeitos pelo fato”, ressalta.

Conforme destaca, a DPCA está atuando em conjunto com a Polícia Técnico-Científica para levantar as vítimas em que não há suspeitos ainda, para que seja realizado um confronto com condenados que já estão com seus perfis no banco de dados ou que passarão a integrá-lo a partir de agora.

Desde que começou a funcionar, o banco de dados de Goiás já inseriu 139 perfis genéticos. Dentre eles, os perfis de 34 condenados, 85 de vestígios coletados em local de crime e vítimas de estupro, um por decisão judicial, 18 de restos mortais não identificados e um de pessoa não identificada.

A expectativa da superintendente de Polícia Técnoco-Científica, Rejane Barcelos, é de intensificar as análises e a inserção dos resultados para consolidar o banco de dados, tornando-o uma ferramenta de apoio às investigações realizadas pelas delegacias policiais, seja na autoria de crimes, seja na identificação de pessoas mortas.

GD Star Rating
loading...

Ipserv abre inscrições para concurso público em Uberaba

Processo pode ser feito pela internet a partir desta quarta-feira (30).
Provas para nove cargos serão no dia 22 de maio.

As inscrições para o concurso público ofertado pelo Instituto de Previdência dos Servidores Públicos Municipais de Uberaba (Ipserv) serão abertas a partir de hoje. O edital do processo pode ser acessado pelo site da Prefeitura de Uberaba, por meio do jornal oficial Porta-Voz. As inscrições serão feitas via internet até as 23h59 do dia 22 de abril.

Os cargos são para Agente de Serviços Previdenciários para Administrativo, Contabilidade e Informática; Analista de Serviços Previdenciários para Administrativo, Contabilidade, Direito e Serviço Social; e ainda para Médico Perito Previdenciário e Procurador Autárquico.

A taxa de inscrição é de R$ 60 para os cargos de Agente de Serviços Previdenciários, R$ 80 para Analista de Serviços Previdenciários e R$ 100 para Médico Perito e Procurador.

O pedido de isenção da taxa, bem como o cadastro da inscrição, devem ser feito pelo site da empresa Cetro Concursos, responsável pelo processo seletivo. A jornada de trabalho é de 30 horas semanais e pode ser estendida caso haja necessidade.

As provas serão realizadas no dia 22 de maio, em lugar ainda a ser definido. Os cargos de Agente de Serviços Previdenciários, de Médico Perito e Procurador Autárquico farão prova no período matutino. Já os cargos de Analista de Serviços Previdenciários realizarão as provas à tarde.

Por: Do G1 Triângulo Mineiro

Original em: http://g1.globo.com

GD Star Rating
loading...

Polícia Federal prende foragido procurado desde 2008

São Paulo/SP – Policiais federais cumpriram na noite do último dia 23, quarta-feira, um mandado de prisão expedido pela 1ª Vara Federal Criminal de São Paulo. A ordem foi expedida em desfavor de um homem acusado de matar uma perita do Trabalho em 2008.

O foragido foi localizado em Cassilândia/MS, onde vivia com nome falso. De lá, foi levado para a Superintendência da Polícia Federal em São Paulo, onde ficará à disposição da 1ª Vara Criminal Federal do Tribunal do Júri do Estado de São Paulo.

O crime ocorreu no dia 18 de dezembro de 2008, no bairro de Santo Amaro, na capital paulista, onde funcionava a empresa do acusado. Segundo os autos do processo, a vítima foi recebida pelo homem e iria analisar documentos para a elaboração de laudo pericial que instruiria uma ação trabalhista movida em 1995 por uma ex-funcionária do foragido.

De acordo com testemunhas, a perita do Trabalho havia separado o material para a conclusão dos trabalhos, momento em que houve uma discussão dentro da sala do acusado. Ao ameaçar buscar reforço policial, a vítima foi executada pelo homem, que estava foragido desde então.

Por: DPF/MJ

Original em: http://www.ariquemesonline.com.br

GD Star Rating
loading...

Inscrições para concurso público do Ipserv começam amanhã

Começam nesta quarta-feira (30), as inscrições para o concurso público divulgado pelo Instituto de Previdência dos Servidores Públicos Municipais (Ipserv). Segundo a Prefeitura de Uberaba, os cargos ofertados são: Agente de Serviços Previdenciários para Administrativo, Contabilidade e Informática; Analista de Serviços Previdenciários para Administrativo, Contabilidade, Direito e Serviço Social; Médico Perito Previdenciário e Procurador Autárquico.

Conforme dados da PMU, a taxa de inscrição é de R$ 60,00 para os cargos de Agente de Serviços Previdenciários; R$ 80,00 para Analista de Serviços Previdenciários e de R$ 100,00 para Médico Perito e Procurador. Para efetuar o pedido de isenção da taxa de inscrição, é necessário enviar a solicitação via internet ao endereço eletrônico da Cetro Concursos e, também, o envio da documentação por Sedex ou AR nos dias 30 e 31 de março.

De acordo com o edital do concurso, o salário para Agente de Serviços Previdenciários é de R$ 1.563,38; para Analista de Serviços Previdenciários, R$ 3.126,75, e para Médico Perito e Procurador, de R$ 6 mil. São oferecidos benefícios de Auxílio Alimentação no valor de R$ 380,00 e Plano de Saúde. A jornada de trabalho é de 30 horas semanais, porém, pode ser estendida caso haja necessidade, incluindo regime de plantões aos sábados, domingos e feriados de acordo com as necessidades e conveniências do Ipserv.

As inscrições devem ser efetuadas exclusivamente pela internet, no endereço eletrônico da Cetro Concursos, pelo linkwww.cetroconcursos.org.br, do dia 30 de março até as 23h59 do dia 22 de abril. As provas acontecem no dia 22 de maio. Os cargos de Agente de Serviços Previdenciários, Médico Perito e Procurador Autárquico farão a prova no período da manhã e os concorrentes aos cargos de Analista de Serviços Previdenciários, no período da tarde.

Informações relativas ao concurso podem ser encontradas no site da Cetro Cursos, no site da prefeitura/Ipserv (www.uberaba.mg.gov.br) ou pelo jornal oficial do município “Porta Voz”. (DC)

Original em: http://www.jornaldeuberaba.com.br

GD Star Rating
loading...

Governo realiza curso de investigação de homicídios em parceria com Ministério da Justiça e embaixada dos EUA

A Academia de Polícia Civil da Paraíba (Acadepol) realiza, a partir de segunda-feira (28) até o dia 1º de abril, a 7ª edição do curso de Investigação de Homicídios, promovido pela Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça (Senasp/MJ), em parceria com a embaixada dos Estados Unidos (EUA). Participam do curso, 24 policiais civis paraibanos e ainda representantes da Polícia Civil de 13 estados brasileiros. As aulas, divididas entre teóricas e práticas, serão ministradas por policiais norte-americanos do Departamento de Homicídios de Miami (EUA) e terão tradução simultânea.

A abertura do curso foi realizada pelo secretário de Segurança e Defesa Social, Cláudio Lima, que explicou a importância da troca de informações, que servirão para um aperfeiçoamento dos policiais civis paraibanos. “Esse tipo de curso proporciona um trabalho ainda mais complexo das equipes de investigação de homicídios que atuam no Estado da Paraíba. Quanto mais conhecimento mais isso será aplicado no enfrentamento aos crimes violentos. O objetivo é investir em Segurança Pública”, frisou Cláudio Lima.

De acordo com o diretor da Acadepol, delegado Severiano Pedro, o curso é uma oportunidade de conhecer formas de investigação administradas por policiais de outro país. “O intuito é o aperfeiçoamento de técnicas que possam contribuir com o trabalho desenvolvido pelos policiais civis quando chegam a um local de crime. Essa capacitação é muito importante e mostra o comprometimento da Secretaria da Segurança Pública da Paraíba. O conhecimento é necessário para a realização de um trabalho policial bem feito e que está diretamente relacionado à elucidação de crimes”, disse.

O objetivo do curso é contribuir para o fortalecimento de uma investigação efetiva de homicídios e acontece em várias cidades brasileiras. Durante as aulas, os alunos aprenderão desde coleta de indícios no local de crime até técnicas de abordagens aos suspeitos, orientações de procedimento de interrogatório e dicas para a preservação do local onde o assassinato aconteceu.

O delegado geral da Polícia Civil da Paraíba, João Alves de Albuquerque, ressaltou que esse tipo de investimento é essencial para o aperfeiçoamento das equipes que trabalham diretamente com a investigação de homicídios. “Tivemos a preocupação de proporcionar o acréscimo de conhecimento específico a esses policiais para que eles sejam multiplicadores do conteúdo que foi aprendido no curso. O Governo do Estado, por meio da Secretaria da Segurança e Defesa Social (Seds), organizou todo um esquema para que esses alunos pudessem ser recebidos e acolhidos na Acadepol, e isso só demonstra o investimento na área de Segurança Pública e traz benefícios para a Polícia Civil”, finalizou João Alves.

Iniciativa do Governo Federal – A ação que está sendo realizada em João Pessoa faz parte do Programa Brasil Mais Seguro, o Governo Federal. O objetivo é que detetives da polícia investigativa dos Estados Unidos treinem agentes, escrivães e delegados da Polícia Civil durante o curso Técnicas para Elucidação de Homicídios, realizado pela Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça (Senasp/MJ) em parceria com a Secretaria da Segurança Pública do Estado e a Embaixada dos Estados Unidos no Brasil.

Por: Secom PB

Original em: http://www.paraiba.com.br

GD Star Rating
loading...

Foz do Iguaçu: Imagem de vela ‘aparece’ em local de crime com morte

A cena chamou a atenção. O desenho de uma vela se formou em um monitor de televisão, dentro de um quarto, onde um rapaz foi executado a tiros, na noite deste último sábado (12), em Foz do Iguaçu.

A imagem da vela se formou depois que o aparelho foi atingido por um dos tiros. Já a vítima, caiu bem ao lado da cama e não teve a menor chance de se defender.

O crime aconteceu em uma casa, na rua Arapiraca, no Bairro Parque Presidente. Equipes do Siate chegaram a ser acionadas, mas apenas constataram a morte do rapaz.

Leandro Nogueira, 21 anos, foi executado com pelo menos seis tiros, um acertou a nuca do rapaz, os outros, acertaram o braço e o tórax.

Equipes da Polícia Militar e Civil também foram chamadas para apurar o caso. A Criminalística foi chamada e segundo o perito, há indícios de que o rapaz foi morto enquanto estava ajoelhado.

Testemunhas contaram aos policiais que três homens armados chegaram ao endereço. Dois deles estavam encapuzados.

O trio executou Leandro. Pelos levantamentos iniciais, os investigadores não descartam que o crime pode ter sido cometido por vingança.

O caso segue em investigação. O corpo foi levado ao IML de Foz do Iguaçu.

Por: MassaNews
GD Star Rating
loading...

Polícia Civil-DF tem concurso aberto para Perito Criminal em 2016

Com edital lançado, Polícia Civil do Distrito Federal abre um novo concurso público para selecionar 100 candidatos de nível superior no cargo de Perito Criminal que tem salário de R$ 16.830,85. As inscrições começam no dia 30 de março.

Saiu edital do novo concurso da PC-DF. Estão abertas 100 novas oportunidades de ingresso na Polícia Civil do Distrito Federal para o cargo de Perito Criminal de 3ª Classe. O documento publicado pelo órgão conta com 20 vagas abertas para provimento imediato e 80 para formação de cadastro reserva no cargo que tem exigência de nível superior de escolaridade em diversos cursos. Os salários oferecidos para a função são de R$ 16.830,85 mensais, por jornada de trabalho de 40 horas semanais. Veja o edital.

As vagas são destinadas a candidatos que possuam diploma de graduação nas especialidades de Ciências Biológicas, Ciências Contábeis, Ciência da Computação/ Informática, Engenharia, Farmácia/ Bioquímica, Física, Geologia, Odontologia e Química. De acordo com o edital publicado pelo Instituto Americano de Desenvolvimento – IADES, que é responsável pela organização do concurso, 5% das vagas abertas serão destinadas aos candidatos portadores de deficiência.

O período de inscrições estará aberto entre os dias 30 de março e 5 de maio de 2016 no endereço eletrônico do IADES – www.iades.com.br, onde os candidatos devem efetuar o seu cadastro, que só será validado após o pagamento da taxa de participação que está fixada em R$ 210,00.

Para conquistar uma vaga os candidatos passarão por diversas etapas de avaliação, como:

– Prova objetiva de conhecimentos gerais e específicos, de caráter eliminatório e classificatório;

– Prova discursiva de conhecimentos gerais e específicos, de caráter eliminatório e classificatório;

– Sindicância de vida pregressa e investigação social, de caráter unicamente eliminatório;

– Exames biométricos e avaliação médica, de caráter unicamente eliminatório;

– Prova de capacidade física, de caráter unicamente eliminatório;

– Avaliação psicológica, de caráter unicamente eliminatório;

– Prova de títulos, de caráter meramente classificatório;

– Curso de formação profissional, de caráter eliminatório e classificatório, a ser realizado na Academia de Polícia Civil do Distrito Federal.

As provas objetivas e discursivas, que serão as primeiras a serem aplicadas, acontecerão no dia 19 de junho de 2016 e terão a duração de 05 horas, tendo os seus gabaritos divulgados 24 horas após a sua realização.

O prazo de validade do concurso público será de um ano, contado a partir da data de publicação da homologação do resultado final, podendo ser prorrogado, uma única vez, por igual período.

Por: Adrien Carlos Duarte

Original em: https://www.acheconcursos.com.br

GD Star Rating
loading...

Polícia Civil – PE divulga contrato com a organizadora do Concurso com 966 vagas

A Polícia Civil do Pernambuco divulgou no Diário Oficial do Estado nesta quarta-feira o contrato com a organizadora do próximo Concurso.

Fica reafirmado que o Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (CEBRASPE), mais conhecido como Cespe/UnB é o responsável pela realização do Concurso. Em novembro de 2015 foi divulgada a dispensa de licitação.

Este Concurso visa preencher 966 oportunidades, nos cargos de Delegado de Polícia (100 vagas), Agente de Polícia (500 vagas), Escrivão de Polícia (50 vagas), Médico Legista (40 vagas), Perito Criminal (56 vagas), Auxiliar de Legista (73 vagas), Auxiliar de Perito (96 vagas) e Perito Papiloscopista (51 vagas).

Em breve o edital de abertura deve ser divulgado. Mais informações podem ser obtidas no edital em nosso site.

Por: Karina Felício

Original em: https://www.pciconcursos.com.br

GD Star Rating
loading...

Banco de Perfis Genéticos identifica 1º criminoso sexual em série no Mato Grosso

A primeira identificação de um suspeito de ter cometido crimes sexuais em série foi confirmada pelo exame de DNA, com o auxílio do Banco Nacional de Perfis Genéticos em Mato Grosso. Trata-se de C.R.R. que também utilizava o nome de H.N.S atualmente preso em Rondônia. Enquanto esteve foragido em Mato Grosso, ele cometeu quatro estupros. O primeiro foi em 2013 e outros três em 2015, nas cidades de Cuiabá e Várzea Grande. Entre as vítimas está uma criança de 11 anos de idade.

As informações genéticas de vestígios coletados nas vítimas foram confrontadas com o perfil de DNA do suspeito, a pedido da Delegacia de Defesa da Mulher, e tiveram resultado positivo. Conforme a administradora estadual do Banco de Perfis Genéticos em Mato Grosso, perita criminal Ana Cristina Lepinsk Romio, foi o primeiro registro de crime sexual serial solucionado pelo cruzamento de informações genéticas com outro Estado. “Com a prisão do acusado em setembro do ano passado em Rondônia, a delegada Eliane Moraes se deslocou até o Estado para acompanhar a coleta de material genético do suspeito e encaminhá-lo para a perícia, juntamente com a indicação dos casos em que houve o mesmo modus operandi’, explicou.  A partir de então, o Laboratório Forense começou a separar, processar e comparar as amostras. Dois meses depois, as provas de que os crimes foram cometidos pelo mesmo autor começaram a ser confirmadas. O passo seguinte, segundo a perita, foi inserir o perfil do criminoso no Codis (sistema de indexação de DNA), e realizar as buscas no banco de dados nos estados que fazem parte da Rede Nacional de Banco de Perfis Genéticos, para localizar possíveis vestígios de outros crimes cometidos pelo suspeito. “As amostras de DNA estão custodiadas pela Politec, mas os crimes não estão esquecidos. É um trabalho silencioso e integrado que está dando respostas’’, comentou.

Em menos de um ano de sua implementação em Mato Grosso, o Banco de Perfis Genéticos já conta com 153 perfis inseridos, sendo 16 perfis de Restos Mortais Não Identificados, 109 de vestígios de local de crime, 19 de crimes sexuais e três amostras de referência de familiares de pessoas desaparecidas. De acordo com o coordenador de Perícias em Biologia Molecular, Heitor Simões Dutra, a expectativa com a ampliação das buscas de criminosos por meio do Banco Genético é que a perícia contribua de forma mais efetiva e célere às investigações. “É uma tecnologia que vai além da investigação. Pois a sua atuação impede que um criminoso cometa outros crimes, permitindo a intervenção imediata, através do compartilhamento dessas informações com outros estados’’, relatou.

Crimes

Segundo assessoria, o criminoso tinha como principal prática o roubo e o estupro como delito secundário, sempre agindo sozinho. As vítimas relataram que foram atacadas em casa, por um homem que simulava pedir alguma informação ou água. Ele também utilizava veículos nas abordagens. Em Mato Grosso, o suspeito estava com quatro mandados de prisão preventiva, sendo dois pela comarca de Cuiabá por dois estupros, e outros dois em Várzea Grande pelo estupro de uma mulher e uma criança. Em Rondônia, ele responde na Justiça por estupros e roubos praticados em Porto Velho, cometidos em 2009. Ele também tem processo na Justiça do Amazonas, pelo estupro de 23 mulheres em Manaus, além de roubos e um homicídio, praticado em 2012.

Por: Redação só Notícias

Original em: http://www.sonoticias.com.br

GD Star Rating
loading...