Arquivo

setembro 2017
S T Q Q S S D
« abr    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

Instituto de Criminalista do IGP de Florianópolis funciona com déficit 12 funcionários

Para equilibrar a demanda, o governo do Estado abriu concurso público com salários até de R$ 15 mil

Roberta é a única técnica fonoaudióloga que elabora os laudos de áudio – Colombo de Souza/ND

O IC (Instituto de Criminalística), do IGP (Instituto Geral de Perícia), sediado em Florianópolis, funciona com um déficit de pelo menos 12 funcionários. Atualmente trabalham no IC 21 peritos. São eles que, praticamente, elaboram os laudos mais complexos para a polícia de todo o Estado. Devido a falta de gente, há acúmulo de laudos de áudio e de imagens.

De acordo com o diretor do IGP, Miguel A. Colzani, atualmente os criminosos não falam mais ao telefone. Eles se comunicam, tanto por texto quanto por voz, pelo aplicativo whatsApp.  Por isso, a quantidade de laudo represada. Para abrir um telefone celular e investigar o conteúdo é necessária a autorização judicial.

A técnica fonoaudióloga Roberta Randon é a única que elabora os laudos de áudio. Na última quarta-feira (13), quando o Jornal Notícias do Dia esteve recolhendo informações para a confecção da matéria sobre laudos represados, Roberta estava com uma lista de 70 laudos para examinar. Ela informou que há laudo em que tem que comparar a voz de mais de 18 interlocutores.

No IC, os 21 técnicos também fazem outras atividades: verificam a autenticidade dos documentos (documentoscopia), fazem perícia contábil, perícia de áudio e imagem, laudos de meio ambiente, balística (atestam se um projétil partiu ou não da arma indicada) e perícia em informática (computadores).  “Para termos fôlego seria necessário mais uma equipe de 12 peritos em Florianópolis. Não é o número ideal, mas o suficiente para colocarmos em dia a demanda represada”, ressaltou o diretor do IGP, Miguel Colzani.

Ele informou o governo do Estado já abriu concurso público. O processo de inscrição vai até o dia 20 de outubro e pode ser feito pelo site www.igpsc2017.ieses.org. O diretor do IGP ressaltou que os laudos servem para comprovar a materialidade do crime. A perícia técnica é fundamental para a polícia elucidar crimes. Ele lembrou de uma situação em Fraiburgo na qual a perícia de imagem foi fundamental para a polícia capturar o assaltante que aparecia nas câmeras com um fuzil AK 47 fazendo disparos durante o assalto a agência do Banco do Brasil da cidade, no dia 30 de março. A prisão do suspeito aconteceu no início de setembro em Itapema, litoral Norte.

O diretor do IC, Walmir Djalma Gomes, comentou que apesar do déficit de pessoal o Instituto de Criminalística está bem equipado.  “Recentemente adquirimos três equipamentos chamados o cellebrite, que serve para a extração de dados de celulares no trabalho de perícia digital”.

Concurso Público

Para todo o Estado são ofertadas 49 vagas para os cargos de perito  criminal,  perito  criminal  bioquímico,  perito  médico-legista e perito odontolegista. Outras duas vagas são para a função de papiloscopista.  As provas ocorrerão a partir das 13 horas do dia 26 de novembro nas cidades de Florianópolis, Joinville, Blumenau, Criciúma, Itajaí, Lages, Joaçaba e Chapecó.

O valor das inscrições é de R$ 120,00 para o cargo de Perito Oficial e de R$ 100,00 para Técnico Pericial. Já os vencimentos para os aprovados, previstos em edital, vão até R$ 15.820,84. O edital completo está disponível no edital do concurso.

Por: COLOMBO DE SOUZA, FLORIANÓPOLIS

Original em: https://ndonline.com.br/

Leave a Reply