Arquivo

novembro 2017
S T Q Q S S D
« set   dez »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

Concurso Polícia Civil-RJ 2014: MP-RJ entra com ação cobrando nomeação de 96 papiloscopistas

Mudança de escolaridade do investigador da Polícia Civil-RJ, que terá concurso em breve, não deverá ir para frente

Aprovados do concurso de papiloscopista da Polícia Civil-RJ aguardam convocação (Foto: Arquivo)

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro ingressou, na última terça-feira, dia 28, com ação civil pública cobrando a nomeação e posse imediata dos 96 papiloscopistas aprovados no concurso Polícia Civil-RJ 2014.
Na petição, segundo informou o Jornal Extra, o MP-RJ reforça a importância da convocação da chamada dos aprovados diante da limitação do efetivo atual da corporação, mencionando também os danos causados aos concursados que aguardam nomeação.
A função de papiloscopista exige graduação em qualquer área e carteira de habilitação na categoria B em diante. Os novos servidores terão rendimentos de R$5.637,32. O regime de contratação é o estatutário, que assegura a estabilidade.
O governo aguarda a ajuda da União para contratar os aprovados da Polícia Civil e da Polícia Militar do Rio.
Integrantes do governo informaram que a previsão mais realista considera o ingresso de 500 novos agentes, divididos entre as duas corporações, até o fim deste ano. Os mais otimistas já apostam na convocação de até mil aprovados nas últimas seleções.
Na PM-RJ são mais de quatro mil concursados que aguardam convocação desde 2014. Na Polícia Civil, oficiais de cartório também aguardam a chamada. No caso de 96 papiloscopistas, falta apenas a nomeação por parte da Casa Civil, pois os selecionados já fizeram o curso de formação.
Regularizando os salários dos servidores e chamando aprovados de seleções realizadas, novos concursos deverão entrar no radar do governo. Isso porque o déficit de pessoal é grande, sobretudo na Polícia Civil. A corporação sofre com a carência de mais de 10 mil servidores. As seleções necessárias, segundo o chefe da Polícia Civil, Carlos Leba, são para  delegado, investigador e perito legista.
GD Star Rating
loading...

Governo aponta parceria com setor privado para sanar problemas na Politec

A secretaria estadual de Segurança Pública (Sesp) explica que tem firmado parcerias com o setor privado para conseguir sanar os problemas estruturais das instituições ligadas ao governo. A informação surge após anúncio de paralisação dos peritos oficiais do Estado, na próxima segunda (4), bem como indicativo de greve por tempo indeterminado a partir de 11 de dezembro.

Peritos anunciam paralisação por melhores condições de trabalho

A categoria reivindica pagamento do salário e melhores condições de trabalho, principalmente no interior. Conforme a Sesp, devido à dificuldade em que o governo atravessa estes acordos são necessários. Para amenizar a situação está prevista a construção de um novo prédio para a Diretoria Metropolitana de Medicina Legal em Cuiabá.

O mesmo modelo foi estendido para algumas unidades do interior, a exemplo da Coordenadoria Regional de Barra do Garças, que está finalizando uma ampla reforma, resultado de parcerias com o Ministério Público e Conseg. Em Pontes e Lacerda o projeto para início da construção foi finalizado, e em Rondonópolis está em processo um modelo de aluguel sob medida.

Sobre o fornecimento de materiais e equipamentos para os trabalhos periciais, a Politec ressalta que a manutenção dos equipamentos para a realização dos exames de alcoolemia está em trâmite junto à Sesp.

Já com relação aos exames de toxicologia a partir da urina o contrato para fornecimento de reagentes está em trâmites finais. Quanto a outra parte dos exames de toxicologia, a secretaria informa que sucessivos processos de aquisição para manutenção e compra de insumos foram fracassados devido à especificidade das empresas que não atenderam aos requisitos exigidos. Um novo processo será reaberto no orçamento do Plano de Trabalho Anual de 2018.

Na área de recursos humanos, a Politec está em processo de finalização do concurso público para os cargos de papiloscopista e técnico em necropsia, cuja homologação final está prevista para 22 de dezembro. Em fevereiro deste ano, a Politec realizou a contratação de 22 técnicos em necropsia para 10 municípios.

A Sesp ainda informa que o processo de atualização do lotacionograma para os cargos de peritos criminais está em andamento na Casa Civil, para ser enviado à votação na Assembleia. Também está em andamento o processo de convocação de quatro peritos criminais para a reposição das vagas disponíveis no lotacionograma atual, por decorrência de aposentadorias.

Original em:http://www.rdnews.com.br/policia/

GD Star Rating
loading...

Instituto de Perícia abre concurso público com 156 vagas

O Instituto Técnico-Científico de Perícia do Rio Grande do Norte (ITEP/RN) abriu concurso público com 156 vagas para diversas áreas, sendo 14 reservadas às pessoas com deficiência. Salários variam de R$ 2.807,36 a R$ 7.440. Inscrições vão até o dia 19 de dezembro.

Para concorrer às vagas de agente de necropsia e agente técnico forense, é necessário ter ensino médio completo. Já para as oportunidades de perito criminal nas especialidades de ciências contábeis, ciências biológicas, engenharia civil, ciências da computação, engenharia elétrica, químico, farmácia bioquímica, psicologia, perito médico legista nas funções de médico e médico psiquiatra, é exigido ensino superior.

Segundo o edital, as inscrições devem ser realizadas até o dia 19 de dezembro pelo site do Instituto AOCP. As taxas custam R$ 70 para ensino médio e R$ 110 para nível superior.

Original em: http://www.paraiba.com.br/

GD Star Rating
loading...

CDMF tem quatro vagas para pós-doutorado com Bolsa da FAPESP

Agência FAPESP – O Centro de Desenvolvimento de Materiais Funcionais(CDMF) abriu quatro vagas de pós-doutorado. O CDMF é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) da FAPESP. O prazo de inscrições termina no dia 25 de novembro de 2017.

Uma das vagas é na área de síntese e caracterização de materiais para energy harvesting e fotoluminescência. Sua proposta de pesquisa visa ao desenvolvimento de materiais à base de óxidos complexos multifuncionais livres de chumbo para aplicações em dispositivos geradores de energia (piezoelétricos), fotocatalíticos e fotoluminescentes.

O candidato a essa vaga, além de título de doutor em Química, deve ter experiência em: sínteses químicas; técnicas de caracterização, tais como difração de raios X (DRX), espectroscopia Raman, espectroscopia de fotoluminescência, espectroscopia na região do UV-visível, espectroscopia na região do infravermelho, microscopia eletrônica de varredura (MEV) e microscopia eletrônica de transmissão (MET); processamento e caracterização de materiais piezoelétricos; e fotocatálise.

Os interessados devem enviar carta de interesse, currículo vitae, nomes e e-mails de duas pessoas como referência para o e-mail do professor coordenador do projeto, Edson Roberto Leite (edson.leite_group@liec.ufscar.br), com cópia para assessora administrativa Rose Portasio (rose.liec@iq.unesp.br). Mais informações sobre a vaga disponíveis em www.fapesp.br/oportunidades/1794.

Uma segunda vaga é na área de processamento de estruturas híbridas de óxidos inorgânicos nanoestruturados com multifuncionalidade. O bolsista desenvolverá materiais multifuncionais a partir de estruturas híbridas de óxidos inorgânicos nanoestruturados baseados em estruturas livres de chumbo, tais como niobatos e vanadatos, em condições de processamento que indiquem melhor desempenho óptico, elétrico e/ou magnético com potencial para aplicações em energia.

Exige-se para a vaga título de doutor em Química obtido há no máximo sete anos. É desejável experiência na síntese e processamento de óxidos inorgânicos nanoestruturados (semicondutores e cerâmicas) a partir de métodos hidrotérmicos/solvotérmicos, processo sol-gel e spin-coating.

Além disso, o candidato deve ter conhecimento no uso de diferentes técnicas de caracterização de materiais, tais como: difração de raios X (DRX) com aplicação do refinamento de Rietveld, espectroscopia fotoeletrônica de raios X (EFX), espectroscopia de fotoluminescência (FL), espectroscopia de espalhamento Raman, microscopia eletrônica de transmissão (MET) e microscopia de força atômica (MFA).

Os interessados devem enviar carta de interesse, currículo vitae resumido, duas cartas de recomendação para a professora coordenadora do projeto, Maria Aparecida Zaghete (zaghete@iq.unesp.br), com cópia para assessora administrativa Rose Portasio. Mais informações sobre a vaga disponíveis em www.fapesp.br/oportunidades/1795.

Outra oportunidade é para atuar na área de Engenharia e Ciência dos Materiais. O pesquisador desenvolverá catalisadores de massa e suportados; catalisadores estruturados de alta seletividade para a produção de hidrogênio e que apresente baixa deposição de coque sobre o catalisador, com aplicação em reforma a seco do metano.

Além do título de doutor em Química, é importante que o candidato tenha experiência em: reações de combustão e CLR (recirculação química) usando perovisquitas como transportadores de oxigênio; síntese de óxidos estruturados através da reação de combustão assistida por microondas (preferível); e técnicas de caracterização tais como difração de raios X (XRD), microscopia eletrônica de varredura (SEM), TPR / TPO e BIS, análise térmica TG e fluorescência de raios X e cromatografia em fase gasosa (GC).

Inscrições com o professor coordenador do projeto, Elson Longo (elson.liec@gmail.com), com cópia para assessora administrativa Rose Portasio, mandando em anexo carta de apresentação, currículo vitae resumido, nomes e e-mails de duas pessoas como referência. Mais informações sobre a vaga disponíveis em www.fapesp.br/oportunidades/1797.

A quarta vaga é para atuar na área de mecânica quântica aplicada a semicondutores cerâmicos. A pesquisa trabalhará com a geração de novos conjuntos de bases gaussianas não relativistas para a série de átomos de lantanídeos a serem implementados no programa CRYSTAL09.

Entre as exigências da vaga estão: título de doutor em Química; conhecimento na construção de conjunto de base para metais de transição; conhecimento técnico para adaptar estes conjuntos de base nos programas utilizados em cálculos para cristais semicondutores; e experiência na execução de cálculos com os programas Crystal e VASP.

Inscrições pelo e-mail do professor Elson Longo (elson.liec@gmail.com), com cópia para assessora administrativa Rose Portasio, enviando em anexo carta de apresentação, currículo vitae resumido, nomes e e-mails de duas pessoas como referência. Mais informações sobre a vaga disponíveis em www.fapesp.br/oportunidades/1798.

As oportunidades estão abertas a brasileiros e estrangeiros. O selecionado receberá Bolsa de Pós-Doutorado da FAPESP no valor de R$ 7.174,80 mensais e Reserva Técnica. A Reserva Técnica de Bolsa de PD equivale a 15% do valor anual da bolsa e tem o objetivo de atender a despesas imprevistas e diretamente relacionadas à atividade de pesquisa.

Caso o bolsista resida em domicílio diferente e precise se mudar para a cidade onde se localiza a instituição-sede da pesquisa, poderá ter direito a um Auxílio-Instalação. Mais informações sobre a Bolsa de Pós-Doutorado da FAPESP estão disponíveis em fapesp.br/bolsas/pd.

Outras vagas de bolsas, em diversas áreas do conhecimento, estão no site FAPESP-Oportunidades, em fapesp.br/oportunidades.

Original em: https://www.redenoticia.com.br

GD Star Rating
loading...

O que faz um CSI? Descubra como é a carreira de agente forense do concurso ITEP-RN

Agente forense: de olho em tudo

Resolver mistérios, identificar suspeitos, estar em cenas de crimes e outras atividades relacionadas é o que vem ao imaginário comum quando se fala do trabalho de um perito criminal ou agente forense. Os profissionais desta área, que ficaram conhecidos popularmente como CSI (Crime Scene Investigation, em inglês, e que também faz referência a série americana de mesmo nome), são figuras frequentes na ficção e têm o seu trabalho diário relatado constantemente em séries e filmes.

 Mas será que o que é passado na ficção condiz com a realidade da profissão? Você sabe o que verdadeiramente faz um agente forense? Para responder estes e outros questionamento sobre a carreira, FOLHA DIRIGIDA conversou com a subcoordenadora do Instituto Técnico-Cientifico de Perícia do Rio Grande do Norte, Luciana Lima de Freitas, que também atua como agente forense.

As principais atribuições do cargo

De acordo com a coordenadora, o agente técnico forense pode atuar nos três Institutos, sendo eles o Instituto de Medicina Legal (IML), o Instituto de Criminalista (IC) e o Instituto de Identificação (II). Veja como é o trabalho em cada um deles:
IML:  Neste o profissional pode atuar como auxiliar de médico legista, odontologistas e auxiliar dos peritos no laboratório, nas atividades relacionadas à análises periciais e exames diversos pertinentes ao Instituto.
IC:  No IC o agente pode ser auxiliar de perito nas perícias realizadas nos mais diversos ambientes e locais de crimes.
II: Também como no IC, o profissional que atua no instituto de identificação pode ser auxiliar de perito e exercer tarefas como identificar individualmente pessoas na seara civil e criminal, através da papiloscopia.
Se você já pensou em seguir esta carreira, a oportunidade pode estar próxima. Isto porque o Instituto Técnico-Cientifico de Perícia está com inscrições abertas para o concurso ITEP-RN 2017, que oferece 156 vagas na área. Deste total, 23 oportunidades são para o cargo de agente técnico forense, 50 para perito criminal, 40 para perito médico legista, oito para médico psiquiatra  e 35 para agente de necropsia.

A carreira de agente forense e seus desafios

A carreira, que exige nível médio, pode apresentar muitos desafios. Segundo a coordenadora, é necessário preparar-se psicologicamente para conviver todos os dias com as fragilidades humanas e confrontos com seus próprios conhecimentos científicos. “Lidar com a violência, com a emoção e com, muitas vezes, o sentimento de impotência na resolução de determinadas causas, estão entre os principais  desafios da profissão”, diz.
Para ela, a motivação para seguir esta profissão foi poder acompanhar diversos acontecimentos e, até mesmo, as dificuldades da área. “Claro que no início sentia um pouco de angústia ao chegar nos locais de crime e me deparar com cenas chocantes. Também achava que as pessoas pensariam que eu era uma pessoa fria, sem sentimentos, mas com o passar do tempo fui entendendo e aprendendo que ali era tão somente meu ambiente de trabalho, meu profissionalismo”, explica.

O trabalho no dia a dia: ficção x realidade

ITEP-RN oferece 23 vagas de agente forense (foto: divulgação)

Há 28 anos, Luciana foi a primeira mulher a atuar diretamente auxiliando nos locais de crime e perícia. Ela explica que o trabalho do dia a dia de um agente forense pode ser sim bem compatível com as atividades mostradas na ficção, porém obviamente há as limitações. “Existem os desafios do mundo real, porém nada que nos impeça de sempre tentar fazer o melhor trabalho possível e melhorar a cada dia”, diz.

De acordo com a coordenadora, o Rio Grande do Norte foi o primeiro estado brasileiro a realizar a identificação criminal com o Booking – uma plataforma portátil do sistema automatizado de impressão digital da Polícia Federal.

“Este trabalho teve seu início no Presídio de Alcaçuz, na cidade de Nísia Floresta/RN, dando seguimento no Presídio de Caicó/RN e estendendo-se por todo o Estado do Rio Grande do Norte”, explica.

Ela conta que durante a rotina de trabalho o profissional precisa viver e conviver com a emoção, com o inusitado, além disto pode atender as demandas judiciais, policiais, periciais, dando resolução de crimes, exames, identificando pessoas, estejam elas em plena vitalidade ou não, sempre com o objetivo de corresponder as todas e possíveis demandas que venham a ocorrer.

Para quem vai prestar o concurso para agente técnico forense do ITEP-RN ela aconselha. “Foque nos estudos, aperfeiçoe-se em seus objetivos e, se por acaso vier a parecer difícil, não desista!  É uma área fascinante e cheia de desafios”, diz.
Ficha técnica do cargo no ITEP-RN:
Escolaridade Nível médio
Remuneração R$2.807
Carga horária 40 horas semanais
Por: Fernanda Gomes
GD Star Rating
loading...