Estado divulga resultado final do concurso da Politec

Foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) que circula nesta sexta-feira (22) o resultado final do concurso público para cadastro de reserva para papiloscopista e técnico em necropsia. O edital nº 018/2017 foi assinado na quinta-feira (21) pelos secretários de Estado de Segurança Pública e de Gestão, Gustavo Garcia e Júlio Modesto, respectivamente.

Foram classificados 344 pessoas dentre os 13.649 inscritos, que fizeram as provas em maio deste ano, no processo seletivo organizado pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). As vagas destinam-se ao preenchimento de equipes nos polos da Politec de Cuiabá, Barra do Garças, Cáceres, Rondonópolis, Sinop e Tangará da Serra.

Conforme a Secretaria de Estado de Gestão (Seges), não há previsão para as nomeações, que dependem do planejamento estratégico do órgão, responsável por solicitar as convocações ao governador Pedro Taques (PSDB).

Atualmente, conforme lotacionograma divulgado pelo Estado, existem 112 cargos vagos para papiloscopistas. São 238 cargos criados, sendo apenas 126 ocupados. Para o cargo de técnico em necropsia, são 44 vagas para completar o total de 86 cargos criados.

O grande número de cargos a serem ocupados se deve ao fato de muitos servidores terem se aposentado nos últimos anos.

Para além dos cargos contemplados no concurso, a maior defasagem vivida pela Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) atualmente se dá na área administrativa. São 227 cargos vagos para o cargo de técnico de desenvolvimento econômico e social. Outras vagas existentes são 9 para apoio de desenvolvimento econômico e social, 8 para perito oficial odonto legista, 7 para analista de desenvolvimento econômico e social, 5 para perito criminal nível 2. A Politec conta hoje com 6 servidores cedidos das Secretarias de Estado de Educação, Saúde, Gestão e Infraestrutura.

Os cargos

Os papiloscopistas poderão atuar nas áreas da identificação civil ou criminal. No processamento da emissão do documento de identidade civil, no processamento da emissão de atestados, certidões e informações civis, na coleta das impressões digitais, bem como sua classificação e pesquisa, arquivamento dos prontuários e documentação. Atuar na coleta das impressões digitais de cadáveres, classificando e catalogando-as em arquivo próprio e criminal, devendo após o estágio probatório. Os servidores poderão optar por uma das áreas de atuação, observada a necessidade do serviço público, determinada pela Coordenadoria Geral de Identificação.

Já os técnicos em necropsia atuam na área de Medicina Legal, na preparação do cadáver para o ato de necropsia, no auxílio ao Perito Oficial nos exames periciais, realizando a abertura do cadáver sob a orientação do Médico Legista, bem como auxiliá-lo na necropsia, afastando órgãos, removendo vísceras e coletando material necessário para exames complementares ou que deverão seguir com o laudo pericial, entre outras atribuições.

O regime jurídico é estatutário e os salários iniciais de carreira são de R$ 2.898,11 (Classe A- Nível 1- 30 horas) e de R$ 3.864,16 (Classe A- Nível 1- 40 horas). O concurso foi composto por quatro fases: Prova Objetiva, Avaliação Psicológica, Avaliação de Títulos, e Investigação Social. Os candidatos aprovados passarão por curso de formação ao entrarem em efetivo exercício.

Original em: http://www.folhamax.com.br/

GD Star Rating
loading...