POLÍCIA TÉCNICO CIENTÍFICA FALA SOBRE ATUAÇÃO VOLTADA À SOCIEDADE EM PALESTRA DURANTE JORNADA TECNOLÓGICA E PROFISSIONAL DO IFRO

Em palestra com o tema Tecnologias e Perícias no Estado de Rondônia, no campus zona norte do Instituto Federal de Rondônia (Ifro), em Porto Velho, a Polícia Técnico Científica do estado destacou, sexta-feira (8), o que tem feito em benefício da sociedade.

O auditório formado por cerca de cem pessoas – diretores, professores, acadêmicos e convidados – ouviu explicações a respeito de atividades periciais, DNA, drogas, acidentes de trânsito, ocorrências de morte, crimes contra o patrimônio, crimes ambientais, fonética forense, crimes cibernéticos, balística, documentoscopia forense, entre outros.

O evento fez parte da 3ª Jornada Tecnológica e Profissional e 5ª Semana do Meio Ambiente, promovida pelo Ifro, no período de 4 a 8 de junho.

Participaram da palestra o perito criminal Danilo Reis, o aluno da turma de peritos criminais da Academia de Polícia de Rondônia, Jerre Santos de Oliveira, o delegado diretor do Departamento de Polícia Especializada da Capital, Raimundo Mendes, e o diretor do Instituto Laboratorial Criminal, Francisco Cleyton Ferreira.

“Demonstramos aqui as diversas tecnologias utilizadas pela Perícia Oficial de Rondônia na busca dos vestígios em locais de crime, o auxílio destas na determinação da autoria e materialidade delitivas, visando uma maior aproximação entre os cidadãos e a Perícia”, disse Danilo Reis.

“A Perícia Criminal é de fundamental importância na elucidação dos crimes”, lembrou o delegado Raimundo Mendes. Ele mencionou casos ocorridos em cidades do interior do estado, cuja atuação do órgão foi determinante para chegar ao suspeito do cometimento de crime por emprego de arma de fogo.

O diretor do Instituto Laboratorial Criminal, Francisco Clayton Ferreira explicou as principais demandas relacionadas às drogas e respondeu perguntas a respeito dos recentes Termos Circunstanciados de Ocorrência, oriundos da Polícia Militar, abrangendo o prazo legal estabelecido no Código de Processo Penal, nos casos de réu preso e réu solto.

Original em: http://www.newsrondonia.com.br

Leave a Reply