Arquivo

setembro 2017
S T Q Q S S D
« abr    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

Instituto de Criminalista do IGP de Florianópolis funciona com déficit 12 funcionários

Para equilibrar a demanda, o governo do Estado abriu concurso público com salários até de R$ 15 mil

Roberta é a única técnica fonoaudióloga que elabora os laudos de áudio – Colombo de Souza/ND

O IC (Instituto de Criminalística), do IGP (Instituto Geral de Perícia), sediado em Florianópolis, funciona com um déficit de pelo menos 12 funcionários. Atualmente trabalham no IC 21 peritos. São eles que, praticamente, elaboram os laudos mais complexos para a polícia de todo o Estado. Devido a falta de gente, há acúmulo de laudos de áudio e de imagens.

De acordo com o diretor do IGP, Miguel A. Colzani, atualmente os criminosos não falam mais ao telefone. Eles se comunicam, tanto por texto quanto por voz, pelo aplicativo whatsApp.  Por isso, a quantidade de laudo represada. Para abrir um telefone celular e investigar o conteúdo é necessária a autorização judicial.

A técnica fonoaudióloga Roberta Randon é a única que elabora os laudos de áudio. Na última quarta-feira (13), quando o Jornal Notícias do Dia esteve recolhendo informações para a confecção da matéria sobre laudos represados, Roberta estava com uma lista de 70 laudos para examinar. Ela informou que há laudo em que tem que comparar a voz de mais de 18 interlocutores.

No IC, os 21 técnicos também fazem outras atividades: verificam a autenticidade dos documentos (documentoscopia), fazem perícia contábil, perícia de áudio e imagem, laudos de meio ambiente, balística (atestam se um projétil partiu ou não da arma indicada) e perícia em informática (computadores).  “Para termos fôlego seria necessário mais uma equipe de 12 peritos em Florianópolis. Não é o número ideal, mas o suficiente para colocarmos em dia a demanda represada”, ressaltou o diretor do IGP, Miguel Colzani.

Ele informou o governo do Estado já abriu concurso público. O processo de inscrição vai até o dia 20 de outubro e pode ser feito pelo site www.igpsc2017.ieses.org. O diretor do IGP ressaltou que os laudos servem para comprovar a materialidade do crime. A perícia técnica é fundamental para a polícia elucidar crimes. Ele lembrou de uma situação em Fraiburgo na qual a perícia de imagem foi fundamental para a polícia capturar o assaltante que aparecia nas câmeras com um fuzil AK 47 fazendo disparos durante o assalto a agência do Banco do Brasil da cidade, no dia 30 de março. A prisão do suspeito aconteceu no início de setembro em Itapema, litoral Norte.

O diretor do IC, Walmir Djalma Gomes, comentou que apesar do déficit de pessoal o Instituto de Criminalística está bem equipado.  “Recentemente adquirimos três equipamentos chamados o cellebrite, que serve para a extração de dados de celulares no trabalho de perícia digital”.

Concurso Público

Para todo o Estado são ofertadas 49 vagas para os cargos de perito  criminal,  perito  criminal  bioquímico,  perito  médico-legista e perito odontolegista. Outras duas vagas são para a função de papiloscopista.  As provas ocorrerão a partir das 13 horas do dia 26 de novembro nas cidades de Florianópolis, Joinville, Blumenau, Criciúma, Itajaí, Lages, Joaçaba e Chapecó.

O valor das inscrições é de R$ 120,00 para o cargo de Perito Oficial e de R$ 100,00 para Técnico Pericial. Já os vencimentos para os aprovados, previstos em edital, vão até R$ 15.820,84. O edital completo está disponível no edital do concurso.

Por: COLOMBO DE SOUZA, FLORIANÓPOLIS

Original em: https://ndonline.com.br/

GD Star Rating
loading...

Concurso IGP-SC 2017 abre inscrições para 51 vagas

Instituto Geral de Perícias do estado de Santa Catarina divulgou edital com abertura de concurso público que irá preencher 51 vagas em cargos de Perito e Técnico Pericial. As inscrições devem ser realizadas até o dia 20 de outubro.

O Instituto Geral de Perícias do estado de Santa Catarina (IGP-SC) acaba de divulgar nesta segunda-feira, 18 de setembro, por meio do Instituto de Estudos Superiores do Extremo Sul – IESES, o edital normativo do concurso público que vai preencher 51 vagas em cargos de Perito Oficial e Técnico Pericial, funções que exigem ensino superior.

As inscrições começam às 10 horas nesta segunda e seguem até as 16 horas do dia 20 de outubro de 2017, pela internet, por meio do site da organizadora – www.igpsc2017.ieses.org. A taxa de participação é fixada em R$ 100,00 para Técnicos e R$ 120,00 para Peritos.

Para Perito Oficial são 49 vagas nos cargos de Perito Médico Legista (16), Perito Odontolegista e Perito Criminal nas áreas Geral (9), Bioquímica (5), Áudio e Vídeo (4), Ambiental (2), Informática (4) e Engenharias (10). O salário dos cargos é de R$ 15.820,84.

Já para Técnico Oficial são 2 vagas para Papiloscopista, função que exige curso de nível superior completo com currículo mínimo de quatro anos em qualquer área de formação, reconhecido pelo MEC e Carteira Nacional de Habilitação na Categoria “B”. A remuneração dos Papiloscopistas é de R$ 5.317,94.

O concurso público será constituído de cinco fases, sendo:

– Prova Objetiva de Conhecimentos, de caráter eliminatório e classificatório;
– Exame de Avaliação de Títulos, de caráter classificatório;
– Exame de Avaliação da Aptidão Psicológica Vocacionada, de caráter eliminatório;
-Exame Toxicológico, de caráter eliminatório;
-Investigação Social, de caráter eliminatório.

A prova objetiva será realizada no dia 26 de novembro nas cidades de Blumenau, Chapecó, Criciúma, Florianópolis, Itajaí, Joaçaba, Joinville, Lages, nos locais que serão divulgados no dia 22 de novembro.

O gabarito oficial das provas objetivas estará disponível no endereço eletrônico do IESES às 10 horas de segunda-feira, dia 27 de novembro.

O concurso público terá validade de dois anos, a contar da data de homologação do resultado no Diário Oficial do estado, podendo ser prorrogado por igual período, a critério do IGP/SC.

Anexo: Edital Concurso IGP-SC 2017

Por: Clécio Etges

Original em: https://www.acheconcursos.com.br/

GD Star Rating
loading...

Concurso IGP-SC 2017 edital deve ficar para outubro

Instituto Geral de Perícia de Santa Catarina: edital para outubro?

Haja coração para quem está esperando o edital do concurso do IGP de Santa Catarina. Isto porque o documento, que tinha a expectativa de ser divulgado em setembro deve atrasar e ficar só para outubro. A informação foi dada à FOLHA DIRIGIDA pela assessoria de imprensa do Instituto Geral de Perícias de Santa Catarina na sexta-feria, 15.

“O edital não deve sair por agora. Continua em fase de estudos internos e deve sair só em outubro”, informou o representante da assessoria.
A banca responsável pela execução do concurso já foi definida e será o Instituto de Estudos Superiores do Extremo Sul. A expectativa é que o IGP-SC venha com 59 vagas para o cargo de perito oficial que exige nível superior e tem salário atual de R$8 mil; e duas vagas para papiloscopista, também para nível superior. No entanto, a assessoria da IGP diz que o número de vagas ainda pode ser revisto até o lançamento do edital.

Último concurso foi em 2014
Na ocasião, o concurso IGP-SC 2014 ofereceu 150 vagas para nível médio. Foram 147 para auxiliar criminalístico e três para auxiliar de laboratório. A organizadora também foi a Ieses. A seleção foi realizada em etapas de prova objetiva de conhecimentos, avaliação de títulos, avaliação de aptidão psicológica vocacionada, exame toxicológico, e investigação social.

Original em: Folha Dirigida

GD Star Rating
loading...

Profissão do Futuro: Como ser um Perito Digital?

Assuntos relacionados a investigações, fraudes bancárias, golpes virtuais e invasões de computadores são cada vez mais frequentes, tanto na internet como nos jornais e noticiários. Sendo assim, a procura por peritos que saibam rastrear crimes cibernéticos se torna cada vez maior. Essas demandas vêm de setores governamentais, policiais, grandes corporações e consultorias independentes.

Uma das especializações da carreira forense é a Computação Forense e Perícia Digital, que consiste basicamente no uso de métodos científicos para a preservação, coleta, validação, identificação, análise, interpretação, documentação e apresentação de evidência digital com validade probatória em juízo.

O especialista forense computacional é o responsável, entre outras ações, por rastrear um criminoso virtual. Durante a investigação policial, é imprescindível que o profissional tenha conhecimento de como a informação trafega, identificar o problema na raiz, ou seja, fazer o caminho contrário e descobrir de onde veio a mensagem.

Analisar imagens e informações de celulares e computadores é parte da atuação do perito digital. Este tipo de profissional é requisitado nos mais variados segmentos digitais, pois, as invasões e abusos se concentram nestas ferramentas, afirma o coordenador e professor do curso de pós-graduação em Perícia Criminal e Ciências Forenses do Instituto de Pós-Graduação e Graduação (IPOG), Walber Pinheiro.

A formação

O conhecimento avançado em tecnologia da informação, preferencialmente em redes sociais, sistemas operacionais e aplicações, são alguns dos requisitos necessários para ser um ótimo profissional forense da computação. Não basta ter somente conhecimentos técnicos, é preciso entender também um pouco de questões jurídicas, sobre comportamento e os processos da investigação criminal.

O Salário

Walber explica que é complicado estimar a média salarial, pois há vários campos de inserção do profissional de carreira forense com salários bem distintos a depender do cargo (perito federal, perito estadual, perito judicial, perito particular, entre outros). “Por exemplo, um perito federal, no início de carreira, tem vencimento mensal de aproximadamente R$ 20.000,00, já um perito particular pode ganhar em um único caso pericial os mesmos R$ 20.000,00, ” afirma.

Mercado de Trabalho

O Mercado de trabalho para essa área é promissor. O especialista afirma que há muitas vagas a serem preenchidas em diversos campos. De acordo com a Associação Brasileira de Criminalística (ABC), a perícia criminal estadual trabalha hoje com um déficit de pessoal estimado em 30 mil peritos.

Ainda segundo a ABC, o Brasil tem hoje cerca de 6,5 mil peritos nos Institutos Estaduais de Perícia Criminal. Um estudo da associação, com base em recomendação das Nações Unidas, mostra que o Brasil precisaria ter, segundo sua população, 38 mil peritos, pois a recomendação é um mínimo de um perito para cada cinco mil habitantes. Seria necessário quintuplicar o número de peritos no país.
Características do Perito Digital

Para ter sucesso, o perito deve ter o perfil metódico, organizado, com boa memória, autodidata, saber escrever e redigir documentos, ter inglês e espanhol em nível avançado tanto para ler, escrever ou falar, além de ser honesto e com muita curiosidade.

Original em: http://diariodegoias.com.br

GD Star Rating
loading...

Publicados editais de concurso do IGP para mais de 100 vagas no RS

Cargos são de perito criminal, perito médico-legista e técnico em perícias. Inscrições começam nesta quinta-feira (20) e vão até 11 de maio.

Laboratório de perícias do IGP (Foto: Divulgação/IGP)

Os editais do concurso público do Instituto Geral de Perícias (IGP) foram publicados no Diário Oficial do Estado nesta quarta-feira (19). São 106 vagas para os cargos de perito criminal, perito médico-legista e técnico em perícias. As inscrições começam nesta quinta (20) e seguem até 11 de maio, pela internet.

As provas objetivas para todos os cargos ocorrerão no dia 9 de julho, em locais que ainda serão informados.

No primeiro edital constam 35 vagas para o cargo de perito criminal com atuação em em diversas áreas, sendo quatro vagas para computação forense, nove para engenharia civil, nove para engenharia mecânica, três para engenharia elétrica, três para química/engenharia química, quatro parta biomedicina/farmácia/biologia, e três para a área de psicologia. O salário do cargo é de R$ 9.556,78 por jornada de trabalho de 40 horas semanais, somando o vencimento básico de R$ 5.309,32 e a gratificação de risco (80%) de R$ 4.247,46. Já o segundo edital é direcionado para carreiras de técnico em perícias, cargo de nível médio, e perito médico-legista, de nível superior. Para perito médico são 35 vagas, distribuídas entre as áreas de médico-legista (29 vagas), médico-legista – patologista (três vagas) e médico-legista – psiquiatra (três vagas). O salário também é de R$ 9.556,78 por carga horária semanal de 40 horas. Na carreira de nível médio, são 21 vagas para técnico em perícias e 15 vagas para técnico em perícias, técnico em radiologia, que exige ainda curso técnico na área. A remuneração será de R$ 3.053,81, composta de vencimento básico de R$ 1.696,56 e a gratificação de risco de R$ 1.357,25.

Original em: http://g1.globo.com/

GD Star Rating
loading...

Curso de Computação Forense

computação forense ipogObjetivo
Obter uma visão abrangente da tecnologia da Computação Forense atual, o conhecimento dos crimes digitais e a metodologia de investigação. Habilitar o aluno a desenvolver quesitos para os peritos nomeados, identificar as técnicas de preservação das evidências e quando elas forem violadas.

Formação Curricular
Introdução à Tecnologia da Informação e Comunicação
Introdução à Computação Forense
Segurança da Informação
O Perito em Computação Forense
Etapas de uma Perícia Computacional Forense
A Coleta
O Exame
A Análise
O Laudo
Ferramentas de Software
Próxima Turma: Junho/2016
Carga horária: 20 horas

IPOG contato

Divulgação: Informações recebidas por email ( Stephanie Souza – IPOG São Paulo – Consultora de Especialização )

Original em: http://www.ipog.edu.br/home

 

GD Star Rating
loading...

Novas técnicas são compartilhadas por peritos de MT durante seminário

Três peritos criminais de Mato Grosso tiveram os trabalhos aprovados para apresentação durante o XII Seminário Nacional de Perícia em Identificação de Veículos e o X Seminário Nacional de Perícia em Crimes de Trânsito

Três peritos criminais de Mato Grosso tiveram os trabalhos aprovados para apresentação durante o XII Seminário Nacional de Perícia em Identificação de Veículos e o X Seminário Nacional de Perícia em Crimes de Trânsito, que aconteceu nos dias 11 a 13 de maio, em Cuiabá.

Entre os mais de 15 palestrantes nacionais e estrangeiros participaram os peritos da Politec Mairo Fábio Camargo, Carlo Ralph de Musis e Lino Leite de Almeida. Os servidores apresentaram os seguintes temas, respectivamente: “Utilização de Peças e Agregados de Veículos Sinistrados, Furtados, ou com Impedimento Judicial como peças de reposição’’, “Análise Probabilística de Colisões Veiculares pelo Método de Monte Carlo’’, e “Cálculo de Velocidade pela Energia de Rotação do Veículo’’.

O primeiro, trouxe à discussão dois estudos de casos de perícias realizadas por ele no município de Primavera do Leste que tinham por objetivo apurar a utilização de peças de veículos envolvidos em acidentes na adulteração de peças de reposição de veículos furtados.

“O crescente número de casos de roubos e furtos de veículos em nosso país está intimamente relacionado com o comércio ilegal de peças de reposição. A utilização de peças e agregados de procedência ilícita é evidentemente crescente em nosso país e consequentemente em veículos que circulam no estado de Mato Grosso. O caso revela as dificuldades encontradas pelo perito criminal na obtenção da prova material no que tange a identificação de veículos que possuíam serial de chassi autêntico, mas utilizando-se de peças e, ou agregados de procedência desconhecida ou ilícita’’.

Em seu trabalho o perito concentrou os esforços na identificação dos sinais de adulteração das séries numéricas do chassi, nas características estruturais, na gravação de caracteres do motor do veículo, nas séries numéricas estampadas nos vidros e nos caracteres de segurança estampados das placas de identificação. Também se atentou às informações fornecidas pelos fabricantes, bem como às características visuais entre o modelo do veículo original e do questionado pela perícia.

Em outra palestra, o perito criminal Carlo Ralph de Musis apresentou um modelo de análise probabilística de perícias de colisão de veículos automotores, aplicado a um caso real. Os procedimentos desenvolvidos buscaram a representação estatística dos parâmetros ambientais e psicomotores, tais como coeficientes de atrito e ritmo de Reação, em uma simulação.

“No estudo de caso apresentado, o modelo foi efetivo, possibilitando avaliar confiabilidade das estimativas, as quais permitiram afirmar a baixa probabilidade dos motoristas reagirem a tempo de evitar o acidente, e ainda estimar as probabilidades associadas às velocidades críticas dos veículos, ampliando as possibilidades de suporte aos peritos criminais na avaliação pericial do sinistro’’, concluiu.

Para o perito criminal de Alagoas, Edson Santos Junior, a palestra trânsito expandiu os horizontes da forma como se soluciona um crime de trânsito. “O método Monte Carlo é uma técnica já difundida em outras áreas, e ele trouxe uma reinvenção ao aplicá-lo nestes casos’’, comentou.

Lino Leite de Almeida explanou uma nova técnica, envolvendo conceitos físicos e matemáticos para determinar a velocidade de veículos no momento da colisão, tendo como referências a dissipação de energia devido ás rotações sofridas pelo automóvel durante o acidente.

“Nos acidentes, não é incomum, os veículos durante os percursos de derrapagem, ou mesmo em saltos no ar, sofrerem giros em torno de seu próprio eixo, ou em relação a um ponto de sua carroçaria, caracterizando a dissipação de energia devido a essas rotações. Esta técnica permite a análise de todo tipo de acidente que apresentou giro no deslocamento e até mesmo queda ou ruptura de objetos da carroceria, por exemplo.

De acordo com o perito, a técnica permite maiores alcances aos tradicionais cálculos de velocidade, e valoriza as evidências coletadas no local.  “Traz mais precisão às investigações ao se agregar informações que antes eram desprezadas, fazendo com que a velocidade do veículo no momento da colisão ficasse subestimadas’’, explicou.

Original em: http://www.expressomt.com.br

GD Star Rating
loading...

MP aponta falta de estrutura durante inspeção no IML e Instituto de Criminalística

Após fiscalização, órgãos têm prazo de 5 dias para responder as requisições do MP sobre dados referentes aos exames feitos nos institutos.

A fiscalização foi realizada na manhã de ontem.

Manaus – Falta de estrutura física e de insumos para a realização de perícia foram algumas das situações encontradas durante fiscalização do Ministério Público do Amazonas (MP-AM), no Instituto de Criminalística e no Instituto Médico Legal, durante a manhã de ontem(17). Após a inspeção, os órgãos têm o prazo de cinco dias para responder as requisições do MP-AM sobre dados referentes ao exames feitos nos institutos.

O promotor João Gaspar explicou que as fiscalizações são realizadas a cada seis meses. “O que fazemos é a inspeção visual, vamos nos locais ver a situação, exigimos a documentação, perícia de dados. Nossa função é encontrar irregularidades e encaminhar para autoridades competência”, afirmou. “Precisamos saber a dimensão dos problemas que cada um enfrenta para melhorar. São órgãos importantes para a população, para Justiça e outros órgãos”.

Gaspar afirmou que a situação encontrada no Instituto de Criminalística foi a mais crítica. Segundo ele, o prédio é inadequado para atender a demanda. “O diretor nos disse que o número de servidores é suficiente, desde que tivessem uma estrutura física adequada e também a questão de insumos de perícia. Segundo informações obtidas, muitas perícias não funcionam porque não há insumos, reagentes”.

No IML, segundo Gaspar, a condição encontra-se razoável, apesar de não ser ideal, já que a demanda vem aumentando. “Venho verificando uma evolução da gestão, as coisas estão melhorando paulatinamente. Claro que não é o ideal. A limitação é muito grande, porque a demanda cresceu muito. Por exemplo, há 20 câmaras frigoríficas, é um trabalho no limite. O ideal seria triplicar esse número para atender a demanda”, explicou.

De acordo com a diretora do IML, Maria Margareth Vidal, o órgão tem enfrentado um momento de alta demanda, com dificuldades, por causa da crise. “As gavetas que temos estão atendendo, mas claro que não é o ideal. Estamos trabalhando como todo o servidor público trabalha, com esforço, pois estamos vivendo um momento de crise”, disse a diretora, acrescentando que as requisições do MP-AM serão atendidas.???Já o diretor do Instituto de Criminalística, Mahatma Sonhará Araújo, destacou que muitos setores ameaçam a ficar paralisados por conta da falta de reagentes. Segundo ele, esta é a terceira visita que o MP-AM faz ao instituto, mas os problemas permanecem.”Esta é a terceira visita que tenho conhecimento.

Nessas três os problemas permanecem, porque nós temos recursos que não podemos utilizar. Dependemos de instâncias superiores. Mas, claro, que não conseguimos utilizar tudo que a gente precisa realmente, comprar insumos por exemplo”, disse.Segundo ele, o Instituto de Criminalística depende de recursos externos para atender as suas atividades. “Temos um prédio obsoleto, que é precário. Só serviria se estivermos há 30 anos atrás. A minha esperança é que o executivo realize alguma ação, pois estamos atuando com muita dificuldade”, finalizou o diretor.

Original em: http://new.d24am.com

GD Star Rating
loading...

Laboratório de DNA recebe Certificação Internacional

Mesmo com novo espaço, peritos enfrentam dificuldade no trabalho devido à falta de efetivo

O Laboratório de DNA Forense do Instituto de Polícia Científica da Paraíba (IPC) recebeu esta semana os resultados referentes ao Controle de Qualidade do ano de 2015 emitido pelo Grupo Iberoamericano de Trabajo em Análisis de DNA (Gitad), que reúne pesquisadores e peritos de países da América Latina e da Península Ibérica, como Espanha e Portugal.

“Além da Certificação Internacional referente ao ano de 2015, que analisa testes com DNA Nuclear, os pesquisadores do Gitad concederam ao Laboratório do IPC da Paraíba o Certificado de Proficiência em relação às análises de DNA Mitocondrial, sendo uns dos poucos laboratórios do Brasil a realizar esse tipo de análise”, informou a gerente do Laboratório de DNA do IPC, Carmen Leda Gambarra.

Com isso, a Paraíba passa a ter, pelo sétimo ano consecutivo, a Certificação Internacional de Qualidade para o seu Laboratório de DNA, sendo considerado um dos mais completos e importantes do Brasil e do mundo. Além disso, o IPC da Paraíba é o único no Nordeste cujo Laboratório de DNA tem equipamento e peritos capacitados para realizar o exame de DNA Mitocondrial.

“O Certificado de Proficiência Internacional, cuja organização é feita pela Universidade de Granada, na Espanha, é respeitado em todo o mundo. Desde o ano de 2009, o Laboratório de DNA Forense do IPC da Paraíba participa do Gitad, sendo congratulado com o Certificado em todos os anos, o que o coloca entre os melhores laboratórios de DNA do mundo”, destacou a gerente.

O documento controla a eficiência e a confiabilidade dos resultados de exames emitidos pelo laboratório e esses resultados foram considerados de excelência e de acordo com as normas internacionais já estabelecidas. “As análises de amostras forenses envolvendo o DNA Mitocondrial são importantes porque servem de alternativa para os casos que não houve resultado conclusivo com as análises de DNA nuclear (STR autossômico). São os casos de amostras que apresentam pouco DNA ou que estão com DNA bastante degradado, ou ainda que não apresentem familiares diretos”, disse a perita Silvana Magna, que realiza as análises com o DNA Mitocondrial.

O exercício anual do controle de qualidade faz um levantamento da situação atual dos laboratórios de DNA entre os países membros, permitindo a criação de grupos de trabalho, difusão de novas técnicas, implementação e validação de normas de qualidade e a cooperação e treinamento dos técnicos.

“Anualmente, um país é escolhido entre os membros para uma reunião e este ano a XII Reunião do Gitad ocorrerá no Panamá, na província de Coclé, a 100 km da cidade de Panamá, nos dias de 27 e 28 de junho de 2016, com a finalidade de discussão dos resultados e estabelecimentos de diretrizes para as análises em DNA. Nessa reunião do Panamá serão referendados e entregues os Certificados já conferidos pelo Grupo após análise de material enviado pelos laboratórios, como foi o caso do Laboratório de DNA Forense do IPC da Paraíba”, finalizou a gerente Carmen Leda Gambarra.

Laboratório – O Laboratório de DNA Forense do Instituto de Polícia Científica da Paraíba iniciou suas atividades no ano de 2004. A Paraíba foi o primeiro estado das regiões Norte e Nordeste a implantar o Laboratório de DNA Forense dentro da instituição policial. O Laboratório de DNA Forense pertence à Gerência Operacional de Análise em DNA (Goad) e faz parte do Núcleo de Laboratório Forense de João Pessoa (NULF-JP)-IPC/PB. O Laboratório conta com uma equipe multidisciplinar formada por oito peritos oficiais, graduados nas áreas biológicas e da saúde com especialização e mestrado em genética forense.

Gitad – O Gitad (Grupo Iberoamericano de Trabajo em Análisis de DNA) foi criado no ano de 1997 pelos pesquisadores José Antônio Acosta Lorente e Juan Carlos Alvarez Merino, professores do Departamento de Medicina Legal da Universidade de Granada, para reunir os países da América Latina e também da Península Ibérica, como Espanha e Portugal, e coordenar a comunicação, partilha de conhecimentos técnicos, experiências e programas de qualidade dos membros, analisando as principais necessidades e problemas e estabelecendo um conjunto de diretrizes de desempenho nas análises em DNA.

Secom

Original em: https://www.pbagora.com.br/

GD Star Rating
loading...

Matrículas abertas para o Curso: Perícia Criminal e Ciências Forenses – Pós-graduação

Perícia Criminal e Ciências Forenses

Em ritmo cada vez mais acelerado, a ciência e a tecnologia estão revolucionando o mundo. Tal revolução tem contribuído, tanto para a melhoria da vida das pessoas, quanto para o cometimento de delitos. Por essa razão, os avanços tecnológicos e as novas técnicas criadas devem ser constantemente usados para revolucionar a produção da prova material. Além disso, com a nova alteração do Código de Processo Penal, algumas atribuições foram acrescentadas ao Assistente Técnico. As alterações consistem de alguns pontos básicos (Lei 11690, de 09.06.08, artigo 159):
§ 4º O assistente técnico atuará a partir de sua admissão pelo juiz e após a conclusão dos exames e elaboração do laudo pelos peritos oficiais, sendo as partes intimadas desta decisão. § 5º Durante o curso do processo judicial, é permitido às partes, quanto à perícia:

I – requerer a oitiva dos peritos para esclarecerem a prova ou para responderem a quesitos, desde que o mandado de intimação e os quesitos ou questões a serem esclarecidas sejam encaminhados com antecedência mínima de 10 (dez) dias, podendo apresentar as respostas em laudo complementar;

II – indicar assistentes técnicos que poderão apresentar pareceres em prazo a ser fixado pelo juiz ou ser inquiridos em audiência.

Portanto, a criação de um curso de especialização para profissionais de nível superior, visando capacitá-los tecnicamente para atuar nessa área, faz-se não apenas necessária, mas fundamental. Ao final do curso, o especialista em perícia criminal formado será capaz de analisar laudos emitidos nas áreas abrangidas pelas matérias ministradas, e estará tecnicamente apto a atuar como assistente técnico-judicial.

 A Formação Curricular inclui: Criminalística, Fundamentos de Perícia Contábil na Criminalística, Documentoscopia, Grafoscopia, Fundamentos de Perícia e Comportamento Criminal, Fundamentos de Biologia Forense, Locais de Crime, Fundamentos de Perícia Ambiental, Estrutura Legal-Processual da Prova Pericial, Química Forense, Drogas de Abuso, Fundamentos de Perícia Papiloscópica e Representação Facial Humana, Medicina Legal, Acidente de Trânsito e Fundamentos de Computação Forense, entre outros.

Matrículas e informações

Matrículas e informações

Informações recebidas por email
GD Star Rating
loading...