Exames de DNA garantem a inocência de suspeitos de estupros no Estado

81eab33f 9007 4015 981b 77fe3a9df9a1

Vítimas em busca de Justiça, inocentes presos, suspeitos de crimes que não cometeram, e criminosos em liberdade por falta de provas técnicas. Essa era a realidade para alguns crimes de estupro em Alagoas, antes da implantação do Laboratório de Genética Forense do Instituto de Criminalística, responsável por realizar exames de DNA na área criminal.

A mudança ocorreu a partir do ano passado, quando o Laboratório de Genética Forense da Perícia Oficial foi inaugurado e a equipe de peritos criminais do laboratório estabeleceu a metodologia que seria adotada para exames em casos de estupro.

Em poucos meses, 10 exames foram realizados. Em sete deles, os suspeitos foram inocentados, em um está-se aguardando amostra da vítima para confronto. Em outros dois casos, os estupradores foram identificados por meio do exame do material genético que deixaram nas vítimas e em suas vestes e serão encaminhados para o banco dos réus.

A chefe do Laboratório Forense, doutora Rosana Coutinho, relatou que um desses casos esperava há cinco anos pelo exame de DNA para confirmar a autoria do crime. Ela explicou que, em 2012, a calcinha de uma vítima, apresentando uma mancha avermelhada, foi encaminhada para o Instituto de Criminalística, que sequer possuía reagentes ou qualquer outro meio para identificar os componentes da referida mancha, uma vez que, à época, não existia o laboratório para as análises biológicas, que possibilitam a identificação de sangue e sêmen, dentre outras substâncias.

A magistrada Marcella Pontes, responsável pelo caso, durante apreciação dos autos descobriu a existência desse importante vestígio e solicitou ao Instituto de Criminalística uma série de exames ao Laboratório, inicialmente, para identificar se a mancha era composta por material biológico (sangue e/ou sêmen) e, posteriormente, fazer o confronto genético com o material biológico do suspeito do crime e da vítima.

“Mesmo passados cinco anos, o exame foi realizado com sucesso, pois a prova foi acondicionada de forma correta. Quando analisada, a mancha deu resultado positivo tanto para sangue humano quanto para sêmen. Após essa constatação, a juíza encaminhou o suspeito e a vítima para a coleta de material biológico, visando à realização do exame de confronto genético. A análise do perfil dos cromossomos autossômicos e sexuais permitiu identificar na amostra de sangue misturado a sêmen os perfis completos, tanto do acusado como da vítima, comprovando tecnicamente o estupro e a autoria do crime,” explicou a doutora Rosana.

Em outra análise realizada pelo doutor Marek Henryque, perito criminal que compõe a equipe do Laboratório de Genética, resíduos de sêmen encontrados em uma peça de roupa íntima da vítima foram suficientes para esclarecer o caso. O teste de PSA (antígeno prostático específico) apresentou resultado positivo para sêmen e ao se realizar o confronto com o perfil genético do acusado ficou confirmado que ele foi o autor do crime sexual.

Outro caso que chamou a atenção da equipe do laboratório aconteceu durante a coleta de material genético em três suspeitos no sistema prisional. Um dos detentos que estava em audiência deu graças a Deus pela presença dos peritos criminais, que vieram coletas seu material biológico, visando o confronto genético com o perfil de duas vítimas que o acusavam de estupro. Ao final do exame ficou comprovada a sua inocência, uma vez que o perfil genético coletado nas vítimas não coincidia com o do referido suspeito.

“Como regra, nos crimes envolvendo violência sexual, a conduta dos agentes é realizada às escondidas, longe de testemunhas oculares. Esse fato implica na grande importância da palavra da vítima, aliada a outras provas auxiliares, principalmente a prova técnica. Nos casos concretos, quando é possível a prova técnica, é incontestável a relevância para corroborar com a palavra da ofendida, em destaque para os que envolvem violência contra pessoa vulnerável, diante da sua notória fragilidade emocional”, afirmou a juíza Marcella Pontes.

Nos casos em que não houve coincidência entre o material genético masculino encontrado nas vítimas e o material genético dos suspeitos, esses perfis deveriam ser incluídos no Banco de Perfis Genéticos Nacional, no qual estão inseridos 19 estados da Federação. Nesse Banco o perfil é confrontado com milhares de outros perfis de vestígios coletados em vítimas de estupro, podendo se identificar o autor do crime, como já ocorreu em várias ocasiões.

A doutora Rosana Coutinho explicou que um Acordo de Cooperação Técnica para que o Laboratório de Genética Forense da Perícia Oficial de Alagoas seja inserido na Rede Integrada de Banco de Perfis Genéticos (RIBPG) já foi assinado pelo secretário de Estado da Segurança Pública de Alagoas e pelo secretário nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça, Carlos Alberto dos Santos Cruz. Ainda este ano, o Laboratório de Alagoas estará inserido na Rede e poderá contribuir, sobremaneira, para a diminuição da impunidade, uma vez que o crime não tem fronteiras.

“Diante desses fatos, concluímos que o exame de DNA é uma prova técnica incontestável e revela a verdade biológica dos fatos, possibilitando que se possa identificar autores de crimes ou inocentar acusados que não cometeram o crime, fatos que têm a mesma relevância social”, finaliza a dra. Rosana Coutinho.

Original em: http://www.cadaminuto.com.br

GD Star Rating
loading...

UFGD anuncia retificação do Concurso Público para Docente

UFGD anuncia retificação do Concurso Público para Docente

A Universidade Federal da Grande Dourados – UFGD retifica as vagas do Concurso Público válido por um ano, que passa a oferecer 40 oportunidades para Professor na Carreira do Magistério Superior.

Houve a inclusão de uma vaga na disciplina de Química Analítica, conforme o edital que está disponível em nosso site.

Vale ressaltar que este certame ainda oferece oportunidades nas áreas de: Psicologia Fenomenológica, Existencial e Humanista (1); Estatística (1); Química Analítica (1); Ginecologia e Obstetrícia (1); Pediatria (2); Radiologia e Diagnóstico por Imagem (1); Semiologia (1); Anatomia Cirúrgica / Cirurgia (1); Saúde da Comunidade (1); Ortopedia (1); Medicina do Trabalho e Perícia Médica (1); Irrigação, Hidráulica e Hidrologia (1); Administração Rural e Extensão Rural (1); Construção Civil, Geotécnica e Infraestruturas de Transportes (1); Materiais e Processos de Fabricação (1); Biologia e Saúde (1); Educação Física Escolar/Pedagogia do Esporte (1); Didática/Currículo/Formação de Professores (1); Estágio Supervisionado em Língua Inglesa (1); Economia Quantitativa e Séries Temporais (1); Psicodiagnóstico e Ludoterapia (1); História Indígena e do Indigenismo (1); Ciência da Computação (2); Física / Ensino de Física (1); Nutrição Clínica (1); Dietética nos ciclos da vida e Nutrição Esportiva (1); Anatomia Patológica (1); Medicina de Família e Comunidade (2); Medicina Legal e Bioética (1); Suporte Básico de Vida e Habilidades Básicas em Medicina (1); Emergência em Clínica Médica (1); Fertilidade no Solo / Nutrição Mineral de Plantas / Adubos e Adubação (1); Cultivo de Organismos Marinhos e Engenharia de Aquicultura (1); Gerenciamento de Processos Industriais (1); Botânica (1); Prática de Produção Textual e Leitura e Estágio Supervisionado em Língua Portuguesa (1); e Direitos Humanos e Fronteiras (1).

As inscrições devem ser realizadas online, por meio do formulário que estará disponível no site ufgd.edu.br, até às 17h do dia 9 de março de 2018. A taxa é de R$ 200,00.

Como forma de classificação, haverá prova escrita, avaliação didática e exame de títulos. A primeira fase está prevista para o dia 8 de abril de 2018 e a segunda etapa é provável que ocorra no dias 14 e 15 de abril de 2018.

Os contratados deverão cumprir jornada de 20h semanais ou regime de Dedicação exclusiva e farão jus à remuneração variável de R$ 2.236,30 a R$ 9.585,67.

Original em: https://www.pciconcursos.com.br

GD Star Rating
loading...

Novos gestores tomam posse na Politec

A Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) realizou nesta terça-feira (06.02) a solenidade de posse de dois novos diretores da instituição. Na ocasião, tomaram posse o diretor metropolitano de Laboratório Forense, Paulo Sérgio Vasconselos de Oliveira e o diretor de Interiorização, Marcos Antonio Contel Secco.

A gestão da Politec passar a contar, também, com outros três gestores no interior, com a troca de coordenador de Barra do Garças e do coordenador e gerente de Rondonópolis. Agora, passam a assumir a gestão, a coordenadora regional de Barra do Garças, Cristiane de Castro Pernet Hara, a coordenadora regional de Rondonópolis, Ariadne Nunes Ferreira Matos e o Gerente Regional de Criminalística, Luiz Gustavo Sousa Vasconcelos.

Durante a cerimônia, os novos diretores foram apresentados e os anteriores homenageados com uma placa de agradecimento pelos serviços prestados. O diretor-geral da Politec fez um discurso agradecendo pelo tempo de serviço dedicados à gestão dos peritos criminais, Késia Renata Lopes Lemos Melo (ex-diretora de interiorização) e Jaime Trevizan Teixeira (ex-diretor metropolitano de Laboratório Forense), que ocuparam os cargos durante uma ano.

A solenidade contou com apresentação do Corpo Musical da Polícia Militar que conduziu a execução do Hino Nacional Brasileiro, além de outras três canções.

“Me orgulho de poder participar deste momento que considero não um rito de passagem, mas uma cerimônia de agradecimento a dois grandes gestores que a Politec teve a honra de ter em seu quadro. Acredito que plantamos uma semente para criar uma cultura de valorização dos gestores”, pontuou o diretor. Reginaldo completou o discurso citando as qualidades dos servidores que deixam e os que assumem os cargos.

O evento contou com a participação de servidores da Politec e autoridades de Segurança Pública. Entre eles, representantes do Corpo de Bombeiros Militar, o Comandante Geral da Polícia Militar, e da Polícia Judiciária Civil.

Para o diretor Mmtropolitano de Laboratório Forense, Paulo Sérgio Vasconselos, o foco de gestão será a valorização e atualização da gestão de estoque de materiais, para melhorar o atendimento aos cidadãos, garantido o provimento de materiais e insumos necessários ao pleno funcionamento da Diretoria.

O atual diretor de interiorização, Marcos Antonio Contel Secco, disse fará um levantamento das demandas de cada unidade para traçar um planejamento das ações em sua gestão. “O foco será a melhoria no atendimento aos cidadãos, onde para tal, juntamente com a equipe de gestores ligado a pasta, buscarão realizar o levantamento dos problemas de cada unidade no interior e desenvolver um planejamento estratégico de execução de forma a manter o funcionamento e se possível, a expansão do atendimento”, anunciou.

Curriculos

O perito criminal Paulo Sérgio Vasconcelos de Oliveira é natural de Várzea Grande-MT, graduado em Química pela Universidade Federal de Mato Grosso. Especialista em Ensino de Ciências da Natureza. No ano de 2008 concluiu o mestrado em Ensino de Ciências. Em 2014 tomou posse como perito oficial criminal sendo lotado na Diretoria Metropolitana de Laboratório Forense, tendo assumido posteriormente os cargos de gerente de perícias em Química Forense e de coordenador do laboratório de materiais.

O perito criminal Marcos Antonio Contel Secco é natural de Birigui (SP). Graduou-se em Bacharelado em Física pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Em 2007 adquiriu título de mestre em Física Aplicada – Ciência de Materiais pela UFMS. Em 2011, tomou posse como perito oficial criminal sendo lotado na Gerência de Criminalística de Barra do Garças-MT. Ocupou os cargos de gerente e de coordenador de Criminalística de Barra do Garças-MT.

Em 2015, foi eleito conselheiro da associação brasileira de criminalística (ABC) no XXIII Congresso Nacional de Criminalística e VI Congresso Internacional de Perícia Criminal em Búzios (RJ). Desde 2015 vem sendo intermediador pela implantação do sistema de laudos (Politec Online) no interior e participou do curso da Academia de Líderes (Sesp) em 2017.

Original em: http://www.folhamax.com.br

GD Star Rating
loading...

Instituto de DNA Criminal de Rondônia tem qualidade avaliada por universidade da Espanha

Apesar do pouco tempo de atividades, o Instituto de DNA Criminal (Idnac) da Superintendência de Polícia Técnico-Científica de Rondônia (Politec), em Porto Velho, aguarda com expectativa para o segundo semestre deste ano o resultado da pesquisa de controle de qualidade internacional promovida pela Academia Iberoamericana de Criminalística e Estudos Forenses da Universidade de Granada, na Espanha. A análise que vai atestar a qualidade do trabalho do Instituto foi concluída no final de janeiro deste ano, conforme revelou o perito Adayrton Fortunato Figueiredo, farmacêutico-bioquímico que dirige o órgão.

Segundo Adayrton Fortunato, em um ano de funcionamento foram emitidos pelo menos 340 laudos, dos quais 260 biológicos (pré-DNA) e 80 de DNA (sigla em português para ácido desoxirribonucleico, um composto orgânico cujas moléculas contêm as instruções genéticas que coordenam o desenvolvimento e funcionamento de todos os seres vivos). Até janeiro de 2017 esses exames eram feitos em outras capitais, como Manaus (AM), o que representava mais custos para o governo de Rondônia com diárias e passagens aéreas para o técnico que conduzia o material a ser pesquisado. Economia também acontece no tempo para emissão do laudo que caiu de cerca de meses para uma média de 15 dias.

“No caso do laudo de paternidade criminal, que é feito quando há suspeita de estupro, o resultado sai em uma semana, isso quando todas as amostras de referências estão adequadas para exames; alguns laudos a partir de vestígios de sangue em local de crime, em dez dias; já o do osso é mais demorado”, disse Adayrton Fortunato, que trabalha com a perita Jemímia Valéria, também farmacêutica-bioquímica, e existe ainda a perspectiva que mais dois peritos sejam lotados no Instituto após o término da Academia de Polícia que atualmente está acontecendo para reforçar a equipe.

O Instituto realiza exames de DNA a partir de vestígios biológicos encontrados pelos peritos em local de crime, como também identificação de corpos e ossadas, que até 15 de dezembro de 2017 tinham sido realizados 34 laudos de confronto de vestígios; 14 de crimes sexuais, 26 de identificação humana e 6 de paternidade criminal. Já os laudos biológicos (pré-DNA) exames de PSA, um total de (329) no ano passado; pesquisa de espermatozoide (352), pesquisa de sangue humano (72) e HCG para detecção de gravidez (29).

O diretor garantiu que o Idnac trabalha com equipamentos modernos que garantem resultados com qualidade e precisão, como o Automate Express instalado no Laboratório de Extração do DNA. Neste local é onde tudo se inicia com o recebimento do material e catalogação. Após a extração é realizada uma análise quantitativa do DNA através do equipamento Roter Gene (Tempo Real), enquanto na Sala Pré-PCR são preparados os reagentes (Mix) que receberão a quantidade ideal do produto de extração “DNA” para que no Laboratório de PCR, através do equipamento Termociclador, seja realizada a amplificação de regiões específicas (regiões alvo) do DNA, reação esta composta de três etapas distintas: desnaturação, anelamento e extensão. Após o término desta reação, ocorre uma amplificação de cerca de um bilhão de vezes a sequência específica do DNA. Depois de feita a amplificação, em seguida é realizada a Eletroforese capilar pelo equipamento “3500 Series Genetic Analyzer” para separação e detecção dos produtos de amplificação por fluorescência, por fim os resultados são interpretados e analisados em software específico.

Para o ano de 2018, a meta do Instituto, conforme o diretor, é iniciar a coleta de material biológico para obtenção do perfil genético de todos os apenados envolvidos em crime contra a vida e crimes classificados como hediondos, em parceria com a Vara de Execuções Penais, tendo como amparo a Lei 7.210/84 modificada pela Lei 12.654/12, para que sejam adicionados ao banco de perfis genéticos local. “Outra meta é que o Instituto ingresse na Rede Integrada de Bancos de Perfis Genéticos (RIBPG), que facilitará a identificação de criminosos que cometeram crimes em outros estados da Federação”, observou. Termo de cooperação técnica já foi assinado pelo governo estadual por meio da Secretaria de Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec), com o Departamento de Polícia Federal e a Secretaria Nacional de Segurança Pública, do Ministério da Justiça.

Original em: http://portalespigao.com.br

GD Star Rating
loading...

Autorizado o concurso da Polícia Civil do Espírito Santo

De acordo com o governador do Espírito Santo, o concurso é parte do esforço na quebra do ciclo vicioso da impunidade. (Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)

(Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)

De acordo com o governador do Espírito Santo, o concurso é parte do esforço na quebra do ciclo vicioso da impunidade.

Para quem busca uma carreira de policial civil, o estado do Espírito Santo em breve terá um edital com 173 vagas imediatas, além da formação de cadastro de reserva. O concurso foi autorizado pelo governador Paulo Hartung durante uma coletiva de imprensa no gabinete do Palácio Anchieta no dia 31 de janeiro de 2018.

As vagas serão divididas entre os cargos de Investigador de Polícia (60), Perito Oficial Criminal (50), Escrivão de Polícia (20), Auxiliar de Perícia Médico Legal (20), Médico Legista (15), Psicólogo (4) e Assistente Social (4), todos de nível superior. A expectativa é que nos próximos 30 dias seja concluída a contratação da empresa responsável pela aplicação das provas e, a partir daí, o edital seja lançado.

Original em: http://www.gazetadopovo.com.br

GD Star Rating
loading...

Concurso Público da SEGEP – MA passa por nova retificação

Concurso Público da SEGEP - MA passa por nova retificação

A Secretaria de Estado da Gestão, Patrimônio e Assistência dos Servidores (SEGEP) do Maranhão divulgou uma nova retificação do Concurso Público que objetiva o preenchimento de 30 vagas para profissionais de nível Médio e Superior.

A alteração ocorre novamente em relação ao conteúdo programático das provas do certame, no cargo de Analista Previdenciário – Administrativa Previdenciária. As especificações podem ser consultadas no documento disponível em nosso site.

Com remunerações que variam de R$ 1.750,00 a R$ 9.600,00 ao mês, estes profissionais atuarão nas funções de Administrador (3); Analista de Recursos Humanos (2); Assistente Social (1); Contador (1); Programador de Sistemas (2); Engenheiro Civil (1); Analista Previdenciário das áreas Administrativa Previdenciária (6); Atuarial e Contábil (2) e Financeira e Contábil (2); Perito Médico (5) e Técnico Previdenciário (5). Dentro deste total de vagas, existem oportunidades reservadas à profissionais que se encaixem nos requisitos do edital que pode ser consultado em nosso site.

As inscrições, que cobram taxas de R$ 90,00 a R$ 140,00, serão recebidas até às 14h de 23 de fevereiro de 2018, por meio do endereço eletrônico da Fundação Carlos Chagas, empresa responsável pela organização do certame.

Os candidatos à estas vagas serão classificados por meio de provas objetivas; discursiva – redação/ estudo de caso e avaliação de títulos, as quais deverão acontecer a partir do dia 29 de abril de 2018 na cidade de São Luís.

Adquira em nosso site as Apostilas Digitais que vão te auxiliar nos estudos. Este Concurso Público será valido por dois anos, sendo ainda passível de prorrogação por igual período.

Original em: https://www.pciconcursos.com.br

GD Star Rating
loading...

Reforço de 1,2 mil homens para as polícias Civil e Científica

Um total de 1.214 novos servidores da Polícia Civil e Científica de Pernambuco, aprovados em concurso público estão sendo formados nesta segunda-feira e vão reforçar os quadros antes do Carnaval. São delegados, agentes, escrivães, peritos, médicos legistas, e auxiliares, que estavam em preparação na Academia de Polícia.
A cerimônia de conclusão do curso de formação acontece esta manhã, no Teatro Guararapes do Centro de Convenções, em Olinda, com as presenças do governador do Estado, Paulo Câmara e do Secretário de Defesa Social, Antônio de Pádua.
Os novos membros da corporação serão lotados da Capital ao Sertão pernambucano. De acordo com o delegado Joselito Kerle do Amaral, que comanda a Polícia Civil no Estado, ainda em fevereiro, todas as delegacias do estado terão um delegado e uma equipe de investigação completa para atender a população e investigar os crimes.
De acordo com a Polícia, o incremento de policiais permitirá a concretização, imediata, das nove Delegacias de Repressão ao Narcotráfico (Denarc), criadas por lei e sancionadas, em dezembro de 2017, pelo Governador Paulo Câmara. As delegacias integram a estratégia que visa diminuir os números de homicídios, já que mais de 50% das mortes violentas registradas em Pernambuco, têm relação direta com o tráfico de entorpecentes e dívidas geradas pelo consumo de drogas. Também permitirá a instalação de seis unidades da Polícia Científica em Pernambuco, o que trará agilidade nas provas técnicas e exames periciais.
Distribuição – Os novos servidores da segurança foram nomeados, com publicação no Diário Oficial do dia 27 de janeiro. Logo após a formatura e exame médico, os novos policiais tomam posse na Secretaria de Administração do Estado (SAD) e já podem exercer suas funções a partir do dia 09 de fevereiro.  São 822 policiais civis – 139 delegados, 597 agentes e 86 escrivães – e 392 servidores da Polícia Científica – divididos da seguinte forma: 36 novos médicos legistas, 64 auxiliares de legista, 123 auxiliares de perito, 44 peritos papiloscopistas e 125 peritos criminais.
A  Zona da Mata e Agreste do Estado recebem a maior parte novo efetivo, cerca de 46% dos policiais civis formados. Vinte e três por cento será lotado no Sertão de Pernambuco, enquanto 10% irão trabalhar na Região Metropolitana do Recife.  Os 21% restante irá fortalecer  as Unidades Especializadas, como o Departamento de Homicídio e Proteção a Pessoa (DHPP).
GD Star Rating
loading...

Concurso PCES: 173 vagas e salários de até R$ 4,8 mil. Veja o quantitativo completo!

A abertura do concurso público da Polícia Civil no Espírito Santo foi autorizada pelo governador Paulo Hartung e o Secretário de Segurança Pública André Garcia, na manhã desta quarta-feira (31), no Palácio Anchieta.

Ao todo, são 173 vagas para as funções de escrivão da polícia, perito oficial criminal, psicólogo, médico legista, auxiliar de perícia médico legal, investigador da polícia e assistente social, com remuneração de até R$ 4.860,60.

Na ocasião, Paulo Hartung reforçou a importância da contratação de novos profissionais para a Polícia Civil e citou dois casos recentes em que o trabalho da instituição foi fundamental.

“Você ter uma boa investigação, uma boa elucidação dos episódios criminosos é muito importante. Quebrando o ciclo vicioso você consegue reduzir a prática delituosa na sociedade. Tem dois exemplos para citar que é investigação da doutora Milena, que a polícia cortou na própria carne e com equilíbrio, apresentaram um resultado para a sociedade, Nesses dias agora, o trabalho do Núcleo de Repressão às Organizações Criminosas e à Corrupção (Nuroc) também foi muito importante, que desarticulou uma máfia na área da saúde e a gente precisa dar valor”, afirmou Hartung.

O último concurso público da Polícia Civil foi realizado em 2013. Segundo o Secretário de Segurança Pública André Garcia, as vagas são para a Grande Vitória e interior do Estado.

“O objetivo é recompor os quadros e dar condições para que a instituição continue o trabalho de enfrentamento à criminalidade de forma integrada com a Polícia Militar e com o Corpo de Bombeiros. São 173 vagas para diversos cargos importantes que vão dar mais fôlego para a polícia civil continuar seu trabalho”, concluiu Garcia.

A publicação do edital está prevista para acontecer nos próximos 30 dias. Confira o quantitativo completo de vagas e as remunerações!

– Escrivão de Polícia:  20 vagas – Remuneração: R$ 4.860,80
– Perito Oficial Criminal: 50 vagas – Remuneração: R$ 4.860,80
– Psicólogo – 4 vagas – Remuneração: R$ 4.860,80
– Médico Legista – 15 vagas – Remuneração: R$ 4.860,80
– Auxiliar de Perícia Médico Legal – 20 vagas – Remuneração:  R$ 3.449,60
– Investigador de Polícia – 60 vagas – Remuneração: R$ 4.860,80
– Assistente Social – 4 vagas – Remuneração: R$ 4.860,80

Original em: https://novo.folhavitoria.com.br

GD Star Rating
loading...

Concurso PCPI – 2018: Confirmadas 190 vagas para este ano

Órgãos ligados à Segurança Pública estão recebendo importantes reforços para 2018! E não é para menos! Com os altos índices de violência apresentados em todo o país, a preocupação dos governantes com essa área é unânime. Por isso, corporações das Polícias Civil e Militar de diversos estados têm lançado ou programado concursos públicos para este ano, a fim de oxigenar seus quadros funcionais.

Um dos certames confirmados para 2018 é o da Polícia Civil do Piauí (Concurso PC PI 2018). Autorizado desde julho de 2017, o certame prevê a oferta de vagas nas carreiras de agente, perito, delegado e escrivão. As remunerações iniciais podem chegar à casa dos R$ 17 mil. O certame chegou a ter lançamento de edital previsto para o ano passado, mas, o governador do estado acabou confirmando-o para o ano seguinte.

Concurso PCPI 2018: O que esperar?

O Concurso PC PI 2018 foi confirmado para este ano pelo governador do estado, Wellington Dias. O anúncio foi feito durante entrega de viaturas e equipamentos para o Batalhão de Operações Especiais da PM-PI (Rone). Ainda segundo o líder do governo, poderão ser lançadas 190 vagas imediatas mais cadastro de reserva. O quantitativo é feito levando em conta as convocações já finalizadas do certame anterior.

As oportunidades, então, serão distribuídas entre as carreiras de perito (40), agente (120), escrivão (10) e delegado (20). Com a realização do Concurso PC PI 2018, o objetivo é aliviar a carência oriunda das aposentadoras previstas para 2018. Ao todo, 200 servidores ativos poderão se aposentar, ou seja, quantitativo superior ao previsto em edital. Por isso, a expectativa para convocações em cadastro de reserva é alta.

Vale lembrar que a comissão interna do certame foi formada em julho de 2017. A expectativa era de que o edital fosse publicado em outubro daquele ano, mas, justamente por um atraso em definir a comissão, o concurso precisou ser adiado. Ainda não foram definidas as formas de avaliação. No entanto, seguindo o que foi aplicado no concurso anterior, os candidatos deverão ser submetidos à provas objetivas, práticas de digitação (escrivão), aptidão física, exame psicológico e investigação social.

Cargos, remunerações e atribuições

O Concurso ofertará vagas nas carreiras de perito, escrivão, agente e delegado. Todas as carreiras exigem formação em nível superior, sendo específicas para os cargos de perito e delegado, de acordo com a sua área de atuação. Confira maiores detalhes sobre os cargos:

  • Delegado: exige graduação em Direito. Entre suas atribuições, o delegado deve proceder ao indiciamento por ato fundamentado, conduzir investigação criminal, realizar diligências determinadas por juízo, além de analisar a legalidade das prisões em flagrante. Para este cargo, é prevista remuneração inicial de R$17.853,75.
  • Escrivão: exige formação de nível superior em qualquer área. O escrivão deve, entre outras funções, lavrar e subescrever autos e termos, cumprir ordens e despachos do delegado, dirigir, fiscalizar e supervisionar trabalhos cartorários. A remuneração inicial disponibilizada no último edital foi de R$3.194,35 acrescida de benefícios
  • Agente: bem como a carreira de escrivão, exige a formação de nível superior em qualquer área. Dentre suas atribuições, estão a realização de diligências, efetuar investigações, apreender produtos oriundos de crimes, proceder com a localização de pessoas, além de coletar informações e prender infratores mediante mandado ou em flagrante. No último edital, a remuneração inicial prevista era de R$2.336,02. Porém, hoje, está estimada em R$4.400,00.
  • Perito: exige formação específica de nível superior, de acordo com a área de sua atuação. O perito executa atividades periciais, seja no local do crime, seja em laboratório. Por isso, deve zelar pela preservação do local da ocorrência, realizar laudos cadavéricos, assinar laudos, assegurar o sigilo das investigações, dentre outras atividades que variam de acordo com a área de atuação. Remuneração inicial prevista no último edital era de R$3.756,60, porém pode chegar a R$11 mil.

O servidor da Polícia Civil do Piauí cumpre jornada de 40h semanais.

Original em: https://editalconcursosbrasil.com.br

GD Star Rating
loading...

Instituto Geral de Perícias apresenta balanço das atividades de 2017, apontando mais de 116 mil exames realizados

Instituto Geral de Perícias apresenta balanço das atividades de 2017, apontando mais de 116 mil exames realizados

O Instituto Geral de Perícias (IGP) de Santa Catarina apresenta o balanço das atividades e dados estatísticos referentes ao exercício do ano de 2017. O IGP é formado por quatro institutos: Instituto de Identificação Civil e Criminal, Instituto Médico Legal, Instituto de Criminalística e Instituto de Análises Forenses.

O ano de 2017 terminou com um montante de 116.591 exames periciais realizados pelo Instituto Geral de Perícias. De acordo com o diretor geral do IGP, Miguel Colzani, o ano confirmou a eficiência e a produtividade dos servidores. “Graças à dedicação dos funcionários obtivemos esses números expressivos. Os dados mostram a amplitude dos serviços que são prestados ao cidadão e ratificam o bom desempenho dos servidores e colaboradores do IGP. A expectativa para 2018 é manter o ritmo funcional, melhorando ainda mais o atendimento ao cidadão”.

Novos servidores, concurso público e processo seletivo

No âmbito dos Recursos Humanos, o Instituto Geral de Perícias admitiu, no exercício de 2017, 68 novos profissionais (61 auxiliares criminalísticos e sete auxiliares de laboratório), aprovados no concurso público de 2014.

Em novembro, o IGP realizou a prova do concurso público 001/2017 para o ingresso de novo 51 profissionais (49 vagas para os cargos de perito criminal, perito criminal bioquímico, perito médico-legista e perito odontolegista e duas vagas são para a função de papiloscopista). O resultado final sairá em 2018.

Ainda em 2017, no mês de dezembro, foi lançado o Processo Seletivo Simplificado que prevê a contratação temporária de 21 novos auxiliares de medicina legal. O resultado também será conhecido no ano de 2018.

Emissão de carteiras de identidade cresce 11%

No âmbito de suas atribuições constitucionais, compete ao IGP realizar o procedimento de identificação civil das pessoas, viabilizando a expedição da carteira de identidade que é emitida pelo Instituto de Identificação e conta com a parceria de prefeituras municipais através dos postos de identificação. Além das 31 centrais de atendimento do IGP, outros 262 postos conveniados se consolidaram no Estado, totalizando 293 unidades de serviço ao cidadão, aumentando 23 pontos em relação a 2016.

Em 2017, foram expedidas 639.007 carteiras de identidade, sendo 635.297 em atendimento regular nas unidades do IGP e 3.710 em ações sociais itinerantes. O número apresenta um recorde histórico e um crescimento de confecção do documento da ordem de 11%.

IML destaca-se pelo papel social

O trabalho desenvolvido pelo Instituto Médico Legal destaca-se pela relevância social. Muitos procuram o IML para buscar seus direitos, lutar pela sua cidadania. São pessoas que sofreram lesões em seus locais de trabalho, em acidentes de trânsito, vítimas de agressões originadas em conflitos e ainda vítimas de violência sexual.

No IML foram realizados 59.583 exames periciais, entre os quais 53.793 exames de lesões corporais. Outra missão importante do IML é identificar a causa da morte não natural, por meio de procedimentos periciais que fornecem subsídios para a instrução de inquéritos policiais e processos penais. Nessa área foram realizados 4.460 exames cadavéricos. Chama a atenção o número de vítimas em acidentes de trânsito que é praticamente o dobro em relação ao número de vítimas de arma de fogo: 1.411 contra 744.

Instituto de Criminalística diminui tempo de resposta

O Instituto de Criminalística atua em diversos ramos das Ciências Forenses, tais como Balística, Documento scopia, Informática, Fonética, Papiloscopia, Identificação Veicular, exames em locais de crimes contra o meio ambiente, além dos serviços de pronto atendimento em locais de crimes contra a pessoa e contra o patrimônio.

A atividade pericial do Instituto de Criminalística é disponibilizada em 30 unidades, o que torna a estrutura de Santa Catarina uma das mais descentralizadas do país, gerando melhora substancial na diminuição do tempo de resposta aos serviços de pronto atendimento, principalmente naqueles que se revestem de maior gravidade, tais como os crimes contra a pessoa. No ano de 2017, o Instituto de Criminalística atendeu 31.087 ocorrências e expediu 25.506 Laudos Periciais.

Instituto de Análises Forenses aumenta a identificação de substâncias químicas

O Instituto de Análises Forenses atua nos procedimentos laboratoriais destinados à identificação de substâncias entorpecentes, dosagem alcoólica, exames toxicológicos, pesquisas indeterminadas, além da identificação humana através do DNA.

Além do laboratório central instalado na Capital, o IAF possui laboratórios em Joinville, Balneário Camboriú, Criciúma, Blumenau, Lages e Chapecó. Em 2017, foram realizados 25.921 exames periciais no Instituto de Análises Forenses envolvendo drogas, vestígios biológicos, exames toxicológicos e de DNA. A maioria para a identificação de substâncias químicas (21.499).

Por: Diogo CCR

Original em:https://www.revistaw3.com.br

GD Star Rating
loading...