Arquivo

setembro 2017
S T Q Q S S D
« abr    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

Falha humana e excesso de velocidade motivaram acidente na BR-369, em Bandeirantes

g_acidente-onibus-br-3693

O Instituto de Criminalística de Londrina concluiu que o acidente com oito mortes envolvendo um ônibus de turismo na BR-369, em Bandeirantes (108 km de Londrina), foi provocado por excesso de velocidade e também por falha humana. Na madrugada de 21 de abril, o motorista perdeu o controle da direção e o veículo tombou na pista em um trecho de curva. Outras 25 pessoas ficaram feridas.

O perito Luciano Bucharles explicou na tarde desta segunda-feira (28) que após análise do tacógrafo, dispositivo empregado no veículo para monitorar o tempo de uso, a distância percorrida e a velocidade empregada,foi constatado que o ônibus da empresa Giltur Turismo estava a 98 quilômetros por hora no momento do acidente.

“O limite no trecho é de 60 km/h. O veículo estava bem acima do permitido”, apontou. Além disso, também foi concluído que nas últimas horas do desenvolvimento do ônibus “o motorista empregou dezenas de vezes velocidade acima de 100 km/h, em um dos momentos chegando próximo a 120 km/h”, disse Bucharles.

Para ônibus, o máximo permitido em rodovias estaduais é de 90km/h, variando os limites em estradas federais. O perito avaliou que o tacógrafo pode ter registrado menor velocidade da real aplicada pelo motorista. Fatores como defeitos e também desgaste das peças do dispositivo influenciam na mensuração de valores.

“É como se fosse aquele caso clássico de morador que reclama quando a Sanepar troca o medidor de água. Muitas vezes tem gente que diz que passou a gastar mais, mas na verdade é porque tinha problema no equipamento e não estava sendo computado o dado correto”, comparou.

A vistoria no veículo não apresentou falhas nos sistemas de freios, motor e de injeção. A delegacia de Bandeirantes colhe depoimentos e deve concluir o inquérito com até o início do próximo mês. O motorista do ônibus da Giltur Turismo pode ser indiciado por homicídio doloso, quando há a intenção de matar. A reportagem de odiario.com tentou contato com o delegado Michel Araújo, mas ele não atendeu as ligações.

Original em: http://londrina.odiario.com

GD Star Rating
loading...

Após 4 anos, Justiça decide se réus da cratera do Metrô vão a julgamento

Catorze são acusados de desabamento que matou sete pessoas em 2007.
Audiência começa na tarde desta terça no Fórum de Pinheiros, em SP.

Em janeiro de 2007, uma cratera se abriu no canteiro de obras das futuras instalações da Estação Pinheiros do Metrô: sete pessoas morreram (Foto: Arquivo/G1)

Em janeiro de 2007, uma cratera se abriu no canteiro de obras das futuras instalações da Estação Pinheiros do Metrô: sete pessoas morreram (Foto: Arquivo/G1)

Após quatro anos, a Justiça de São Paulo começará a decidir a partir desta terça-feira (27) se os 14 réus do caso da cratera do Metrô irão a julgamento pelo emblemático acidente que matou sete pessoas. Engenheiros e técnicos serão ouvidos pela primeira vez desde janeiro de 2007, quando o canteiro de obras da então futura Estação Pinheiros desmoronou, abrindo um buraco que tragou três caminhões do serviço, três carros, uma rua vizinha e uma van que passava por ela.

Os acusados respondem em liberdade e no exercício de suas profissões por crime contra a incolumidade pública, que é deixar de tomar medidas necessárias, no caso específico, de segurança contra o risco de desmoronamento. Em outras palavras, são acusados de desabamento culposo com morte na modalidade culposa (sem intenção).

A audiência de instrução ocorrerá a partir das 14h no Fórum de Pinheiros e será presidida pela juíza Aparecida Angélica Correia, que ouvirá o depoimento de cinco testemunhas de acusação. Outras três serão ouvidas por carta precatória em Minas Gerais, Goiás e Rio de Janeiro. Essa etapa precede a um eventual julgamento e se estenderá também na quarta-feira (28) e na quinta-feira (29) com o restante das oitivas.

Audiência
Posteriormente será marcada uma nova data da audiência para que sejam ouvidas as testemunhas de defesa e para que seja feito o interrogatório dos réus. Após isso, a juíza decidirá se os acusados devem ser levados a julgamento ou não. A previsão é que isso ocorra até 2012.

Como o crime é de menor potencial ofensivo, caso eles sejam condenados pela Justiça, a pena não deverá passar de mais de dois anos e meio de reclusão. Por esse motivo, o regime de prisão deles deverá ser aberto. Os advogados dos réus dizem na defesa de seus clientes que houve uma falha geológica imprevisível para justificar a abertura do buraco.
Ministério Público
Para a promotora Eliane Passarelli, que representa a denúncia, não houve abalo sísmico que justificasse o desabamento. Ela considera que houve, sim, imprudência, imperícia, falha humana e técnica. O processo questiona a qualidade do material usado e a negligência quanto às medidas preventivas e as falhas na análise do solo. Em outras palavras, para o Ministério Público, a tragédia poderia ter sido evitada se os responsáveis tivessem alertado as autoridades e interrompido a obra em tempo.
Segundo ela, todo o processo tem 14 volumes e 60 apensos com 200 folhas cada um. “Houve imperícia e negligência. A tragédia poderia ter sido evitada. Se tivessem sido alertados. Deveriam ter colocado 300 peças de sustentação no túnel, mas só colocaram 30”, afirmou a promotora Passarelli em entrevista ao G1 nesta segunda-feira (26).
Acidente
Minutos antes do desmoronamento no dia 12 de janeiro, 25 funcionários abandonaram às pressas o canteiro de obras do Metrô. Na véspera do acidente, havia ocorrido um rebaixamento do teto, mas engenheiros do Consórcio Via Amarela optaram por reforçar as paredes sem paralisar o serviço. A área não foi interditada.
Isso não impediu que as paredes do túnel da obra cedessem por volta das 14h daquela sexta-feira. Em apenas 1 minuto e 50 segundos, o desabamento fez o buraco atingir 80 metros de diâmetro e 38 metros de profundidade.

Uma das primeiras vítimas a serem tragadas pelo buraco foi o motorista da obra Francisco Sabino Torres, de 48 anos. Em seguida, foi engolida a Rua Capri. Três vítimas da cratera do Metrô estavam na lotação que passava por essa via: o motorista Reinaldo Aparecido Leite, de 40 anos; o cobrador Wescley Adriano da Silva, de 22, e um passageiro, o funcionário público Marcio Rodrigues Alambert, de 31.

Os outros mortos foram: a aposentada Abigail Rossi de Azevedo, de 75 anos, o oficce-boy Cícero Augustino da Silva, de 58, e a bacharel em direito Valéria Alves Marmit, de 37, que caminhavam na calçada da Capri, usada como acesso dos operários ao túnel em perfuração.
O GPS do micro-ônibus indicava que ele estava 28 metros abaixo dos entulhos. O veículo ficou reduzido a um bloco de sucata com 60 centímetros de altura. A primeira vítima foi retirada pelos bombeiros no quarto dia de buscas. O último corpo foi encontrado no 13º dia.

Após 19 meses de investigação, o Instituto de Criminalística (IC), da Polícia Técnico-Científica, concluiu o laudo sobre as causas do acidente e apontou que problemas de execução da obra provocaram a queda das paredes do túnel.

Outros processos, além do criminal, estão sendo movidos por parentes das vítimas que não concordaram com os valores das indenizações. Além das pessoas que tiveram seus familiares mortos, há àqueles que perderam seus imóveis por conta da desapropriação. Muitas casas e prédios vizinhos ao canteiro de obras tiveram de ser demolidos porque apresentavam risco de desabamento.
Consórcio Via Amarela
Procurado no primeiro semestre deste ano para comentar o assunto, o Consórcio Via Amarela (OAS, Odebrecht, Queiroz Galvão, Camargo Corrêa e Andrade Gutierrez), responsável pelas obras de construção da Linha 4-Amarela, informou que “as indenizações foram quitadas com valores provenientes do seguro do contrato de construção da Linha 4. Todas as famílias das vítimas fatais, assim como os proprietários dos imóveis afetados pelo acidente, foram indenizados”.
Questionado sobre as causas do desabamento, o consórcio informou que “contratou renomados consultores independentes, do Brasil e do exterior, especializados em diferentes áreas, que elaboraram pareceres sobre as causas do colapso na Estação Pinheiros. O estudo resultou em um relatório técnico com mais de 800 páginas que concluiu pela ocorrência de três fatores geológicos simultaneamente combinados, em circunstâncias totalmente imprevisíveis, apesar de adotadas todas as medidas preventivas existentes nas mais modernas técnicas de engenharia”.
A respeito da denúncia do Ministério Público, o consórcio disse que “dos 14 denunciados, cinco têm relação com o Consórcio Via Amarela, os demais são integrantes do Metrô e do consórcio de empresas projetistas. A defesa de cada um está a cargo dos respectivos advogados nos autos dos processos”.

A Linha 4-Amarela terá 12,8 km de extensão e vai ligar o bairro da Luz (região central) à Vila Sônia (Zona Sul). As obras têm custo estimado em R$ 3,8 bilhões.

Original em: http://g1.globo.com

GD Star Rating
loading...

Nova perícia será realizada em local de acidente com bondinho

Trabalhadores disseram ainda vão pedir novamente uma revisão nos bondes Foto: Murilo Rezende/

Trabalhadores disseram ainda vão pedir novamente uma revisão nos bondes Foto: Murilo Rezende/

Uma perícia complementar será realizada pelo Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) no local do acidente com o bondinho em Santa Teresa na tarde desta segunda-feira. A tragédia da tarde do último sábado deixou cinco pessoas mortas e 57 feridas. Uma das coisas que mais chamou a atenção dos peritos do ICCE e de membros do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura do Estado (Crea-RJ) é que o bondinho estava com um arame substituindo um parafuso acima da roda traseira esquerda.

O Sindicato dos Ferroviários da Central do Brasil decidiu, em assembleia realizada nesta segunda-feira, criar uma comissão para acompanhar as perícias e o inquérito policial. Os trabalhadores disseram ainda vão pedir novamente uma revisão nos bondes. Ainda segundo o grupo, este ano pelo menos 120 funcionários foram demitidos pela Companhia Estadual de Engenharia de Transportes e Logística (Central), responsável pelos bondes, e cerca de 200 devem perder o emprego em breve.

Situação dos feridos
Entre as vítimas do acidente, ainda há quatro pessoas internadas no Hospital Municipal Souza Aguiar. O caso mais grave é do menino João Pedro, 3 anos, que está em estado grave no Centro de Terapia Intensiva (CTI) da unidade de saúde do Centro da cidade. Outras duas pessoas estão no Hospital Miguel Couto. Há ainda três feridos no Hospital Copa D’Or e outros três no São Lucas, os dois em Copacabana, zona sul.

Original em: http://noticias.terra.com.br

GD Star Rating
loading...

Peritos visitam garagem dos bondinhos de Santa Teresa

Jorge Daniel de Athayde, é uma das vítimas do acidente e diz que motorneiro foi herói

Jorge Daniel de Athayde, é uma das vítimas do acidente e diz que motorneiro foi herói

Peritos do ICCE (Instituto de Criminalística Carlos Éboli) visitaram a garagem dos bondinhos de Santa Teresa, na região central do Rio, no início da tarde desta terça-feira (30). Segundo a assessoria da Polícia Civil, o objetivo é recolher peças que ajudem na elaboração do laudo técnico das causas do acidente do último sábado (27), que deixou cinco mortos e 57 feridos. O documento deve ser finalizado em 15 dias.
A Central (Companhia Estadual de Engenharia de Transportes e Logística), empresa responsável pela operação e manutenção dos bondes de Santa Teresa e vinculada à Secretaria Estadual de Transportes, será intimada pela polícia a prestar informações técnicas e administrativas sobre o sistema, segundo informou nesta terça o titular da delegacia de Santa Teresa (7ª DP), Tarcísio Jansen. Funcionários também serão intimados a depor.
O secretário Estadual de Transportes, Júlio Lopes, disse que o bonde que se acidentou deveria ter ido para a oficina porque havia batido em um ônibus uma hora antes da tragédia e questionou a conduta do motorneiro Nelson Corrêa da Silva, que morreu no acidente.

Nesta segunda-feira (29), o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro abriu um inquérito para apurar as responsabilidades sobre o acidente. O promotor Carlos Andresano, da 3ª Promotoria de Defesa do Consumidor, que conduzirá o inquérito, disse ainda que pretende marcar uma reunião entre representantes da Central e o secretário estadual de Transportes, Júlio Lopes.

Onze vítimas internadas

Onze vítimas do acidente permanecem internadas nesta terça. A Secretaria Municipal de Saúde informou em nota que um menino de três anos permanece internado no CTI (Centro de Terapia Intensiva) do hospital Souza Aguiar e seu estado de saúde é estável. Uma das mulheres também hospitalizada no Souza Aguiar passou por uma cirurgia nesta terça para correção de uma fratura. As outras duas mulheres que estão no mesmo no hospital passam bem.

Ainda segundo a secretaria, o jovem internado no hospital Miguel Couto também passa bem.

No hospital Quinta D’Or, um paciente está internado em quarto, sem previsão de alta, com estado de saúde estável. Já no hospital Copa D’Or, cinco pacientes passarão por intervenção cirúrgica nesta terça e não há previsão de alta.

Original em: http://noticias.r7.com

GD Star Rating
loading...

Peritos recolhem peças do bonde acidentado em Santa Teresa

Rio – Peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) estiveram nesta terça-feira na oficina de manutenção dos bondinhos, em Santa Teresa, onde recolheram peças para tentar descobrir as causas do acidente que matou cinco pessoas e feriu 57, no sábado. A sapata do freio do bonde acidentado, que havia sido substituída, está entre os itens recolhidos.

Uma das vítimas do acidente com bonde, Liliane Martins, de 24 anos, saiu em defesa do motorneiro Nelson Correa da Silva. Para Liliane, o que aconteceu poderia ser evitado com a manutenção do transporte e, além disso, o motorneiro que estava à frente do bondinho não pode ser apontado como o culpado.

“A culpa não foi dele, foi uma fatalidade”, disse a vítima em entrevista ao RJTV, da TV Globo, nesta terça-feira.

Perito recolhe peça do bondinho no qual ocorreu o acidente no último sábado | Foto: Severino Silva

Perito recolhe peça do bondinho no qual ocorreu o acidente no último sábado | Foto: Severino Silva

 

O secretário estadual de Transportes, Júlio Lopes, concedeu entrevista coletiva na tarde de segunda-feira e garantiu que não tem responsabilidade direta no acidente que matou cinco pessoas e feriu outras 57. “Vou me defender. Tenho convicção de que a segurança não foi negligenciada. Não era minha responsabilidade direta. Responderei com tranquilidade a tudo que me for arguido. Tenho notas fiscais e provas de que que os investimentos foram feitos. Ocorreu uma fatalidade”, afirmou.

O secretário disse que vai contratar uma empresa pública para fazer auditoria e que o serviço seguirá suspenso até a conclusão deste trabalho. Lopes confirmou que às 15h de sábado, o bonde conduzido por Nelson Correa da Silva se chocou com um ônibus. O condutor teria feito o registro de ocorrência e, nas palavras do secretário, deveria ter voltado para a oficina. Segundo Lopes, não há explicação para o fato do bonde ter mais de 60 pessoas quando deveria estar vazio.

Além disso, o engenheiro da Central, Cláudio Nascimento, disse que a existência de um arame substituindo um parafuso pode ter sido feita por um motorneiro, de forma improvisada até a chegada na oficina. “Temos nota da compra do parafuso”, garantiu, reforçando que o calendário de manutenção dos bondes está em dia. Júlio Lopes ainda disse desconhecer as queixas do sindicato dos ferroviários de que a situação dos bondes não é adequada.

Integrantes da Associação de Moradores de Santa Teresa se revoltaram com as declarações de Lopes e protestaram com faixas, acusando o secretário de omissão. A presidente da entidade, Elzbieta Mitkiewicz, era uma das mais indignadas. “Estou enojada. Ele (Lopes) jogou a culpa no morto, que não pode se defender”.

Inquérito

Funcionários Companhia estadual de Engenharia de Transporte e Logística (Central), que administra os bondes de Santa Teresa serão intimados a depor. A polícia quer saber informações técnicas e administrativas sobre a manutenção dos veículos e a dotação orçamentária da empresa para saber se os recursos são suficientes para a manutenação dos bondes.

Feridos

Quinze pessoas feridas no acidente com o bondinho de Santa Teresa, no sábado, ainda estão internadas. A rede de hospitais D’Or informou nesta terça-feira que seis pessoas estão internadas em duas de suas unidades. No Quinta D’Or, um paciente está internado em um quarto, sem previsão de alta, com estado de saúde estável. Já no Hospital Copa D’Or, cinco pacientes passarão por intervenção cirúrgica nesta terça e não há previsão de alta.

Um menino de três anos permanece internado no Centro de Terapia Intensiva (CTI) do hospital Souza Aguiar e seu estado de saúde é estável. No Souza Aguiar, três mulheres estão internadas e passam bem. Uma delas passou por uma cirurgia nesta terça. Um jovem internado no hospital Miguel Couto também passa bem. No Hospital São Lucas, em Copacabana, mais quatro pessoas estão internadas.

Comemoração se transformou em inferno

Era para ser um passeio para comemorar a formatura no curso da Marinha, mas a tarde no bairro com nome de santa virou um inferno. Douglas Tavares, de 31 anos, que estava com mãe e uma amiga da família no bondinho conta que, na hora do acidente, os passageiros se desesperaram. “Começou a pegar velocidade e as pessoas gritavam. Muitas pularam”, lembra. Douglas teve cortes na cabeça e rosto. A mãe, Maria Elisa Machado, de 64 anos, segue internada. A amiga da família, Anaisa Rizzoli Gazziotte, 63, achou que morreria: “Vi a morte. Quando o bonde tombou, muitas pessoas caíram em cima de mim”.

A família de Lorena Maria da Cunha Bezerra, 27, hospita

lizada com fraturas e rosto queimado, promete processar o estado.

Douglas e a amiga Anaisa sobreviveram ao acidente mas sofrem com cortes e hematomas. A mãe de Douglas, Maria Elisa, ainda está internada | Foto: Alexandre Brum

Douglas e a amiga Anaisa sobreviveram ao acidente mas sofrem com cortes e hematomas. A mãe de Douglas, Maria Elisa, ainda está internada | Foto: Alexandre Brum

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Original em: http://odia.terra.com.br

GD Star Rating
loading...

Criminalística aponta falha humana em acidente em brinquedo da Expolondrina

O Instituto de Criminalística de Londrina apontou nesta terça-feira (13) falha humana como a causa de um acidente em um brinquedo instalado na 51ª Exposição Agropecuária e Industrial de Londrina, a ExpoLondrina 2011. Na madrugada de sexta-feira (8), uma adolescente de 16 anos teve fraturas na perna e no pé ao andar no brinquedo King Loop no parque de diversões da feira.

De acordo com responsável pelo laudo, o perito Luis Noboru, o laudo identificou a negligência dos operadores do brinquedo. Ele explicou que não foi encontrada nenhuma irregularidade no brinquedo. “Foram realizados testes diversos. Fizemos simulações de queda de energia, paradas de emergência e o equipamento está funcionando normalmente”, explicou.

Noboru disse que o operador não conferiu se os usuários do brinquedo estavam devidamente presos com a grade de proteção. “Antes de acionar o brinquedo tem que conferir. Isso é uma pratica comum. Se não houve essa verificação, há falha também no treinamento do pessoal”, declarou.

O Corpo de Bombeiros informou no dia do incidente que Bruna Almeida de Andrade teria posicionado a perna de maneira errada no brinquedo e bateu o membro em uma barra da ferro, enquanto o aparelho se movia.

A garota está internada no Hospital Universitário (HU) de Londrina desde a última sexta-feira (8). Segundo a assessoria de imprensa do hospital, a jovem está bem e aguarda alta médica, o que deve ocorrer ainda nesta semana.

O brinquedo em que ocorreu o acidente permanece interditado. Os outros brinquedos do parque estão em funcionando normalmente.

Original em: http://londrina.odiario.com

GD Star Rating
loading...

Peritos da polícia fazem novos testes no Playcenter

Ainda nesta terça-feira estão previstos os depoimentos das vítimas e de funcionários do parque de diversões

Técnicos do Núcleo de Engenharia do Instituto de Criminalística da Polícia Técnico-Científica de São Paulo estiveram, na manhã desta terça-feira, no parque Playcenter, na zona oeste de São Paulo, para realizar simulações de funcionamento no brinquedo Double Shock e apurar as causas do acidente. A vistoria foi realizada por conta do acidente que deixou 8 pessoas feridas, na tarde do último domingo.

Peritos fizeram novos testes no brinquedo Double Shockna na manhã desta terça-feira

Segundo a assessoria do parque, esta nova perícia foi necessária após os testes realizados na segunda-feira não terem sido conclusivos. O parque, que permanece fechado até a próxima sexta-feira, também recebeu, até o momento, representantes do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea), da Polícia Técnica, do Departamento de Controle de Uso de Imóveis (Contru), Defesa Civil, da Subprefeitura da Lapa, e afirma que está encaminhando documentos comprobatórios de todo o histórico recente que certifica a regularidade do equipamento.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), ainda nesta terça-feira estão previsto os depoimentos de vítimas e funcionários do parque no 23º Distrito Policial, em Perdizes.

Ainda segundo a SSP, na segunda-feira, operadores do brinquedo prestaram depoimentos. Três das oito vítimas permanecem internadas, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), no Hospital Metropolitano, também em São Paulo.

 

 

Original em: http://ultimosegundo.ig.com.br

GD Star Rating
loading...

Peritos começam a investigar acidente no Playcenter; três vítimas permanecem internadas

Peritos começam a investigar causa de acidente no Playcenter

O perito criminal José Manuel Dias Alves, responsável pelos trabalhos de apuração das causas do acidente ocorrido no brinquedo Double Shock, no Playcenter, neste domingo, começou os trabalhos para investigar as falhas. Segundo o Hospital e Maternidade Metropolitano, três vítimas permanecem internadas no local.

O perito esteve no parque por volta das 11h para dar início aos trabalhos. O resultado oficial deve sair em 30 dias. O Playcenter informou que está contribuindo com as investigações. Por volta das 9h desta segunda-feira, os três operadores que estavam no comando do brinquedo no momento do acidente prestaram depoimento no 23º distrito policial.

Com relação às vítimas, o Hospital e Maternidade Metropolitano informou que, dos oito envolvidos, cinco já tiveram alta e passam bem. O Playcenter esclarece que prestará toda assistência aos feridos e aos familiares.

 

 

 

Original em: http://www.band.com.br

GD Star Rating
loading...

Ônibus da Viação Barbarense começam a ser periciados

Um dos veículos da empresa se envolveu em um acidente com dois mortos

Após o acidente com um ônibus desgovernado da Viação Barbarense (Viba) que matou dois e feriu seis pessoas no dia 15 de março, começa nesta sexta-feira (25) uma perícia em todos os ônibus da empresa, em Santa Bárbara d´Oeste. A perícia será feita por uma empresa contratada pela administração do município. Deve ocorrer um rodízio entre os veículos para não atrapalhar o serviço de transporte.

A perícia foi um pedido de uma comissão da prefeitura que investiga o acidente com o ônibus desgovernado. A comissão já pediu documentos referentes à manutenção dos ônibus, além de relatórios operacionais e administrativos.

Entenda o Caso

Perícia
Na tarde de segunda-feira (21), peritos de Instituto de Criminalística (IC) de Americana que o coletivo não tinha as mínimas condições de circular. Desde o início de janeiro até o dia do acidente, dia 15 de março, foram feitos 29 pedidos de manutenção, sendo que nove mencionam problemas no freio.

As peças do sistema de freios do ônibus foram testadas em um laboratório de uma empresa particular. Para os peritos, o desgaste no mecanismo e a falta de manutenção nos freios foram as causas do acidente. “Não foi apenas um fator e sim a somatória”, afirma o perito criminal Carlos Costa.

Uma das conclusões da perícia para o trajeto de aproximadamente um quilômetro descontrolado e em alta velocidade foi que o freio não funcionou ao ser acionado no pedal do ônibus porque havia vazamento na válvula que controla a entrada de ar. De acordo com o perito, quando a pressão cai, o sistema de freio, conhecido como Tristop, tem mais dois recursos de emergência que funcionam só nas rodas traseiras. O primeiro é automático e acionado por molas. O segundo é manual, controlado pelo motorista.

De acordo com a perícia, no momento do acidente ambos falharam porque as lonas de freio estavam muito gastas. Do lado esquerdo, uma das lonas já tinha descolado e estava em pedaços, isso explica o porquê do veículo descer a avenida e em nenhum momento o freio retarda o veículo, mesmo com o comando do motorista.

De acordo com Costa, outros sistemas não funcionaram por causa do desgaste nos freios.O resultado da perícia mostra que a manutenção no ônibus acidentado feita pela Viação Barbarense (Viba) foi inadequada.
O laudo com o resultado da perícia deve enviado oficialmente à polícia em um prazo de 30 dias. O delegado Rodolfo Lopes do Canto Junior informou que vai aguardar o recebimento do documento para definir quais medidas serão tomadas em relação à Viação Barbarense ou à prefeitura, já que há uma intervenção do município no transporte coletivo.

Papéis
Além de analisar as peças, os peritos do IC analisaram diversos papéis internos da empresa que reforçam a conclusão. Desde o início de janeiro até 15 de março, dia do acidente, foram emitidos, por diferentes motoristas, 29 ordens de serviço com pedidos de manutenção. Uma média de um pedido a cada dois dias e meio, sendo que nove pedidos mencionam problemas no freio.

O último aviso foi feito uma hora antes do acidente. A queixa tinha sido registrada pelo mesmo motorista na véspera. No dia 11 de março, uma reclamação quanto ao freio consta um “ok”, feito pelo mecânico.

Para os peritos, isso mostra que o ônibus foi liberado pra rodar sem que as peças com defeito fossem trocadas. O mesmo ocorreu em outras ordens de serviço, como o do dia 26 de fevereiro, quando fica claro que o mecânico tinha conhecimento da situação precária da lona de freio na roda esquerda.De acordo com o perito chefe Edvaldo Messias, outros ônibus da empresa podem estar rodando sem condições mecânicas e vai solicitar para o delegado que todos os ônibus da empresa sejam vistoriados.

Procurado pela nossa equipe de reportagem, o diretor da Viba não foi encontrado para falar sobre o resultado da perícia

O acidente
No final da tarde de terça-feira (15) um ônibus desgovernado invadiu a Avenida Anhanguera e percorreu cerca de um quilômetro na contramão. No percurso, já seguido por uma viatura da polícia, atingiu três carros e uma moto. O condutor da moto, Rubens Ribeiro, de 56 anos, morreu no local. A outra vítima, o pastor Armando de Souza Gonzaga, de 67 anos, estava na calçada, ao lado de seu carro, aguardando um amigo que sairia do hotel, quando viu o ônibus. Ele tentou correr para a recepção, mas foi atingido, arrastado e parou debaixo do veículo. O pastor chegou a ser socorrido, mas chegou sem vida ao PS Edson Mano. Ambos foram enterrados na quarta-feira (16).

Original em: http://eptv.globo.com

GD Star Rating
loading...

Motor de ônibus envolvido em acidente será reconstruído, afirma perito do IC

Perícia específica no sistema de freios começou por volta das 14h

Uma equipe do Instituto de Criminalistica (IC) de Americana realiza uma perícia específica no sistema de freios do ônibus que causou um grave acidente em Santa Bárbara D’Oeste. Os peritos começaram a análise por volta das 14h desta quinta-feira (17).

Segundo o perito chefe Edvaldo Messias Barros, a perícia não tem hora para terminar. “Vamos precisar reconstruir parte do motor para entender o que aconteceu”, afirma Barros. O resultado está previsto para sair em 30 dias.

Original em: http://eptv.globo.com

GD Star Rating
loading...