Arquivo

julho 2017
S T Q Q S S D
« abr    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

São Paulo: Governador de São Paulo anuncia em Rede Social que será publicada a nomeação 288 policiais técnico-científicos no IML aprovados em concurso.

O governador Geraldo Alckmin anunciou neste sábado (5) em sua página nas redes sociais:

Governador de São Paulo anuncia em Rede Social que será publicada a nomeação 288 policiais técnico-científicos no IML aprovados em concurso.

“Uma notícia boa e bastante esperada: vamos nomear 288 policiais técnico-científicos que prestaram concurso para cargos no Instituto de Criminalística e IML.”

“A nomeação será publicada no Diário Oficial, nesta terça-feira (8). Para o Instituto de Criminalística serão 112 peritos criminais e 30 fotógrafos periciais. O IML receberá mais 35 médicos legistas e 73 auxiliares de necropsia. Parabéns aos aprovados e muito sucesso na carreira escolhida”.

Por: Redação

Original em: http://news.portalbraganca.com.br

GD Star Rating
loading...

Concurso Médico Legista da PCDF: Universa divulga resultado definitivo da prova discursiva

A Universa, organizadora do concurso público para provimento de vagas e formação de cadastro de reserva no cargo de Perito Médico-Legista da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), divulgou no último domingo, 16 de novembro de 2015, o resultado definitivo da prova discursiva junto com a convocação para a próxima fase, composta de exames biométricos e avaliação médica e para a perícia, exclusiva aos candidatos com deficiência do concurso público que oferece 60 vagas, confira abaixo:

O resultado definitivo após a 2ª (segunda) fase contempla: as notas finais na prova objetiva, na prova discursiva (com o peso 4), somatório das notas nas provas objetiva e discursiva e ordem de classificação após a 2ª (segunda) fase.

Todos os candidatos mencionados no item 1 do edital nº 16, acima, estão convocados para realizar a próxima fase, composta de exames biométricos e avaliação médica, em conformidade com o subitem 15.10 do Edital n.º 1 – PCDF-PERITO MÉDICO-LEGISTA.

Todos os candidatos mencionados no subitem 1.1.1 do edital n° 16, acima, estão convocados para realizar a perícia, exclusiva aos candidatos com deficiência, em conformidade com o subitem 15.8 do Edital n.º 1 – PCDF-PERITO MÉDICO-LEGISTA.

O prazo de validade do concurso público será de 1 ano, contado a partir da data de publicação da homologação do resultado final, podendo ser prorrogado, uma única vez, por igual período.

Para mais informação acesse: POLÍCIA CIVIL DO DISTRITO FEDERAL

Original em: http://www.diariooficialdf.com.br

GD Star Rating
loading...

AL tem 14 assassinatos e 4 mortes no trânsito no final de semana

Dados da Perícia Oficial trazem balanço entre a sexta-feira e a manhã desta segunda; acidentes de trânsito na capital e interior 

A Perícia Oficial, órgão vinculado à Secretaria de Segurança Pública, divulgou, na tarde da última segunda-feira (9), que 14 pessoas foram assassinadas nesse fim de semana. O relatório que compreende as ocorrências registradas entre as 7h da sexta-feira e as primeiras horas desta segunda apontam, ainda, que quatro pessoas morreram em decorrência de acidentes de trânsito na capital e interior do estado.

Perícia Oficial, entre as 14 vítimas de assassinatos estão os quatro membros de uma mês família que foram vítimas de uma chacina no bairro de Guaxuma, em Maceió, no último domingo. Uma criança de apenas cinco anos de idade sobreviveu e está internada no Hospital Geral do Estado (HGE).

Ainda conforme o relatório, outras duas pessoas, o casal Jefferson da Silva Machado, de 21 anos, e Márcia Kelly dos Santos, de 21, foi morto no Loteamento Nicodemos, na Chã do Pilar, região metropolitana de Maceió. Uma criança também ficou ferida na ação, mas já recebeu alta médica. A Polícia Civil investiga o caso.

Mortes no trânsito

Já os acidentes que resultaram em mortes foram registradas nas cidades de São José da Laje, Maceió e Arapiraca. Na BR-104, em São José da Laje, morreram Antônio Hermes da Silva Júnior, de 30 anos, e Macksuel de Santana, de 20 anos.

Na capital, a vítima foi identificada como José Geraldo dos Santos, de 74 anos. Ele morreu na Avenida Siqueira Campos, no centro de Maceió.

O último caso, por sua vez, foi registrado no Jardim Tropical, em Arapiraca, e teve como vítima Manoel Gomes, de 51 anos.

E a Secretaria de Segurança Pública pede o apoio da população. Quem tiver informações sobre algum dos suspeitos dos homicídios deve entrar em contato com a polícia por meio do disque denúncia, no número 181. O anonimato do denunciante é garantido.

Por: Redação com Gazetaweb

 

GD Star Rating
loading...

Perícia policial de SP tem déficit de 40% no quadro de funcionários

Com defasagem, polícia científica não entregou 112 mil laudos em 2015.
Equipes cobrem áreas que podem ter até 100 km de uma ponta a outra.

A Polícia Técnico-Científica de São Paulo, responsável pelo trabalho de perícia nos crimes ocorridos no estado, tem uma defasagem de 40% em seu quadro total de funcionários, conforme levantamento realizado pelo G1 por meio das últimas informações atualizadas no Portal da Transparência do Governo.

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública (SSP) diz que “a complementação dos efetivos policiais é prioridade do governador Geraldo Alckmin”. A pasta afirmou que a falta de pessoal acontece, principalmente, por conta da Lei Complementar federal 144/14, que antecipou para 65 anos a aposentadoria compulsória das carreiras policiais. (confira a nota abaixo, na íntegra).

Segundo estatísticas do sistema de Gestão de Laudos, de janeiro a setembro de 2015, mais de 112 mil exames, entre clínicos, laboratoriais, criminalísticos e necroscópicos, não tiveram seus laudos expedidos pelos institutos Médico Legal ou de Criminalística. No último trimestre, os órgãos ainda emitiam 56 mil laudos de exames realizados no ano passado.

De acordo com a SSP, seis cargos estão submetidos à Superintendência da Polícia Técnico-Científica. São eles: auxiliar de necropsia, atendente de necrotério, desenhista, fotógrafo, médico-legista e perito. Em todos eles há pelo menos 30% menos funcionários do que o estabelecido como ideal pelo próprio governo do estado.

VEJA O ÍNDICE DE OCUPAÇÃO DOS CARGOS DA POLÍCIA TÉCNICO-CIENTÍFICA DE SP
Cargos Vagas Ativos Déficit
Atendente de Necrotério 523 319 39%
Auxiliar de Necropsia 489 265 46%
Desenhista Técnico-Pericial 253 177 30%
Fotógrafo Técnico-Pericial 844 566 33%
Médico-Legista 774 428 45%
Perito Criminal 1706 1019 40%

A falta de efetivo é apontada por servidores como um desafio para atender à demanda de um estado em que, só nos nove primeiros meses deste ano, mais de 2,8 mil pessoas foram assassinadas. Além dos casos relacionados a todos os tipos de crime, as equipes também se dividem para atuar em outras situações, como acidentes de trânsito e perícias de informática.

Um dos casos mais alarmantes é o da carreira de médico-legista. Com um dos salários mais altos dentro da instituição, o profissional é o responsável, dentre outras coisas, por realizar autópsias e exames periciais em vivos para apurar lesões corporais ou embriaguez, por exemplo. No cargo, a defasagem atinge 45%. Enquanto o número de médicos fixado por lei é de 774, apenas 428 estavam trabalhando em setembro.

Na carreira de perito, o déficit de funcionários é de 40%. Apenas 1019 das 1706 vagas estavam ocupadas, conforme aponta o último balanço do governo. Para o secretário-geral do Sindicato dos Peritos Criminais de São Paulo (Sinpcresp), Claudemir Rodrigues, a falta de efetivo está diretamente ligada ao atraso dos laudos. Segundo ele, a corregedoria ainda pune quem não consegue se “desdobrar” para entregar os documentos dentro do prazo.

“Com o atual efetivo, os peritos da capital e da região metropolitana precisariam trabalhar uma média de 56h semanais para atender à demanda. Na baixada santista, seriam 78h. A gente sabe que é inviável. O edital prevê 40h, a constituição prevê 40h. A consequência disto é o atraso dos laudos e, algo ainda mais nefasto, que é punir os peritos por isto”, contou Rodrigues.

Já no cargo de fotógrafo técnico-pericial – encarregado de registrar em fotos as ocorrências policiais em qualquer local de crime, com ou sem vítimas -, a situação não é muito diferente: a defasagem é de 33%.

Um destes profissionais, que preferiu não se identificar, relatou as dificuldades que o baixo número de colegas de profissão impõe: “Não há dúvidas de que temos sobrecarga de trabalho. Atender cerca de 15 locais de crime em um plantão de 12 horas não é nada fácil”.

“A área de cobertura das equipes periciais é incompatível com a demanda. No local que eu trabalho, por exemplo, entre os dois extremos da área, há pelo menos 100 km de distância. Se houver dois homicídios ao mesmo tempo, um em cada local, é evidente que a perícia vai demorar, no mínimo, duas horas”, acrescentou ele.

Para o fotógrafo, a falta de pessoal faz com que até os erros da perícia sejam compreensíveis e perdoáveis: “Com mais equipes, haveria melhor distribuição de tarefas e as ocorrências não esperariam tanto tempo pela chegada da perícia. Temos que periciar um local com a maior rapidez possível, já que outras ocorrências estão sempre chegando. Humanamente, é até compreensível se algum vestígio ou indício de autoria não for encontrado”.

Em setembro deste ano, no caso do pintor serial killer da favela Alba, coube a familiares de uma das vítimas achar vestígios e restos mortais na casa do suspeito. A perícia já havia averiguado e liberado a área sem encontrar as evidências. Depois, ao todo, seis corpos foram encontrados no local. Na ocasião, a delegada que investiga o crime defendeu os peritos, a quem classificou como “eficientíssimos”. “Foi feito o que se podia em um final de semana chuvoso e sem nenhuma informação”, disse ela.

Baixas em 2015

Os últimos fotógrafos nomeados foram selecionados após concurso público realizado em 2008. Desde então, nenhum outro profissional foi contratado e o número de profissionais ativos só despenca. Levantamento oficial do governo realizado em dezembro de 2014 e divulgado apenas em abril deste ano, apontou que existiam 599 fotógrafos na ativa. Nove meses depois, o número já caiu para 566.

Desde o início de 2015, a maior baixa, entretanto, também ocorre no quadro de médico-legistas. Mais de 100 médicos foram exonerados ou aposentados desde o começo do ano. Uma queda de aproximadamente 14% no número de especialistas.

A SSP até pretende reforçar o efetivo de médicos por meio de um concurso já em andamento, mas a nomeação não parece ser encarada como urgente: o edital é de 2013 e, até o momento, não houve nenhuma convocação. Além da questão do tempo, o concurso prevê a posse de apenas 140 legistas, enquanto o estado precisa de 436 profissionais.

No caso da carreira de perito, em que a defasagem aumentou em 4% no acumulado dos nove primeiros meses do ano, também há um concurso em andamento. Aberto há dois anos, também não tem previsão de colocar os aprovados na ativa.

De acordo com cronograma divulgado pelo governo, as admissões estão sob análise orçamentária. Por conta da longa espera, os aprovados para perito criaram até uma comissão para pleitear a posse com mais urgência. O grupo pretende realizar uma manifestação na Avenida Paulista, no próximo dia 7, para protestar contra a demora para a nomeação.

“O próprio sindicato dos peritos (Sinpcresp) vai apoiar a manifestação. Eles compraram faixas, bancaram o ato, para apoiar a gente. Para eles está muito complicado também. Estão fazendo umas escalas desumanas. Fizemos um levantamento com eles e alguns peritos estão trabalhando quase 80h por semana”, disse uma representante da comissão.

Governo regula férias e veda contratações

Em meio à falta de efetivo, o governador Geraldo Alckmin assinou um decreto, publicado na edição de 30 de setembro do Diário Oficial do Estado (DOE), que suspendeu a garantia de férias dos policiais civis do estado. A medida inclui também as carreiras ligadas à perícia.

A determinação revogou, por tempo indeterminado, o artigo 5º, de um decreto de 1986, que proibia a SSP de negar o período de férias aos policiais com a justificativa de absoluta necessidade de serviço. Agora, o governo pode indeferir pedidos de férias caso seja de seu interesse. A secretaria diz que a decisão “permite um melhor planejamento da chefia da polícia”.

Ainda em setembro, o governo paulista também proibiu a admissão e a contratação de pessoal para todas as autarquias e fundações instituídas ou mantidas pelo Estado, como a própria SSP. Segundo Alckmin, a proibição levou em conta o “cenário econômico nacional que exige medidas restritivas no âmbito da administração pública”.

O decreto assinado pelo governador ressaltou, entretanto, que excepcionalmente vai autorizar as contratações caso elas sejam devidamente justificadas pelos dirigentes dos órgãos e aprovadas pelas secretarias de Planejamento e Gestão e da Fazenda.

Outro lado
Veja a nota da secretaria na íntegra sobre o déficit de funcionários:

A complementação dos efetivos policiais é prioridade do governador Geraldo Alckmin, que autorizou em 2013 a realização de novos concursos com o total de vagas então existentes.

O efetivo legal fixado para médicos legistas na SPTC é de 773 cargos.

Em dezembro de 2013, o Governador autorizou a abertura de concurso para o preenchimento dos cargos vagos à época. O número de vagas autorizadas foi de 140.

Esse concurso já foi homologado pelo SSP, em outubro, e encaminhado às Secretarias do Planejamento e Fazenda para o cálculo orçamentário financeiro e, posterior, nomeação e posse.

Com a posse dos novos aprovados, o número de médicos legistas será de 635, ou seja, haverá necessidade de novo concurso para completar as 138 vagas restantes, ou seja, 18% do quadro total.

Em relação aos peritos criminais, o efetivo legal é de 1.706, havendo 1.059 peritos em atividade.

O concurso autorizado em 2013, para completar o efetivo então existente, foi homologado pelo SSP em setembro de 2015, para 447 vagas. Com a posse dos novos peritos, o quadro existente será de 1.506, e haverá necessidade de novo concurso para completar as 220 vagas restantes, ou seja, 12% do quadro total.

A necessidade de complementação de vagas ocorreu, principalmente, pela aprovação da Lei Complementar federal 144/14 que antecipou para 65 anos a aposentadoria compulsória dos membros da SPTC.

A SPTC informa que, entre de abril a setembro de 2015, houve queda de 33% no número de laudos em atraso.

Em relação ao decreto sobre indeferimento de férias, ele permite um melhor planejamento da chefia da Polícia.”

Por: Will Soares Do G1 São Paulo

Original em: http://g1.globo.com

GD Star Rating
loading...

Motorista da perícia é morto por engano na zona Norte de Teresina

Na madrugada desta segunda-feira (02), um motorista da perícia do Instituto de Criminalística identificado como Fernando Gomes Noronha, de 32 anos, foi morto a tiros na porta de uma casa de show no loteamento Mocambinho, na zona Norte de Teresina.

O caso já está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios. De acordo com informações de testemunhas, todo o crime não passou de um engano. Por volta das 02h da manhã Fernando estava na casa de show quando presenciou uma mulher quebrando um veículo que estava estacionado no local. Imediatamente a vítima tentou segurar a mulher e impedi-la de continuar com a destruição.

“Quando Fernando estava segurando a mulher o dono do veículo chegou e acabou achando que quem estivesse cometendo toda aquela destruição foi ele, o que acabou iniciando uma discussão entre os dois. Quando a briga ficou mais acalorada e intensa o acusado afirmou que ia buscar um revólver para matá-lo, mas ele não acreditou”, afirmou o delegado.

Passado alguns minutos, o suspeito voltou com uma arma. Assustado, Fernando ainda tentou fugir mas foi atingido na nuca pelos disparos, o projétil chegou a transfixar o corpo de Fernando que teve morte imediata.

Original em: http://www.meionorte.com

GD Star Rating
loading...

Pesquisa Forense

Investigação e Perícia Forense aplicadas à Informática

Órgãos de execução da lei, empresas de consultoria forense e departamentos de recursos humanos estão entre os clientes de serviços forenses da CBL Tech. A CBL Tech lhes oferece os serviços e a especialização necessários para coletar evidências a partir de sistemas de informática e a capacidade de análise forense de mídias de armazenamento à procura de dados apagados, escondidos e danificados acidental ou propositalmente.

As evidências conseguidas a partir de dispositivos de informática para armazenamento podem ser tão críticas para o desenrolar bem sucedido de um caso como qualquer outra evidência física. Com a crescente atividade criminal de “colarinho branco” dependendo da tecnologia da informática, a especialização forense da CBL Tech ajuda nossos clientes a coletar evidências que, caso contrário, poderiam ser negligenciadas, não descobertas ou contaminadas.

A prática de Perícia Forense aplicada à Informática da CBL Tech usa especialistas qualificados em assegurar que todos os dados digitais sejam tratados dentro dos princípios legais de segurança, continuidade e responsabilidade. A integridade dos procedimentos e processos da CBL Tech resiste aos desafios presentes em um tribunal.

Processo de Coleta de Dados Forenses e Evidências Digitais

A entrada da CBL Tech na perícia forense aplicada à informática requereu um sofisticado nível de entendimento dos requisitos atuais para a execução da lei e os processos judiciais. Com esta finalidade, a CBL Tech buscou a especialização de grandes conhecedores nestas áreas. O Detetive Superintendente Larry Edgar e o bacharel em direito Elliot Berlim foram úteis para garantir que as práticas forenses desenvolvidas pela CBL Tech atendam aos altos padrões exigidos pelas regras de procedimentos probatórios e legais das cortes. Ambos os especialistas continuam supervisionando os serviços forenses da CBL Tech, assegurando que as práticas e procedimentos da CBL Tech permaneçam atuais.

Um dos elementos fundamentais em todos os procedimentos de perícia forense aplicada à informática é o tempo. Os usuários podem sobrescrever acidentalmente ou inadvertidamente evidências simplesmente ao realizar suas tarefas diárias. A CBL Tech coleta e preserva de forma rápida e econômica os dados ou evidências que podem ter sido apagados ou tornados inacessíveis por métodos normais de informática. A CBL Tech pode determinar se certas informações existem e, nesse caso, onde elas podem estar localizadas.

Quando a mídia de armazenamento de dados é recebida nas instalações da CBL Tech, inicia-se um registro de auditoria preciso. A mídia é imediatamente registrada em um sistema de rastreamento e um documento de registro é produzido. Este documento de registro, adequado para todos os procedimentos legais, acompanha a mídia em todas as etapas. Qualquer funcionário da CBL Tech que manuseie a mídia assegura a continuidade da evidência ao adicionar seu nome, assinatura, data e uma descrição detalhada do que foi realizado.

Nesta fase do processo, a especialização da CBL Tech em dispositivos de armazenamento de mídia magnéticos começa a ter um papel crucial. Primeiro a mídia é reproduzida exatamente setor-a-setor, assegurando que a integridade da mídia e da evidência em questão seja preservada. A CBL Tech trabalha apenas com a cópia duplicada, garantindo que nenhuma contaminação dos dados originais ocorra. Neste exame preliminar, a CBL Tech fornece ao cliente um relatório que detalha as estruturas de arquivos, a integridade e a capacidade de recuperação dos arquivos apagados. Este relatório pode ser usado para determinar se os arquivos presentes auxiliarão na investigação. Neste momento, a CBL Tech fará recomendações sobre como proceder se for necessário recuperar informações adicionais. Este relatório permite a nossos clientes tomar uma decisão consciente sobre as várias opções que disponíveis em seu caso.

O objetivo de se obedecer a este rigoroso processo é proporcionar a nossos clientes forenses os seguintes resultados, que podem ser necessários em um tribunal.

Original em: http://www.cbltech.com.br

GD Star Rating
loading...

Polícia Civil já iniciou investigações sobre homicídio em hospital de Belém

O Sistema de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) acionou o gabinete de situação, por meio do Centro Integrado de Operações (Ciop), e informa que já foi iniciado o trabalho de levantamento de local de crime e a perícia pelo CPC Renato Chaves, das circunstâncias do homicídio de Jaime Tomas Nogueira, na noite desta segunda-feira (26). A Divisão de Homicídios, da Polícia Civil, também já iniciou as investigações para apurar o crime.

Jaime Nogueira, conhecido como “Pocotó”, estava internado em um hospital particular, localizado na Rua Domingos Marreiros, sob custódia de um agente prisional e dois policiais militares. Ele foi preso em flagrante no último domingo, 25, após uma tentativa de assalto que resultou na morte do policial militar Vitor Cezar de Almeida Pedroso.

De acordo com informações preliminares já repassadas por testemunhas, oito elementos renderam a escolta e efetivaram o homicídio, por volta das 21 horas. As equipes da Polícia Civil já estão recebendo as imagens para proceder às investigações e identificar os suspeitos. Guarnições da Polícia Militar estão nas ruas em diversos bairros realizando rondas preventivas para garantir a segurança na capital. A Corregedoria da Polícia Militar também acompanha as investigações.

Da Redação
Agência Pará de Notícias

Original em: http://www.agenciapara.com.br

GD Star Rating
loading...

Laboratório de Universidade desiste de convênio e Perícia Oficial fecha nova parceria

Exame é de extrema importância para a conclusão de laudos e indispensável para os peritos

A direção da Perícia Oficial esclareceu, na segunda-feira, 19, que foi o Laboratório de DNA Forense da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) quem rompeu o convênio que mantinha com a Perícia, e não o contrário. Segundo o comando da Perícia, o convênio vigorou de 2010 a 2012 e visava a identificação de pessoas desaparecidas, alimentando o banco de dados existente no laboratório da Universidade.

A partir de 2012 até 2014, passou a valer um contrato, assinado em 3 de novembro de 2012, com validade de um ano, renovado em 2013 mas, com a aproximação do término da vigência, teve o pedido de renovação feito pela Perícia negado pelo coordenador do laboratório.

Por meio de ofício pelo enviado à Perícia Oficial em novembro de 2014, o coordenador do Programa de Identificação Humana e Diagnóstico Molecular da Ufal, professor Luiz Antônio, diz: “Informo que o Laboratório de DNA Forense da Universidade Federal de Alagoas, devido à grande demanda de estudos de paternidade, não tem interesse em renovar o convênio firmado com a Secretária de Defesa Social para a realização de estudos do DNA em casos criminais e identificação humana”.

A decisão obrigou a Perícia Oficial a procurar novas alternativas para garantir a realização dos exames de DNA forense.

O referido contrato tinha como propósito a realização de exames laboratoriais para identificação humana, por meio de análise e estudos comparativos de DNA de corpos não identificados, de vestígios coletados em locais de crime e de vestígios de crimes sexuais, perfazendo o valor total R$ 438.100,00.

“O mesmo convênio ainda previu e concretizou o treinamento específico de 33 peritos médicos-legistas, cinco peritos odontolegistas, 37 peritos criminais e 12 técnicos forenses para a padronização de procedimento de coleta, acondicionamento e encaminhamento de amostras biológicas para os referidos exames, os quais foram realizados pelo próprio professor Luiz Antônio. Nesse sentido, nunca houve resistência da Secretaria da Segurança Pública, nem da Perícia Oficial para firmar convênio com o Laboratório de DNA Forense da Ufal, o que houve foi uma negativa de demanda do coordenador do programa”, afirma o perito geral da Poal, Manoel Melo.

Tendo em vista a necessidade desses exames para a Perícia Oficial, dentro do contexto da segurança pública, várias tentativas de renovação do contrato foram realizadas, porém, as condições impostas pelo professor Luiz Antônio, como a aquisição pela Perícia Oficial de um sequenciador de DNA no valor de R$ 600.000,00 tornou o pleito inviável.

Diante dos entraves e tendo ciência de que este laboratório não é o único deste tipo na Ufal, a Perícia Oficial entrou em contato com outro laboratório da mesma instituição, o Laboratório de Genética Molecular, Genômica e Proteônica (Gempro) que vem realizando exames de confronto genético forense em parceria com Instituto de Criminalística, uma vez que este ainda não possui laboratório de Genética Forense.

A perita criminal Rosana Coutinho, chefe de perícias de laboratórios do IC, especialista em DNA Forense e doutoranda em biotecnologia em saúde, cujo projeto de tese é na área de genética forense, vem ao longo destes últimos meses realizando exames de DNA no Gempro. Os frutos desta experiência, credenciaram o laboratório, coordenado pelo geneticista molecular professor  Eduardo Ramalho, Ph.D/PD, para firmar convênio com a Perícia, processo este que já foi aberto e referendado pelo reitor da Ufal e pelo secretário da Segurança Pública Alfredo Gaspar de Mendonça Neto que desde o início da gestão tem como meta solucionar esta demanda.

Além disso, existe uma determinação do Governo Federal, por meio da Lei nº 12.654, de 28 de maio de 2012, que todas as unidades de Perícia do País tenham seus próprios laboratórios de genética forense para a coleta de perfil genético como forma de identificação criminal, cujos resultados farão parte do Banco de Dados Nacional, gerenciado pela Polícia Federal e vinculado ao Codis – Combined DNA Index System (Sistema de Índices Combinados de DNA) vinculado ao FBI – Federal Bureau of Investigation (Agência Federal de Investigação), motivo este que levou a direção da Perícia Oficial a pleitear junto ao Ministério da Justiça a aquisição de equipamentos para montagem de um laboratório próprio de DNA no Instituto de Criminalística, negociação esta que também já está bem avançada.

Original em: http://www.alagoas24horas.com.br

GD Star Rating
loading...

SSP/SE garante bom funcionamento no setor de perícia

Assessoria diz que novos equipamentos foram adquiridos

A assessoria de Comunicação da Secretaria de Segurança Pública informou na tarde de sexta-feira, 23, que o prédio do Instituto Médico Legal (IML/SE), passou recentemente por mudanças significativas visando o melhor atendimento ao público. “Salas foram climatizadas, novos equipamentos, tanto na parte de mobiliário quanto de informática, foram adquiridos; além da aquisição de novos instrumentos para a coleta de materiais para a realização de exames, tudo isso com o intuito de obter maior celeridade na conclusão dos laudos”, destaca.

E sobre a falta de insumos para a atividade laborativa, como luvas, máscaras e serras, a assessoria informou que os materiais estão sendo repassados semanalmente para as unidades, e que a quantidade disponibilizada tem suprido a demanda dos servidores. Sobre as reclamações feitas por peritos durante audiência pública realizada nesta quinta-feira, 22, pela Comissão de Segurança da Assembleia Legislativa de Sergipe, a assessoria de Comunicação esclareceu que “no que diz respeito ao quadro de profissionais que atuam no IML, logo no início deste ano, a Secretaria de Segurança Pública, preocupada em tentar suprir a demanda da Unidade no que concerne à perícia de cadáveres, exames de corpo de delito em pessoas vivas, além da coleta de material para subsidiar os laudos confeccionados pelos médicos legistas, deu posse a novos servidores aprovados no último concurso, conforme previsto no edital do certame”.

“Vale ressaltar que o Governo do Estado, visando modernizar toda a estrutura das unidades que compõem a Coordenadoria Geral de Perícias (Cogerp), e isso inclui o Instituto Médico Legal, Instituto de Criminalística, Instituto de Identificação e Análise Criminal e Pesquisa Forense, está investindo R$ 31.757.734,01 em projetos já executados, em processo de execução e para serem postos em execução ainda este ano. Inclusive, sobre o processo de modernização, recentemente foi adquirido um moderno aparelho de Raio X que está sendo instalado nas dependências do IML. Além disso, atualmente, o instituto está trabalhando com dois aparelhos portáteis”, enfatiza.

E acrescenta que “quanto ao IAPF, já está sendo erguido dentro do SergipeTec, vizinho à Universidade Federal de Sergipe (UFS), o novo prédio onde irá funcionar. Toda a estrutura contará com equipamentos de informática, mobília, produtos utilizados nos laboratórios, veículos, reagentes, equipamentos para a Criminalística e para a montagem de sete laboratórios (DNA e Toxicologia, Perícia Forense, Química Legal, Entomologia, Informática, Fonética e Biologia), tudo isso visando colocar a perícia de Sergipe em igualdade com as melhores perícias do Brasil”.

Por: Aldaci de Souza

Original em: http://www.infonet.com.br

GD Star Rating
loading...

Obra do Nexus será questionada mesmo sem perícia do Instituto de Criminalística

Ação deverá ser aberta nos próximos dias no MPGO. Pedido de análise de vistos contidos em Estudo de Impacto de Trânsito (EIV) está na fila, atrás de outros 500 processos

Está na fila do Instituto de Criminalística (IC) da Polícia Técnico Científica de Goiás o pedido de perícia para verificar a veracidade das assinaturas da pesquisa de opinião do Estudo de Impacto de Vizinhança (EIV) do megaempreendimento Nexus Shopping & Business, na Avenida D com a Avenida 85, ao lado do viaduto Latif Sebba.

Conforme apurou o Jornal Opção, cerca de 500 solicitações da Justiça ou de delegacias do estado estão na frente do protocolado pelo vereador Elias Vaz (PSB). Ele preside a CEI das Pastinhas, da Câmara Municipal de Goiânia, que investiga irregularidades na emissão de alvarás de construção na capital.

O laudo final da IC é aguardado para embasar questionamento no Poder Judiciário ou Ministério Público de Goiás (MPGO) — neste último caso, se aceito, pode ser oficializada a ação civil pública ou cassação do alvará direta.

Porém, o vereador pretende, nos próximos dias, protocolar ação popular sem a análise do IC pedindo a nulidade do processo administrativo que concedeu o alvará para o início das obras. Contudo, a peça corre o risco de ficar sem consistência. Por isso a importância do laudo do instituto.

Foram anexados ao protocolo cópias da pesquisa de opinião com as respectivas assinaturas dos entrevistados, que se assemelham em muitos casos. A reportagem do Jornal Opção também foi anexada. Questiona-se, ainda, a quantidade de rubricas sem identificação. A pesquisa faz parte do EIV, necessário para obter o alvará de Uso de Solo para início das construções. Por isso, avalia-se que o ato administrativo que liberou o alvará foi praticado com crime.

O Jornal Opção entrou em contato com a gerente do IC, Valquíria Soares de Freitas, mas ela não atendeu as ligações.

A 7ª Promotoria de Justiça de Goiânia do Meio Am­bi­ente, Patrimônio Cultural e Urba­nismo já está apurando as irregularidades. A promotora Alice de Almeira Freire deu início ao Procedimento Preparatório nº 035/2015, resultado de uma denúncia feita pelo Sindicato dos Ar­qui­tetos e Urbanistas do Estado de Goiás (Sarq-GO), para analisar toda a documentação do Nexus, a­pro­vada pela Secretaria de Pla­ne­ja­mento Urbano e Habitação (Seplanh).

Inicialmente, o foco das apurações da CEI das Pastinhas era de 2007 a 2010, quando Iris Rezende (PMDB) era prefeito. Porém, novas denúncias, como a do gigante do Setor Marista, foram apresentadas. Especialmente após reportagem publicada na Edição 2100 mostrar que possível fraude na pesquisa de opinião pode colocar em xeque a construção do megaempreendimento. A empresa Construtora Milão fez o levantamento.

Original em: http://www.jornalopcao.com.br

 

GD Star Rating
loading...