Arquivo

novembro 2017
S T Q Q S S D
« set    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

Perícia policial de SP tem déficit de 40% no quadro de funcionários

Com defasagem, polícia científica não entregou 112 mil laudos em 2015.
Equipes cobrem áreas que podem ter até 100 km de uma ponta a outra.

A Polícia Técnico-Científica de São Paulo, responsável pelo trabalho de perícia nos crimes ocorridos no estado, tem uma defasagem de 40% em seu quadro total de funcionários, conforme levantamento realizado pelo G1 por meio das últimas informações atualizadas no Portal da Transparência do Governo.

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública (SSP) diz que “a complementação dos efetivos policiais é prioridade do governador Geraldo Alckmin”. A pasta afirmou que a falta de pessoal acontece, principalmente, por conta da Lei Complementar federal 144/14, que antecipou para 65 anos a aposentadoria compulsória das carreiras policiais. (confira a nota abaixo, na íntegra).

Segundo estatísticas do sistema de Gestão de Laudos, de janeiro a setembro de 2015, mais de 112 mil exames, entre clínicos, laboratoriais, criminalísticos e necroscópicos, não tiveram seus laudos expedidos pelos institutos Médico Legal ou de Criminalística. No último trimestre, os órgãos ainda emitiam 56 mil laudos de exames realizados no ano passado.

De acordo com a SSP, seis cargos estão submetidos à Superintendência da Polícia Técnico-Científica. São eles: auxiliar de necropsia, atendente de necrotério, desenhista, fotógrafo, médico-legista e perito. Em todos eles há pelo menos 30% menos funcionários do que o estabelecido como ideal pelo próprio governo do estado.

VEJA O ÍNDICE DE OCUPAÇÃO DOS CARGOS DA POLÍCIA TÉCNICO-CIENTÍFICA DE SP
Cargos Vagas Ativos Déficit
Atendente de Necrotério 523 319 39%
Auxiliar de Necropsia 489 265 46%
Desenhista Técnico-Pericial 253 177 30%
Fotógrafo Técnico-Pericial 844 566 33%
Médico-Legista 774 428 45%
Perito Criminal 1706 1019 40%

A falta de efetivo é apontada por servidores como um desafio para atender à demanda de um estado em que, só nos nove primeiros meses deste ano, mais de 2,8 mil pessoas foram assassinadas. Além dos casos relacionados a todos os tipos de crime, as equipes também se dividem para atuar em outras situações, como acidentes de trânsito e perícias de informática.

Um dos casos mais alarmantes é o da carreira de médico-legista. Com um dos salários mais altos dentro da instituição, o profissional é o responsável, dentre outras coisas, por realizar autópsias e exames periciais em vivos para apurar lesões corporais ou embriaguez, por exemplo. No cargo, a defasagem atinge 45%. Enquanto o número de médicos fixado por lei é de 774, apenas 428 estavam trabalhando em setembro.

Na carreira de perito, o déficit de funcionários é de 40%. Apenas 1019 das 1706 vagas estavam ocupadas, conforme aponta o último balanço do governo. Para o secretário-geral do Sindicato dos Peritos Criminais de São Paulo (Sinpcresp), Claudemir Rodrigues, a falta de efetivo está diretamente ligada ao atraso dos laudos. Segundo ele, a corregedoria ainda pune quem não consegue se “desdobrar” para entregar os documentos dentro do prazo.

“Com o atual efetivo, os peritos da capital e da região metropolitana precisariam trabalhar uma média de 56h semanais para atender à demanda. Na baixada santista, seriam 78h. A gente sabe que é inviável. O edital prevê 40h, a constituição prevê 40h. A consequência disto é o atraso dos laudos e, algo ainda mais nefasto, que é punir os peritos por isto”, contou Rodrigues.

Já no cargo de fotógrafo técnico-pericial – encarregado de registrar em fotos as ocorrências policiais em qualquer local de crime, com ou sem vítimas -, a situação não é muito diferente: a defasagem é de 33%.

Um destes profissionais, que preferiu não se identificar, relatou as dificuldades que o baixo número de colegas de profissão impõe: “Não há dúvidas de que temos sobrecarga de trabalho. Atender cerca de 15 locais de crime em um plantão de 12 horas não é nada fácil”.

“A área de cobertura das equipes periciais é incompatível com a demanda. No local que eu trabalho, por exemplo, entre os dois extremos da área, há pelo menos 100 km de distância. Se houver dois homicídios ao mesmo tempo, um em cada local, é evidente que a perícia vai demorar, no mínimo, duas horas”, acrescentou ele.

Para o fotógrafo, a falta de pessoal faz com que até os erros da perícia sejam compreensíveis e perdoáveis: “Com mais equipes, haveria melhor distribuição de tarefas e as ocorrências não esperariam tanto tempo pela chegada da perícia. Temos que periciar um local com a maior rapidez possível, já que outras ocorrências estão sempre chegando. Humanamente, é até compreensível se algum vestígio ou indício de autoria não for encontrado”.

Em setembro deste ano, no caso do pintor serial killer da favela Alba, coube a familiares de uma das vítimas achar vestígios e restos mortais na casa do suspeito. A perícia já havia averiguado e liberado a área sem encontrar as evidências. Depois, ao todo, seis corpos foram encontrados no local. Na ocasião, a delegada que investiga o crime defendeu os peritos, a quem classificou como “eficientíssimos”. “Foi feito o que se podia em um final de semana chuvoso e sem nenhuma informação”, disse ela.

Baixas em 2015

Os últimos fotógrafos nomeados foram selecionados após concurso público realizado em 2008. Desde então, nenhum outro profissional foi contratado e o número de profissionais ativos só despenca. Levantamento oficial do governo realizado em dezembro de 2014 e divulgado apenas em abril deste ano, apontou que existiam 599 fotógrafos na ativa. Nove meses depois, o número já caiu para 566.

Desde o início de 2015, a maior baixa, entretanto, também ocorre no quadro de médico-legistas. Mais de 100 médicos foram exonerados ou aposentados desde o começo do ano. Uma queda de aproximadamente 14% no número de especialistas.

A SSP até pretende reforçar o efetivo de médicos por meio de um concurso já em andamento, mas a nomeação não parece ser encarada como urgente: o edital é de 2013 e, até o momento, não houve nenhuma convocação. Além da questão do tempo, o concurso prevê a posse de apenas 140 legistas, enquanto o estado precisa de 436 profissionais.

No caso da carreira de perito, em que a defasagem aumentou em 4% no acumulado dos nove primeiros meses do ano, também há um concurso em andamento. Aberto há dois anos, também não tem previsão de colocar os aprovados na ativa.

De acordo com cronograma divulgado pelo governo, as admissões estão sob análise orçamentária. Por conta da longa espera, os aprovados para perito criaram até uma comissão para pleitear a posse com mais urgência. O grupo pretende realizar uma manifestação na Avenida Paulista, no próximo dia 7, para protestar contra a demora para a nomeação.

“O próprio sindicato dos peritos (Sinpcresp) vai apoiar a manifestação. Eles compraram faixas, bancaram o ato, para apoiar a gente. Para eles está muito complicado também. Estão fazendo umas escalas desumanas. Fizemos um levantamento com eles e alguns peritos estão trabalhando quase 80h por semana”, disse uma representante da comissão.

Governo regula férias e veda contratações

Em meio à falta de efetivo, o governador Geraldo Alckmin assinou um decreto, publicado na edição de 30 de setembro do Diário Oficial do Estado (DOE), que suspendeu a garantia de férias dos policiais civis do estado. A medida inclui também as carreiras ligadas à perícia.

A determinação revogou, por tempo indeterminado, o artigo 5º, de um decreto de 1986, que proibia a SSP de negar o período de férias aos policiais com a justificativa de absoluta necessidade de serviço. Agora, o governo pode indeferir pedidos de férias caso seja de seu interesse. A secretaria diz que a decisão “permite um melhor planejamento da chefia da polícia”.

Ainda em setembro, o governo paulista também proibiu a admissão e a contratação de pessoal para todas as autarquias e fundações instituídas ou mantidas pelo Estado, como a própria SSP. Segundo Alckmin, a proibição levou em conta o “cenário econômico nacional que exige medidas restritivas no âmbito da administração pública”.

O decreto assinado pelo governador ressaltou, entretanto, que excepcionalmente vai autorizar as contratações caso elas sejam devidamente justificadas pelos dirigentes dos órgãos e aprovadas pelas secretarias de Planejamento e Gestão e da Fazenda.

Outro lado
Veja a nota da secretaria na íntegra sobre o déficit de funcionários:

A complementação dos efetivos policiais é prioridade do governador Geraldo Alckmin, que autorizou em 2013 a realização de novos concursos com o total de vagas então existentes.

O efetivo legal fixado para médicos legistas na SPTC é de 773 cargos.

Em dezembro de 2013, o Governador autorizou a abertura de concurso para o preenchimento dos cargos vagos à época. O número de vagas autorizadas foi de 140.

Esse concurso já foi homologado pelo SSP, em outubro, e encaminhado às Secretarias do Planejamento e Fazenda para o cálculo orçamentário financeiro e, posterior, nomeação e posse.

Com a posse dos novos aprovados, o número de médicos legistas será de 635, ou seja, haverá necessidade de novo concurso para completar as 138 vagas restantes, ou seja, 18% do quadro total.

Em relação aos peritos criminais, o efetivo legal é de 1.706, havendo 1.059 peritos em atividade.

O concurso autorizado em 2013, para completar o efetivo então existente, foi homologado pelo SSP em setembro de 2015, para 447 vagas. Com a posse dos novos peritos, o quadro existente será de 1.506, e haverá necessidade de novo concurso para completar as 220 vagas restantes, ou seja, 12% do quadro total.

A necessidade de complementação de vagas ocorreu, principalmente, pela aprovação da Lei Complementar federal 144/14 que antecipou para 65 anos a aposentadoria compulsória dos membros da SPTC.

A SPTC informa que, entre de abril a setembro de 2015, houve queda de 33% no número de laudos em atraso.

Em relação ao decreto sobre indeferimento de férias, ele permite um melhor planejamento da chefia da Polícia.”

Por: Will Soares Do G1 São Paulo

Original em: http://g1.globo.com

GD Star Rating
loading...

Polícia Civil de São Paulo prepara concurso para 3.176 vagas em 2015

A Polícia Civil do Estado de São Paulo já começa a se programar para uma série de concursos públicos no decorrer de 2015. A corporação encaminhou, recentemente, uma solicitação para a Secretaria Estadual de Gestão Pública (SGP/SP), com projeção para o preenchimento de 3.176 vagas no próximo ano. Porém, para que possam ser confirmados, os pedidos ainda dependem da verificação orçamentária, para que, posteriormente, sejam autorizados pelo governador Geraldo Alckmin.

Cargos
Do total de 3.176 vagas solicitadas, 439 são para cargos com exigência de ensino fundamental, 412 para nível médio e 2.325 para carreiras com exigência de ensino superior. As remunerações iniciais variam de R$ 3.336,86 a R$ 8.510,24 para jornadas de trabalho de 40 horas semanais.

As oportunidades com necessidade de nível fundamental são para as carreiras de agente policial (249 vagas), auxiliar de papiloscopista (30), atendente de necrotério (54) e auxiliar de papiloscopista policial (106). Para estes cargos, a remuneração inicial é de R$ 3.336,86, incluindo o adicional de insalubridade de R$ 543,26.

Para ensino médio, as vagas são para papiloscopista policial (72), agente de telecomunicações policial (252), auxiliar de necropsia (36), desenhista técnico pericial (11) e fotógrafo técnico pericial (41). Para estas funções, os iniciais são de R$ 3.995,04, já com o adicional.

Por fim, para nível superior, as oportunidades são para escrivão de polícia (922), investigador de polícia (985), médico legista (68), perito criminal (129) e delegado de polícia (221). Os iniciais são de R$ 4.018,16 para investigador e escrivão, de R$ 8.510,24 para legista e perito e de R$ 8.795,85 para delegado.

É preciso ressaltar que, do total de vagas solicitadas, ainda existem oito concursos em andamento, em fases finais. Desta forma, a confirmação de vagas para os próximos depende do término destes, que são para os cargos de atendente, auxiliar de necropsia, delegado, desenhista, escrivão, fotógrafo, investigador e legista.

Original em: http://www.atribuna.com.br

GD Star Rating
loading...

Perícia de São Paulo deve quase 2 milhões de laudos

Em nove anos, 32 mil pessoas foram enterradas sem que se saiba a causa das mortes

Em nove anos, 32 mil pessoas foram enterradas sem que se saiba a causa das mortes

Quase 32 mil pessoas foram sepultadas sem emissão de laudo Jb Neto/Estadão Conteúdo/05.01.2013

Dados da SSP (Secretaria de Segurança Pública) de São Paulo apontam que peritos e médicos legistas devem quase 2 milhões de laudos ao Estado. Esses números são o resultado da diferença entre os exames realizados e os laudos emitidos pelo Instituto de Criminalística e o Instituto Médico Legal, ambos subordinados à Superintendência da Polícia Técnico Científica do Estado.

As estatísticas desses institutos são publicadas no site SSP desde 1995 e os dados são fornecidos pela própria superintendência da Polícia Técnico Científica.

Segundo consta, entre janeiro de 2005 e o primeiro trimestre de 2014, o IML realizou 286.385 exames necroscópicos, mas só entregou 254.668, apontando que quase 32 mil pessoas foram sepultadas sem emissão de laudo e, portanto, sem que se saiba o verdadeiro motivo das suas mortes. Esse número representa o equivalente a um ano inteiro de exames necroscópicos ou autópsias realizados pelo IML, que em média examina 30 mil corpos ao ano.

Leia mais notícias de São Paulo

Porém 70% das atividades do IML são voltadas a exames em pessoas vivas. O instituto realiza exames de tanatologia forense, toxicologia, patologia, exames de lesão corporal, entre outros. Os números impressionam. Entre 2005 e março de 2014, foram 4.168.439 exames realizados. E os laudos emitidos também foram em número inferior: 3.950.679. Isso significa que mais de 217 mil laudos deixaram de ser emitidos.

Os números mais alarmantes correspondem ao Instituto de Criminalística, encarregado de realizar as perícias técnicas em local de crime, de acidente, incêndios, gravações de vídeo e áudio, autenticidade de documentos, entre outros. No período analisado, o IC foi responsável por executar 5.746.514 perícias, das quais 4.090.689 tiveram seus laudos expedidos. O IC ficou devendo mais de 1,655 milhão de laudos.

A soma dos laudos não emitidos pelo IC e o IML entre 2005 e março de 2014 totaliza 1.905.332 laudos.

Mulher desfigurada: fotos omitidas por peritos indicam que pele de Geralda foi comida por animais, diz polícia

Polícia Científica contesta seus próprios números

A superintendente da Polícia Técnico Científica, Norma Bonaccorso, afirma que esses números estão errados, apesar dela própria ser responsável pelos dados enviados para publicação. Ela afirma que os laudos devidos seriam pouco mais de 650 mil.

Norma aponta como causa do problema o baixo número de peritos e legistas contratados pelo Estado. A não realização de concursos públicos para suprir a demanda sobrecarrega o trabalho dos profissionais. Mas ela também admite que existem peritos que não cumprem com seu trabalho.

— Tenho um perito que não entrega um laudo faz 400 dias.

Radiografia da Polícia Técnico Científica

Segundo Norma, em 2014 foram contratados 200 médicos legistas e 447 peritos. Hoje, o Estado conta com 776 legistas e 1.706 peritos, além de abrir vagas para 110 atendentes de necrotério, 155 auxiliares de necropsia, 120 fotógrafos, 55 desenhistas, 600 oficiais administrativos e 84 técnicos de laboratório. Das 1.853 vagas abertas, 1.611 já foram preenchidas. O corpo técnico passou de 3.431 para 5.284 funcionários em 2014.

O orçamento também recebeu reforços nos últimos anos. Em 2010, o IML recebia R$ 120 milhões. Em 2014, esse valor passou para R$ 209 milhões. Já o Instituto de Criminalística passou de R$ 197, em 2010, para R$ 310 milhões em 2014. Aumento de mais de 57% e 63%, respectivamente. Também a Superintendência teve as contas melhoradas de R$ 31 milhões em 2011 para R$ 77 milhões em 2014, mais do dobro.

Laudos comprometem inquéritos e processos judiciais

Arles Gonçalves Júnior, presidente da Comissão de Segurança Pública da Ordem dos Advogados de São Paulo afirma que “para todo exame realizado é obrigatória a emissão de um laudo, a lei assim o determina”. Porém, muitos laudos solicitados são inúteis e sobrecarregam os peritos. Menciona como exemplo as perícias de “fotografação” realizadas em máquinas caça-níqueis. Segundo ele, o auto de exibição e apreensão cumpre a mesma função do laudo, tornando-o desnecessário. Mas isso deve-se à legislação vigente que precisa ser atualizada.

— Se o delegado não pedir o laudo, mesmo sendo inútil, ele pode ir à corregedoria.

Mas o que chama a atenção dele é o alto número de laudos não emitidos, que sem dúvida atrasam ou até comprometem o andamento de inquéritos e processos judiciais, podendo inclusive comprometer o resultado de uma sentença.

— Na falta de um laudo, o juiz pode optar por não condenar um sujeito que é culpado, por exemplo.

Mesmo concordando com a necessidade de aumentar os quadros da Polícia Técnico Científica, ele se surpreende com os números e afirma que a Comissão que preside na OAB questionará a Secretaria de Segurança Pública pelo que ele considera “números de guerra”.

Original em: http://noticias.r7.com/

GD Star Rating
loading...

Santos recebe quatro peritos criminais aprovados em concurso

Santos receberá quatro peritos criminais para atuar em unidades do Instituto de Criminalística (IC) da Polícia Técnico-Científica. A contratação faz parte do programa São Paulo Contra o Crime, lançado em maio do ano passado pelo governador Geraldo Alckmin.

No total, serão destinados ao Estado mais de 76 peritos. Desse total, 12 vão ser encaminhados à Capital e mais 12 para a Região Metropolitana de São Paulo. Os outros 52 atuarão em núcleos de perícias criminalísticas de 11 regiões do interior: Araçatuba (6), Araraquara (3), Bauru (4), Campinas (10), Marília (4), Presidente Prudente (6), Ribeirão Preto (2), São José dos Campos (6), São José do Rio Preto (4), Santos (4) e Sorocaba (3).

Os 76 peritos criminais, aprovados em concurso público, passaram por três meses de curso de formação na Academia de Polícia Civil Dr. Coriolano Nogueira Cobra (Acadepol).

O perito criminal realiza levantamentos em locais de crime, pesquisas e variados tipos de exames. Os laudos produzidos pelo profissional fornecem elementos e provas técnicas e científicas a inquéritos policiais, ajudando no esclarecimento de crimes.

Original em: http://www.atribuna.com.br

GD Star Rating
loading...

Polícias Científica e Civil Recebem Reforço de 218 Novos Policiais em SP

Dos 84 perímetros contratos, 52 serão destinados para o interior do estado

As polícias Técnico-Científica e Civil do Estado de São Paulo receberam um reforço de 218 novos policiais. No dia 11/02, foi realizada a cerimônia de formatura de 84 peritos criminais, que iniciam as atividades em núcleos do Instituto de Criminalística (IC) da capital, Grande São Paulo e de 11 regiões do interior, além da posse de 134 papiloscopistas que começam o curso de formação.
A cerimônia foi realizada no Palácio dos Bandeirantes e teve a presença do governador Geraldo Alckmin e do secretário da Segurança Pública, Fernando Grella Vieira, que entregaram funcionais e distintivos aos primeiros colocados da turma de papiloscopistas, além de certificados aos peritos melhor classificados.
Os concursos que selecionaram os empossados e formandos receberam a inscrição de 77.628 candidatos à carreira de papiloscopista e de 17.519 concorrentes ao cargo de perito criminal. Além desses processos, o Governo do Estado prevê contratações recordes para as polícias Civil e Técnico-Científica.
Segundo o Governo, serão mais 2.805 cargos na Civil e 1.853 na Científica, frutos do programa “SP Contra o Crime”, um conjunto de ações estratégicas, anunciado em maio do ano passado pelo governador, que visa diminuir os crimes e valorizar as polícias. O investimento anual com as contratações será de R$ 305 milhões.
Para preencher essas vagas, já estão em andamento 11 concursos para selecionar 1.384 investigadores, 788 escrivães, 129 delegados, 447 peritos criminais, 140 médicos legistas, 84 técnicos de laboratório, 120 fotógrafos técnico-periciais, 55 desenhistas técnico-periciais, 89 atendentes de necrotério, 145 auxiliares de necropsia e 600 oficiais administrativos.

Original em: http://www.oregional.com.br

GD Star Rating
loading...

Governador nomeia mais 165 papiloscopistas policiais

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, nomeou 165 aprovados em concurso público para o cargo de papiloscopista policial de 3ª classe da Polícia Civil. A nomeação foi publicada nesta terça-feira (28) no Diário Oficial do Estado (DOE).

A próxima etapa será a posse dos nomeados, que deve acontecer em aproximadamente 15 dias. Em seguida, os futuros papiloscopistas policiais iniciarão o curso de formação na Academia de Polícia Civil Dr. Coriolano Nogueira Cobra.

Após a formação, os alunos passarão por um período de estágio probatório. Os novos policiais serão designados para unidades da Polícia Civil de acordo com a classificação final do curso na Academia e da necessidade de cada região.

SP contra o crime

As polícias Civil e Técnico-Científica estão selecionando candidatos para 3.381 vagas em diversos cargos, na maior contratação já feita na história das duas instituições.

Na Polícia Civil, são 1.384 investigadores, 788 escrivães e 129 delegados. Outros sete concursos abertos ainda vão selecionar médicos legistas (140), técnicos de laboratório (84), fotógrafos técnico-periciais (120), desenhistas técnico-periciais (55), atendentes de necrotério (89) e auxiliares de necropsia (145).

Ainda neste mês, foram nomeados mais 156 aprovados em concurso público para o cargo de agente de telecomunicações policial de 3ª classe e 390 agentes policiais.

As contratações fazem parte do “São Paulo Contra o Crime”, um conjunto de ações estratégicas, anunciado em maio do ano passado pelo governador Geraldo Alckmin, que visa diminuir os crimes e valorizar as polícias.

O investimento anual do Governo do Estado com as contratações será de R$ 305 milhões.

Por: Assessoria de Imprensa e Comunicação da Secretaria da Segurança Pública

Original em: http://www.jornaldiadia.com.br/

GD Star Rating
loading...

Incêndio atinge prédio do Instituto de Criminalística em Taubaté

Nenhuma prova relacionada a crimes foi atingida pelo fogo.
Perícia será feita no local para descobrir as causas do incêndio.

Fogo no Instituto de Criminalística atingiu alojamento, depósito e arquivo. (Foto: Reprodução/ TV Vanguarda)

Um incêndio atingiu o prédio do Instituto de Criminalística na região central de Taubaté na manhã desta segunda-feira (27). O fogo atingiu as áreas de alojamento, depósito e arquivo, mas, segundo o Instituto de Criminalística, nenhuma prova relacionada com crimes em andamento foram danificadas. Ninguém ficou ferido.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o incêndio começou pouco antes das 7h e foi controlado rapidamente. Quando os bombeiros chegaram ao local encontraram dois pequenos focos de fogo, que foram contidos. Uma perícia deve ser feita no prédio para verificar as causas do fogo e descobrir se o incêndio foi criminoso, já que o vidro de uma das janelas estava quebrado.

O Instituto de Criminalística ocupa um prédio da Prefeitura de Taubaté localizado na Praça Doutor Euzébio da Camara Leal, na região central da cidade. Por meio de nota, a Secretaria de Segurança Pública informou que o incêndio foi de pequenas proporções e a diretoria do Instituto de Criminalística não vê necessidade de transferir os serviços para outro local. A Polícia Científica só irá se manifestar sobre as causas do incêndio após a conclusão de um laudo que será feito pelos peritos.

Original em: http://g1.globo.com/

GD Star Rating
loading...

Droga apreendida na lataria de três carros é incinerada em Pirapozinho

Mais de 300 kg de maconha e 7,8 de cocaína foram destruídos pela polícia.
Material foi encontrado nesta terça-feira (14), na Avenida Bertasso.

Material estava na lataria de três carros estacionados em posto de combustível (Foto: Polícia Civil/Cedida)

Mais de 300 kg de maconha e 7,8 kg de cocaína foram incinerados nesta quinta-feira (16), em Pirapozinho. A droga faz parte da apreensão realizada na terça-feira (14), quando três carros que transportavam o material na lataria foram identificados e seis pessoas presas, segundo informações da Polícia Civil.
O trabalho foi realizado após autorizações judiciais e presidido pelo delegado Luís Otávio Forti. Representantes do Ministério Público, Instituto de Criminalística e Vigilância Sanitária também acompanharam a destruição dos entorpecentes em um forno industrial.

Drogas foram incineradas em forno industrial (Foto: Polícia Civil/Cedida)

Os carros com a droga foram encontrados em um posto de combustíveis na Avenida Bertasso. Os policiais chegaram até o local depois de uma denúncia anônima por volta das 16h45 e constataram que dentro um Fox com placas de São Paulo, um Gol de Catanduva (SP) e um Celta de Cravinhos (SP) haviam rádios comunicadores iguais, o que chamou a atenção da PM. Os ocupantes confessaram o crime e afirmaram receber R$ 5 mil pelo transporte.

Original em: http://g1.globo.com/

GD Star Rating
loading...

Inscrições para Perito Criminal da Polícia Civil – SP seguem até 13 de janeiro

Polícia Civil do Estado de São Paulo

A Polícia Civil do Estado de São Paulo, receberá até o dia 13 de janeiro de 2014, as inscrições para o preenchimento de 447 vagas no cargo de perito criminal, disponíveis no Concurso Público nº 001/2013.
Este quantitativo está dividido entre as seguintes cidades paulistas: capital e Grande São Paulo (93), Araçatuba (22), Bauru (55), Campinas (69), Presidente Prudente (23), Ribeirão Preto (46), Santos (29), São José do Rio Preto (29), São José dos Campos (43) e Sorocaba (38).
O vencimento devido aos aprovados é de R$ 7.516,02. São aptos à participarem deste concurso, quem possuir 18 anos ou mais, estar em dia com as obrigações eleitorais e militares, e possuir formação de nível superior, dentre os demais requisitos especificados no edital de abertura do certame.
Os interessados devem acessar o site da organizadora do concurso, www.vunesp.com.br, e efetuar a confirmação de participação até às 16h do dia 13 de janeiro de 2014, com o recolhimento da taxa no valor de R$ 63,92.
Fonte: www.imprensaoficial.com.br
Original em:  http://www.pciconcursos.com.br por Aline Martins

GD Star Rating
loading...

VídeoSP: Polícia Técnico-Científica de SP é referência na América Latina

Assista ao vídeo e conheça o trabalho da instituição na produção de provas técnicas e periciais, fundamentais no esclarecimento de crimes

[KGVID width=”440″ height=”248″]http://periciacriminal.com/novosite/wp-content/uploads/2013/12/CSI-São-Paulo.mp4[/KGVID]

A Polícia Técnico-Científica completou neste ano 15 anos de existência. A instituição, além de ser a maior do Brasil, é referência na América Latina na produção de provas técnicas e periciais, fundamentais para a investigação e esclarecimento de crimes por parte da Polícia Civil.

Responsável por coordenar os trabalhos do Instituto de Criminalística (IC) e do Instituto Médico-Legal (IML), a SPTC conta com mais de 3.200 peritos criminais, médicos legistas, desenhistas, fotógrafos, auxiliares de necropsia, atendentes de necrotério, técnicos de laboratório, entre outros.

Assista ao vídeo e conheça o trabalho da Polícia Técnico-Científica de São Paulo.

Original em: http://saopaulo.sp.gov.br

GD Star Rating
loading...